Por que a WeWork perde US$ 219 mil por hora, mas ainda vale US$ 47 bilhões

Empresa enfrenta grande perda de dinheiro,, mas possui investidores como o Softbank que apostam - e muito - em seu modelo de negócios

0
shares

A WeWork perdeu US$ 219 mil por hora no período entre março de 2018 e março de 2019, de acordo com o Financial Times. A startup é a maior do setor imobiliário e foi responsável por popularizar o conceito de coworking pelo mundo.

A empresa constrói sua presença global através de escritórios em 124 cidades e em mais de 30 países. A WeWork – que agora faz parte do grupo “The We Company” – possibilita que companhias, startups e empreendedores autônomos aluguem cadeiras em prédios, permitindo que se preocupem apenas com o trabalho, e não com limpeza, móveis, entre outros. A empresa permite aluguéis de curto e longo prazo – inclusive por minutos -, além de disponibilizar sua rede de escritórios mundial para uso dos locadores.

No entanto, devido suas grandes perdas financeiras e por envolver muito mais do que tecnologia em seu negócio, ainda existem dúvidas sobre o futuro da empresa. Há quem acredite que o modelo de negócios não é sustentável - principalmente se continuar no mesmo ritmo de perdas - ou que ela nunca seria avaliada em US$ 47 bilhões se fosse vista como uma empresa imobiliária.

Em contrapartida, o Softbank, um dos maiores fundos de investimentos do mundo, acredita – e muito – no potencial da WeWork. No ano passado, o venture capital investiu US$ 3 bilhões na companhia. O Softbank é, de longe, o maior investidor da rede de coworking – e acredita que ela pode valer US$ 100 bilhões em alguns anos.

Mas, ao mesmo tempo que a WeWork consome muito dinheiro, ela também está apresentando grandes receitas. No ano passado, seu caixa atingiu US$ 1,9 bilhões e, em março, a companhia divulgou que espera alcançar US$ 3 bilhões neste ano. Executivos do Softbank acreditam que a grande “queima” de dinheiro é para sustentar esse crescimento, como acontece na trajetória de muitas startups.

IPO à vista

No entanto, saberemos o valor que o mercado dá a WeWork em breve. A empresa iniciou seu pedido pela primeira oferta inicial de ações – ou seja, se tornar uma companhia de capital aberto – no fim do ano passado.

A expectativa que fica é se a WeWork reproduzirá o que aconteceu com a Lyft e Uber no IPO, no qual as empresas não atingiram o valor esperado, ou se começará a dar lucro.

Atualize-se em apenas 5 minutos


Receba diariamente nossas análises e sinta-se preparado para tomar as melhores decisões no seu dia a dia gratuitamente.

Comentários