Lifelong learning e a importância de continuar estudando em momentos de crise

Isabella Carvalho

Por Isabella Carvalho

19 de março de 2020 às 17:10 - Atualizado há 3 semanas

Logo ReStartSe

GRATUITO, 100% ONLINE E AO VIVO

Inscreva-se para o Maior Programa de Capacitação GRATUITO para empresários, gestores, empreendedores e profissionais que desejam reduzir os impactos da Crise em 2020

Em poucas semanas, o coronavírus transformou a forma como as pessoas trabalham e se educam. Nos países mais afetados, incluindo o Brasil, a população está em casa por tempo indeterminado. Em um período de crise como esse, nunca foi tão importante continuar aprendendo e se reinventando para não ficar para trás — mesmo remotamente. É neste cenário que o termo lifelong learning se torna cada vez mais relevante. 

A expressão se refere à busca contínua por conhecimento ou pela atualização do aprendizado — no âmbito profissional, acadêmico ou pessoal. Durante esse processo, as pessoas aprendem habilidades que, normalmente, não são ensinadas em escolas e no sistema de ensino tradicional — abrangendo, por exemplo, desde inteligência emocional a gestão. 

De acordo com a Lifelong Learning Council Queensland, instituição que dissemina o conceito ao redor do mundo, ele é baseado em quatro pilares: aprender a conhecer, fazer, conviver e ser. Ou seja, é necessário reter o conhecimento obtido, colocar em prática os ensinamentos, entender a percepção do outro e se auto desenvolver.

Empresas e organizações que aplicam o lifelong learning têm impactos positivos no negócio — com colaboradores engajados e capazes de criar estratégias mais eficazes para diversos processos. Além disso, o conhecimento além dos meios tradicionais prepara profissionais para mudanças que já estão acontecendo no mundo — como, por exemplo, a transformação causada pelo coronavírus. 

Buscar novas plataformas de aprendizado e diferentes tipos de treinamentos é um dos primeiros passos para aplicar o conceito de lifelong learning. Além disso, usar a tecnologia e plataformas digitais como facilitadora do conhecimento também é essencial neste processo.

Foi pensando em ajudar gestores e empresários a passar por esse momento de crise e evoluírem em sua jornada de aprendizado que a StartSe criou o ReStartSe, maior programa online e gratuito de capacitação profissional. A partir da próxima segunda-feira (23) os participantes terão acesso a 100 horas de aulas ao vivo com especialistas do Brasil, Vale do Silício e China. Serão 30 dias de conteúdos intensos. Saiba mais e se inscreva!