Construtora Vitacon traz prédios inteligentes com áreas de compartilhamento

Tainá Freitas

Por Tainá Freitas

22 de fevereiro de 2018 às 11:38 - Atualizado há 3 anos

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

Em São Paulo, os cidadãos passam aproximadamente 3h por dia presos no trânsito. Por ano, a média é de 45 dias perdidos em traslados.

Alexandre Lafer é fundador da Vitacon, uma construtora com propostas inteligentes. Lafer esteve presente na 1ª edição do ConstruTech Conference, uma conferência focada em novas tecnologias para a construção e mercado imobiliário. No evento, o empreendedor apresentou a novidade da construtora: um apartamento inteligente de 10 m².

10m² é um número que assusta no primeiro momento, mas o prédio da construtora foi pensado especialmente para cidadãos que desejam morar perto de seu trabalho, justamente para não perder horas preciosas do dia no meio do trânsito.

A vida na cidade requer cada vez mais agilidade e produtividade, e perder tempo em traslados é algo cada vez menos interessante. A proposta da construtora é que os cidadãos vivam por um menor custo nos centros das cidades, próximos ao metrô, trabalho, hospitais e faculdades. Esse é o caso dos apartamentos de 10m² no Higienópolis, vendidos no valor de R$ 99 mil. “A melhoria na qualidade de vida do cidadão é exponencial”, comentou o empreendedor. Confira o funcionamento do apartamento:

“Eu acredito na economia do compartilhamento. Hoje os co-workings estão bombando, e espaços do prédio passam a ser uma continuação do espaço da pessoa. Uma somatória de co-working com prédio residencial é muito bem vinda, por exemplo – a pessoa desce e já trabalha”, comentou. No apartamento de 10m², a cozinha, lavanderia e até mesmo caixas de ferramentas são compartilhadas – o que diminui os custos de cada cidadão, principalmente em objetos pouco usados, como uma caixa de ferramentas.

No prédio, além do co-working, há uma academia, bike-sharing e até uma horta compartilhada. A ideia é que, além do próprio apartamento, os habitantes aproveitem ainda mais os espaços externos.

“Se a pessoa tem menos espaço dentro de casa, não ficará ali o tempo todo. E não gastará parte dos 10m² colocando uma escada que vai usar uma vez na vida”, exemplificou o empreendedor. A ideia é pegar emprestada a escada disponível, utilizá-la e devolver.

Prédios inteligentes

Alexandre Lafer acredita ainda que haverá cada vez mais tecnologia nos prédios. “Existem as fechaduras inteligentes que são abertas remotamente e é possível saber quantas vezes a pessoa abriu a porta. Assim, o prédio poderá saber a hora certa de mandar um colaborador para limpar o apartamento, por exemplo”, comentou.

O empreendedor ainda citou o reconhecimento facial como uma tecnologia que em breve estará disponível em todos os prédios, o que elimina portarias e torna a segurança ainda mais eficiente. “A lavanderia deixará as roupas em um armário inteligente, parte do hub de logística dos prédios, e não será necessário falar com ninguém para isso”, afirmou.

“A tecnologia vai embarcar de uma forma muito intensa dentro dos apartamentos, prédios e cidades. Um grande fenômeno que acontecerá, na minha visão, é que ao invés de produzir aplicativos para celular, os aplicativos serão produzidos para os prédios”, disse Alexandre Lafer. Hoje, a tecnologia já está presente em dispositivos para casas através de campainhas inteligentes, câmeras, fechaduras e até os smart speakers – dispositivos com inteligência artificial que auxiliam as pessoas, respondendo perguntas e realizando tarefas. O Amazon Echo, da Amazon, o HomePod da Apple e o Google Home são exemplos de smart speakers com a inteligência artificial de cada uma das empresas que já estão na casa das pessoas, principalmente nos Estados Unidos.

“Eu acredito no futuro das cidades walkable, sem muros, no qual as pessoas compartilham experiências e geram riqueza”, finalizou o empreendedor.

[php snippet=5]