10 lawtechs que estão transformando o mercado jurídico

As lawtechs ou legaltechs usam a tecnologia para trazer mais eficiência para a gestão de documentos, de processos e dar mais velocidade às diligências jurídicas

0
shares

Assim como as fintechs fizeram com o setor financeiro e bancário no Brasil, as lawtechs querem fazer (e estão fazendo) com o mercado jurídico. Se você recorre a soluções como Nubank ou GuiaBolso, ir a uma agência bancária para falar com seu gerente, usar caixa eletrônico para checar seu extrato e precisar superar obstáculos de atendimento para solicitar aumento de crédito são coisas do passado.

Da mesma forma, as lawtechs vêm conquistando cada vez mais espaço, dentro e fora da internet, em conferências que debatem o futuro da advocacia. A Associação Brasileira de Lawtechs e Legaltechs atualizou, em março, o seu estudo Radar de Lawtechs e Legaltechs, que apontou 106 startups ligadas ao Direito e tecnologia registradas no Brasil. Destas, apenas duas são voltadas para a prestação de serviços tecnológicos ao setor público. E é no setor público onde se encontra o maior gargalo da justiça brasileira.

Segundo o relatório Justiça em Números 2017, do Conselho Nacional de Justiça, há 79,7 milhões de processos em tramitação aguardando uma solução definitiva. Esse número cresce, em média, a uma taxa anual de 3% ao ano, segundo o estudo A Inserção das Lawtechs, LegalTechs e Inteligência Artificial no Âmbito Jurídico. Enquanto a velocidade de criação de startups na esfera pública ainda é lenta, no setor privado elas já fazem parte do ecossistema legal. Conheça dez lawtechs estão transformando o mercado jurídico.

Docket

Voltada para grandes empresas, a Docket oferece uma plataforma SAAS (Software As a Service), integrada também via APIs. Com o conceito de One Stop Shop, a plataforma permite resolver todas as questões que envolvem a obtenção de documentos diversos. Toda a papelada relativa a junta comercial, ambiental, de prefeituras, matrículas, certidões, CNB, análises de crédito ou de operações de due dilingence, entre outros tantos por todo o território nacional, faz parte do escopo da Docket.

“Em média, a cada 100 documentos entregues, nós reduzimos cerca de 1.000 horas de trabalho dos times de backoffice. Hoje, temos aproximadamente 30 clientes, grandes empresas com capital aberto, que conseguem fazer mais operações e dar agilidade aos seus negócios com a economia de tempo na viabilização de contratos”, afirma Pedro Roso.

Leia mais sobre a DocketDocket usa inteligência artificial para diminuir burocracia

Aurum

A Aurum, segundo Fernando Liberato, sócio-diretor da empresa, surgiu com a proposta de ser o braço direito do advogado, trazendo soluções de gestão de processos há duas décadas. "Este é o core dos nossos produtos e entregamos junto o controle de tarefas e prazos, geração de documentos, integração aos sites dos tribunais e diário oficial e tantos outros recursos necessários para que o advogado tenha mais tranquilidade e organização em seu dia a dia", afirmou ele.

No total, a Aurum traz duas soluções principais: Themis, voltado para atender grandes bancos e departamentos jurídicos e Astrea, focado em advogados autônomos e pequenos e médios escritórios de advocacia. Liberato ainda frisou que os negócios estão em pleno crescimento: "A Aurum como um todo cresce em torno de 20% ao ano".

Doc9

Fundada em 2009, a Doc9 visa facilitar diligências jurídicas de escritórios de advocacia. "Controlamos as diligências jurídicas dos escritórios oferecendo a máxima qualidade e transformamos o fluxo deles de uma forma muito mais inteligente e produtiva", afirmou Bruna Barbosa, gerente de planejamento e marketing.

A startup já participou de um programa de mentoria da Endeavor, e hoje conta com cerca de 90 colaboradores atuando por todo Brasil em áreas que vão desde atendimento a serviços de audiência, cálculos judiciais, cópias forenses, protocolos, retirada de documentos e outras diligências. Basicamente, a Doc9 funciona da seguinte forma: por meio de um sistema onde o cliente solicita suas diligências, a startup facilita a gestão ao controlar esse pedido, acompanhando-o até sua entrega.

M4Law

A M4Law surgiu a partir de uma parceria entre a M-Files com a Br-iT e traz três principais vertentes: metadata, system-neutral e intelligent. No primeiro, a ferramenta torna possível gerenciar as informações de forma intuitiva: é preciso apenas marcá-lo e relacioná-lo a outros objetos, como cliente, área, caso, etc. e eles aparece de forma dinâmica onde for necessário, com permissões automáticas e fluxo de trabalho.

Já o segundo conta com uma arquitetura aberta que suporta conectores a outros sistemas, incluindo e-mails, CRM, pastas da rede, etc. Por fim, o M4Law utiliza inteligência artificial para automatizar e simplificar a interação do usuário com as informações, assim como são gerados e aplicados, ajudando principalmente na organização.

