Sobre Nós
Para Você
Para Empresas
Conteúdos

NOVO

Eventos
Comunidades
Tools
Parcerias

Para Você

Avance na carreira e renove seus conhecimentos na mesma velocidade que o mundo muda: na do AGORA

Ver todos

Cursos

Certificações internacionais inovadoras que trazem o que há de mais atual em gestão para um mundo em transformação

Imersões

Imersões executivas presenciais nos mais avançados polos de inovação e empreendedorismo do mundo

Tools

As ferramentas de inteligência artificial desenhadas para o seu negócio

Conteúdos

Conteúdo diário sobre inovação, empreendedorismo e os temas mais relevantes do AGORA para que você não perca nada


Comunidades

Amplie seu networking, encontre parceiros de negócios e discuta as maiores tendências e inovações com a alta liderança do mercado


Crise no mundo da fantasia? Entenda por que a Disney vai demitir 7 mil funcionários

Empresa vai cortar 3,6% da força de trabalho global como parte de uma estratégia de corte de custos. Entenda a reestruturação!

Crise no mundo da fantasia? Entenda por que a Disney vai demitir 7 mil funcionários

Magic Kingdom Park, Orlando, Florida, United States (Foto: Unsplash)

, Repórter

5 min

9 fev 2023

Atualizado: 19 mai 2023

Fim do mundo de mágica e fantasias. A Disney vai demitir 7 mil funcionários - 3,6% da força de trabalho global - como parte de uma estratégia de corte de custos. 

"Uma mudança necessária para enfrentar os desafios que enfrentamos hoje”, disse o CEO, Bob Iger

  • De acordo com o executivo, a empresa economizará US$ 5,5 bilhões com a redução do quadro de funcionários
  • Não foi informado quais departamentos serão afetados pelas demissões
  • As ações da Disney subiram 4,7%, para US$ 117,22 nas negociações após o anúncio

QUAL A NOVA ESTRATÉGIA DA DISNEY?

A partir de agora, a ideia é cortar custos e devolver poder a executivos criativos em três setores: um dedicado ao entretenimento que incluirá cinema, televisão e streaming; uma unidade ESPN centrada em esportes; e outra para parques temáticos, experiências e produtos.


POR QUE A DISNEY ENTROU EM MODO CORTE DE CUSTO?

A notícia veio após a primeira queda de assinantes no Disney+, desde o seu lançamento em 2019. 

De acordo com o último relatório financeiro da empresa, o serviço de streaming caiu de 164 milhões para 162 milhões de assinantes — uma diminuição de 1% entre dezembro e outubro do mesmo ano. A principal razão foi a queda no número de usuários da plataforma Disney+Hotstar na Índia e Sudeste Asiático, que passou de 61 milhões para 57,5 milhões, uma redução de 6%. 

Disney+ (Fonte: Jesse Grant/Getty Images for Disney)

O QUE O CORTE DE CUSTOS DA DISNEY TEM A VER COM A NETFLIX?

A Netflix também passou por um momento parecido, mas conseguiu reverter. Depois de perder 1,2 milhão de assinantes no primeiro semestre de 2022, o serviço de streaming deu sinais de recuperação e ganhou 2,4 milhões de assinantes no terceiro trimestre do mesmo ano. O segredo?

“A chave é agradar os assinantes. Quando nossas séries e filmes empolgam nossos membros, eles contam para seus amigos, e então mais pessoas assistem, se juntam e ficam conosco”, afirmou a Netflix em carta para os investidores.

POR QUE IMPORTA?

A Disney+ tem se destacado como um dos principais serviços de streaming, justamente por sua ampla variedade de conteúdos (desde filmes clássicos da Disney até produções originais). No entanto, com o retorno gradual à vida presencial, era esperado que o número de assinantes caísse, assim como aconteceu com a Netflix

Portanto, para manter seu sucesso na era pós-pandemia, a Disney quer resgatar seu senso de criatividade, encontrar novas formas de expandir seu mercado e reter os usuários existentes. Exatamente o que a sua empresa deve fazer para se manter competitiva no mercado. Investir em ideias inovadoras, desenvolver novos produtos e serviços, e encontrar maneiras de melhorar a experiência do usuário. Afinal, são estratégias fundamentais.

LEITURA RECOMENDADA

A Disney+ tem mostrado que inovação é essencial para se destacar no mercado. Sua empresa também pode aproveitar esta lição e explorar novas formas de expandir seu alcance, reter os usuários existentes e ser referência na área de tecnologias, modelos de negócios exponenciais, gestão por performance e visão de futuro. Ao prototipar, antecipar tendências e desenvolver processos e modelos inovadores com as melhores práticas do mundo, ela poderá se tornar uma referência entre os demais. Aprenda tudo isso no nosso curso XBA, basta clicar aqui. 

https://www.startse.com/fintech-xperience/

Gostou deste conteúdo? Deixa que a gente te avisa quando surgirem assuntos relacionados!


Assuntos relacionados

Imagem de perfil do redator

Jornalista. Possui experiência no mercado financeiro, social media e customer experience. Passou pela XP Inc.

Leia o próximo artigo