Sou Aluno
Formações
Imersões
Eventos
Tools
Artigos
Sobre Nós
Para Empresas

‘A Inteligência Artificial não é como na programação tradicional’, diz fundador do Shazam

Chris Barton, fundador do Shazam, aplicativo de identificação de músicas, conta como a imprevisibilidade da inteligência artificial pode impactar os empregos do futuro.

‘A Inteligência Artificial não é como na programação tradicional’, diz fundador do Shazam

Chris Barton, fundador do Shazam (Foto: Reprodução/LinkedIn)

, jornalista

4 min

31 jan 2024

Atualizado: 1 fev 2024

newsletter

Start Seu dia:
A Newsletter do AGORA!

Como você imagina o mundo com o crescimento da Inteligência Artificial?

“É realmente difícil ter os óculos do futuro”, me disse Chris Barton, fundador do Shazam, aplicativo de identificação de músicas, durante o Fórum Biban, na Arábia Saudita.

“Mas meu palpite é que muitos empregos serão criados ao longo dessa otimização para que a gente possa fazer melhor as tarefas. (...) E isso significa que haverá um nível de imprevisibilidade.”

Por exemplo: “Todos já recebemos respostas erradas da inteligência artificial. (...) É como uma besta”. Isso porque, de acordo com ele, a tecnologia não é como a programação de computador tradicional.

Programação x inteligência artificial

“Na programação tradicional, você diz ao computador o que você quer que ele faça, e ele faz exatamente isso. Com a IA, você cria uma besta, e então, você vê o que ela cria”, me explicou.

E o impacto disso nas profissões? “Isso significa que há sempre um nível de imprevisibilidade. E eu acho que esse nível de imprevisibilidade é o que vai fazer com que muitos empregos sejam criados.”

Como assim? “O seu trabalho será criar previsibilidade ou criar uma espécie de controles em torno do que a IA está produzindo para que as pessoas tenham resultados significativos e eliminem os riscos.”

Qual tipo de risco? “Imagine que você diz para para a IA ‘ei, eu farei um discurso. Esta é a data. Este é o dia em que tenho de estar de volta. Agora reserve a minha viagem.’ E aí, o que acontece se errar? E se eu pouso em Paris sendo que minha palestra é na Arábia Saudita?”

Para Bartom, esse exemplo apenas reforça a ideia de que, à medida que nos aproximamos cada vez mais de um mundo dominado pelo aprendizado de máquina e pela IA, haverá uma crescente demanda por profissionais que possam garantir que essas tecnologias sejam usadas de forma segura e eficaz. É aí que surgirão as novas profissões que você deve ficar de olho.
 

LEITURA RECOMENDADA

Agora, se você precisa entender mais sobre IA na prática e conhecer ferramentas e estratégias, participe da imersão presencial!

Gostou deste conteúdo? Deixa que a gente te avisa quando surgirem assuntos relacionados!


Assuntos relacionados

Imagem de perfil do redator

Sabrina Bezerra é jornalista especializada em carreira e empreendedorismo. Tem experiência há mais de cinco anos em Nova Economia. Passou por veículos como Pequenas Empresas e Grandes Negócios e Época NEGÓCIOS.

Leia o próximo artigo

newsletter

Start Seu dia:
A Newsletter do AGORA!