Segundo André Luvizeto, sócio da M-Files no Brasil: "Por meio da aplicação de Inteligência Artificial, o usuário realiza buscas avançadas que levam em consideração o “Conteúdo”, “Palavras-Chave”, “Metadados” e o “Perfil de Navegação” do usuário para ranquear os resultados e prever o que você procura".

Oito Tecnologia Jurídica

A Oito Tecnologia Jurídica nasceu para solucionar a dor de uma grande empresa de Seguros:  "O cliente precisava ter mais controle, reduzir seus custos, melhorar a qualidade das informações, eficiência e ter acesso a dashboards para apoio a tomada de decisão em seu fluxo de Cadastro de Processos de Contencioso de Massa", revelou Mirella Swioklo, gerente de negócios da startup. Foi a partir daí que a Oito mapeou o cenário e a oportunidade, elaborando soluções que vão desde a gestão de processos até inteligência jurídica.

Swioklo deixa claro que apesar de ser voltado para o mercado jurídico, o produto não se limita a ele: "É importante destacar que esta solução é de fácil e rápida implantação e totalmente aplicável a outros segmentos de mercado, tanto que logo conquistamos clientes de grande e médio porte de diferentes ramos, como: telecom, construção civíl, utilities, entre outros."

Preâmbulo

A Preâmbulo desenvolve software de gestão de escritórios de advocacia e departamentos jurídicos. Segundo Gabriela Stark, líder da equipe de marketing, o diferencial do produto é a eficácia. "O CPJ-3C é um software completo, ideal para operações que exigem alta performance. Em nossa nova versão, o Workflow impulsiona as tarefas dentro do escritório, garantindo mais agilidade e cumprimento dos fluxos de trabalho. Agora com o CPJ-Connect, a operação ganha ainda mais mobilidade, possibilitando consultas a processos, agenda e os principais indicadores do escritório através de dispositivos móveis", diz.

A gama de produtos oferecidos pela Preâmbulo é grande. O software oferece gestão para escritórios com controladoria de prazos, GED, workflow, financeiro integrado ao processual, controle de correspondentes, provisionamento, captura de informações processuais, publicações, BI, gerador de relatórios e mais. "O foco é não parar por aí e continuar inovando com ainda mais produtos", diz Gabriela.

Projuris

Segundo Tiago Fachini, gerente de marketing digital da ProJuris: "O ProJuris diferencia-se através da gestão descomplicada do ativo jurídico de nossos clientes, aliando automação para que o profissional do Direito use seu tempo com atividades de cunho intelectual ao invés de gastá-lo em atividades manuais repetitivas."

Com crescimento médio de 35% por ano nos últimos 3 anos, a empresa oferece 2 softwares para públicos distintos, no caso um escritório de advocacia e outro departamento jurídico corporativo. Ambos têm um calendário de inovação constante, com lançamentos quinzenais  afim de otimizar a rotina dos clientes e diminuir sua ineficiência em atividades específicas.

Twt Soft

TWT INFO desenvolve sistemas para o mercado jurídico corporativo, disponibilidade em uma plataforma de informações, em que a solução é personalizável de cliente para cliente. Um dos seus produtos é o ADVWin Corporativo, por exemplo, é uma uma solução especialmente desenvolvida para a informatização de departamentos jurídicos de empresas através da gestão plena do contencioso, consultivo e/ou projetos.

Ventura

Domingo Montanaro (CEO e co-fundador) e Calvin Liu (Diretor de operações e co-fundador) perceberam que são oferecidos no mercados muitos serviços de TI porém poucos resolviam problemas de riscos reais ao negócio. Foi a partir da identificação dessa dor que eles criaram a Ventura para mitigação de risco cibernético, focado ao negócio. A empresa conta com dois produtos principais: Safe Hold, uma plataforma de preservação e guarda-segura de evidências digitais corporativas, e WebPreserve, uma plataforma de coleta, preservação e laudo pericial de evidências digitais na Web.

Your Open Legal Tecnologia

Outra startup que foi criada a partir de uma necessidade foi a YourOpenLegal, focada em desenvolvimento de  um software de gestão para o escritório de advocacia em que eu trabalhava. "A necessidade era que o software tivesse funcionalidades e customizações que os demais produtos do mercado não possuíam de maneira que nos atendesse, que fosse completamente integrado com o financeiro, o faturamento e demais módulos necessários para a gestão eficiente do escritório. Assim, desenvolvemos o YOL, com a visão e as necessidades do advogado", conta Taylise Seixas, sócia.

O software de gestão da YOL promete ser completo e personalizável, com possibilidades de módulos e funcionalidades, de acordo com a necessidade de clientes.

Lawtech Conference

No dia 23 de maio, a StartSe realiza a Lawtech Conference que vai discutir como as legaltechs estão transformando o mundo jurídico no Brasil, e que oportunidades e desafios o uso da tecnologia aplicada ao Direito coloca para as empresas tradicionais e os novos negócios que estão surgindo. Saiba mais sobre o evento no site.

Atualize-se em apenas 5 minutos


Receba diariamente nossas análises e sinta-se preparado para tomar as melhores decisões no seu dia a dia gratuitamente.

Comentários