Sobre Nós
Para Você

NOVO

Para Empresas
Conteúdos
Eventos
Game Changers
Tools
NOVO

Para Você

Avance na carreira e renove seus conhecimentos na mesma velocidade que o mundo muda: na do AGORA

Ver todos

Cursos

Certificações internacionais inovadoras que trazem o que há de mais atual em gestão para um mundo em transformação

Imersões

Imersões executivas presenciais nos mais avançados polos de inovação e empreendedorismo do mundo

Tools

NOVO

As ferramentas de inteligência artificial desenhadas para o seu negócio

Conteúdos

Conteúdo diário sobre inovação, empreendedorismo e os temas mais relevantes do AGORA para que você não perca nada


Incentivo ao bem-estar pode render aumento aos colaboradores; saiba como

Startup cria iniciativa focada em bem-estar dos funcionários, mirando em cultura mais forte, retenção e atração de talentos, além de colaboradores mais engajados

Incentivo ao bem-estar pode render aumento aos colaboradores; saiba como

Homem correndo na estrada (foto: Jonathan Borba on Unsplash)

, Jornalista

5 min

3 set 2022

Atualizado: 4 jan 2023

Por Camila Petry Feiler

A régua para medir bem-estar varia, não é mesmo? Nem só de exercício físico se faz uma rotina saudável, por exemplo. Pensando nisso, a startup Grão Direto lançou o Programa Bem-Estar, que estimula a prática de atividades físicas, de saúde mental, religiosas e espirituais, além do voluntariado. 

O combinado veio de um alinhamento entre os colaboradores e lideranças, entendendo o que poderia compor as horas focadas em melhora da qualidade de vida. E tem bonificação: “os que se dedicam de 8 até 15 horas de atividades têm bônus de 5% do salário, já os profissionais que cumprem a partir de 16 horas, 10% de bonificação”, explica Ursula Hahn, coordenadora de Pessoas e Cultura na Grão Direto.

Mais do que uma remuneração, o pagamento cria possibilidades financeiras para a prática de atividades físicas ou voluntariado, ajudando a suprir os gastos investidos nessas ações. Ou seja, é criar uma base sólida para que o funcionário consiga, de fato, se desenvolver nas atividades.

Um olhar holístico para o colaborador

O programa hoje atua em 4 frentes principais:  

  • Atividade Física: já que, comprovadamente, melhora a disposição e saúde, em diversos aspectos;
  • Saúde Mental: que traz autoconhecimento e melhora a capacidade para lidar com as situações e as pessoas;
  • Atividades Religiosas: que contribuem para bem-estar geral e fornecem aprendizados de questões de cunho moral, comportamental, ético e social, além de prezar por princípios de paz e justiça entre os indivíduos;
  • e Voluntariado: que amplia o impacto positivo da ação para comunidade, como parte de um dever cívico importante.

Para Ursula, o projeto impacta a rotina dos colaboradores, além das horas de trabalho, construindo uma estrutura de bem-estar que vai impactar e influenciar a postura também dentro da empresa. “No fim, o projeto quer ir além do dia a dia corporativo, impactando na qualidade de vida como um todo. Além disso, com a iniciativa, esperamos reter e atrair talentos que estejam em sinergia com o nosso DNA e cultura, que valorizam o cuidado próprio, a empatia com os outros e a alta performance.

Como funciona o programa?

O programa funciona da seguinte maneira: é oferecido um bônus de até 5%, enquanto os profissionais que cumprem a partir de 16 horas recebem até 10% de bonificação. Desde o anúncio do projeto, houve mais de 90% de aderência à campanha e a Grão Direto já percebeu impactos disso no interesse de candidatos para trabalhar na empresa.

“Tudo é feito na base da confiança, do bom senso e pautado na responsabilidade individual e coletiva, é claro. Para que o colaborador tenha direito ao bônus, basta preencher um formulário mensal informando suas horas aplicadas nas práticas acordadas para o programa, sem necessidade de recibos comprobatórios”, explica Ursula.

 

Por que importa?

Um levantamento feito pela consultoria Willis Towers Watson (WTW) apontou que, de 2015 para 2021, houve um aumento de 33% no interesse das empresas de implantar ações de saúde e bem-estar na rotina de seus colaboradores. A demanda faz mais sentido ainda em tempos pós-pandêmicos, onde o trabalho foi ressignificado e a saúde mental ganha lugar de destaque. 

Movimentos como a great resignation e as motivações apontadas pela Geração Z no mercado de trabalho deixam essa tendência mais às claras, mostrando que trabalho e qualidade de vida devem andar juntos para gerar bons resultados a todos envolvidos. 

Além disso, a prática de focar em bem-estar dos colaboradores pode ser uma das pontas do ESG, que também demanda ações da porta para dentro, mas que avançam com bons resultado para fora, como o employer branding e a retenção de talentos. 

 

Confira:


Assuntos relacionados

Imagem de perfil do redator

Jornalista focada em empreendedorismo, inovação e tecnologia. É formada em Jornalismo pela PUC-PR e pós-graduada em Antropologia Cultural pela mesma instituição. Tem passagem pela redação da Gazeta do Povo e atuou em projetos de inovação e educação com clientes como Itaú, Totvs e Sebrae.

Abra sua cabeça para as novas oportunidades!

Cadastra-se e receba diariamente o resumo do que importa com a análise do time StartSe!

Leia o próximo artigo