StartSe e ACE lançam programa de inovação para apoiar empresas durante a crise

Isabella Carvalho

Por Isabella Carvalho

29 de abril de 2020 às 16:32 - Atualizado há 5 meses

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

Nas últimas semanas, empresas dos mais diversos setores precisaram se adaptar a um novo cenário causado pelo coronavírus. Com isso, a transformação digital se tornou uma pauta ainda mais relevante dentro das organizações. Nessa nova realidade, os negócios migraram para o digital para atender a uma demanda que crescia cada vez mais rápido. 

Foi neste contexto, e pensando em ajudar as empresas a passarem por essa transição, que a StartSe se uniu à ACE, empresa focada em inovação corporativa, para lançar o FIX (Full Innovation Experience). Durante o programa de imersão voltado para diretores e gerentes, as organizações poderão diagnosticar suas dores e entender em qual grau de maturidade de inovação se encontram.

Além disso, em um processo dividido em três etapas, as empresas trabalharão conceitos de economia, negócios e inovação, sempre com foco na alta liderança. Em entrevista à Exame, Pedro Waengertner, um dos fundadores da ACE, destacou a importância do programa, mesmo em um cenário pós-crise. “Com a mudança de hábitos da população, o que deve acontecer é a permanência de diversas tendências parecidas com o que vivemos hoje”, ressaltou o empreendedor. “A crise veio para mostrar quem inova de fato, e quem não o faz”.

Através do FIX, as empresas poderão trabalhar em melhorias estruturais e também na área de pessoas, com consultorias voltadas para cultura e novos modelos de gestão. “É uma semiverdade dizer que as pessoas são o maior ativo de uma empresa”, disse Pedro Englert, CEO da StartSe, à Exame. “Se você tiver as melhores pessoas em uma estrutura e cultura que não funcionam, não conseguirá fazer nada. É como ter um time de craques com um técnico ruim”, completou.