Sobre NósPara Você
Para EmpresasConteúdos
Eventos
Game Changers

Para Você

Avance na carreira e renove seus conhecimentos na mesma velocidade que o mundo muda: na do AGORA

Ver todos

Cursos

Certificações internacionais inovadoras que trazem o que há de mais atual em gestão para um mundo em transformação

Imersões

Imersões executivas presenciais nos mais avançados polos de inovação e empreendedorismo do mundo

Eventos

Jornadas de conhecimento fomentando o aprendizado dinâmico e inovador em diversos formatos e intensidades

Ver todos

Ainda não temos eventos programados. Mas estamos preparando encontros repletos de inovação para você!

Conteúdos

Conteúdo diário sobre inovação, empreendedorismo e os temas mais relevantes do AGORA para que você não perca nada


Artigos
Inovação

Os planos da Meta estão dando errado?

Empresa anuncia fechamento de diversas iniciativas e mudanças de comando. Afinal, o que está acontecendo?

Os planos da Meta estão dando errado?

Mark Zuckerberg, CEO da Meta e do Facebook (foto: Chesnot/Getty Images)

Por Ana Julia Guimarães

Após o último balanço financeiro, em que a Meta registrou queda de 1% na receita da companhia e anunciou que os números de usuários por mês estão caindo, os projetos da big tech estão passando por algumas dificuldades. Nos últimos dias, anúncios de mudanças de lideranças, fechamento de iniciativas e cortes mostram que o futuro da empresa segue realmente muito incerto. Entenda aqui o que está acontecendo com a gigante tech.

Horizon Worlds, a grande promessa de metaverso da Meta 

É um exemplo em que a empresa depositou grandes expectativas e muito dinheiro: foram mais de US$10 bilhões somente em 2021. 

Após o lançamento do projeto na França e na Espanha, as pessoas criticaram a falta de qualidade dos gráficos e por ter considerado o design feio. Inclusive, Mark Zuckerberg – CEO da empresa – foi duramente criticado nas redes sociais após ter compartilhado a imagem do seu avatar em frente à Torre Eiffel e ao Templo da Sagrada Família.

Selfie do Mark Zuckerberg no Horizon Worlds (foto: reprodução)

"Como pode um dos homens mais ricos do mundo estar se parecendo com ‘bebê’ no metaverso?", "o avatar dos olhos mortos" eram tipos de comentários no Twitter. Segundo os internautas, a imagem era parecida com os jogos dos anos 2000 e estava longe de se parecer com a realidade.

Zuckerberg compartilhou a arte conceitual de um avatar mais detalhado alguns dias depois, mas o meme já havia sido criado. 

E para completar a história estranha do projeto… Vivek Sharma, vice-presidente de Horizon da Meta anunciou a sua saída em busca de uma oportunidade de carreira não relacionada. 

Facebook Gaming 

Mulher japonesa gamer jogando no celular (Fonte: Getty Images)

A empresa anunciou também neste mês que o aplicativo será encerrado nas lojas Android e Apple no dia 28 de outubro. 

O app, que era uma forma dos fãs seguissem seus streamers e páginas oficiais de jogos, não conseguiu o resultado necessário para se manter em pé.

Segundo uma pesquisa da Streamlabs, no segundo trimestre de 2022, apenas 7,9% de todas as horas assistidas foram no Facebook, contra 76,7% e 15,4% no Twitch e no YouTube, respectivamente.

“Apesar das notícias, nossa missão de conectar jogadores, fãs e criadores com os jogos que amam não mudou, e vocês ainda poderão encontrar seus jogos, streamers e grupos quando visitarem a área Gaming no aplicativo do Facebook”, comentou a empresa.

Live shopping

Live commerce Facebook (Divulgação blog Facebook)

A empresa divulgou que as compras ao vivo no Facebook serão descontinuadas em 1º de outubro de 2022. 

Isso significa que os usuários ainda poderão usar o Facebook Live para transmitir eventos ao vivo, mas não conseguirão criar listas de reprodução de produtos nem marcar produtos nos seus vídeos.

Segundo a empresa, o comportamento de visualização do consumidor está mudando para vídeos curtos. Por isso, eles passaram a priorizar o Reels (o produto de vídeos curtos da Meta) no Facebook e no Instagram.

Por que importa?

As apostas da empresa foram grandes demais e o lançamento de novos produtos não foi suficiente para manter a companhia em crescimento. 

Além disso, a Meta não estava contando com o crescimento do TikTok, que recentemente ultrapassou mais de 2 bilhões de downloads em todo o mundo, e está bem perto de chegar no Instagram. 

A proposta agora deve ser se reinventar e garantir que os novos projetos de fato entreguem o que a geração hiperconectada quer: rapidez e muita tecnologia. 


Assuntos relacionados

Abra sua cabeça para as novas oportunidades!

Cadastra-se e receba diariamente o resumo do que importa com a análise do time StartSe!

Leia o próximo artigo