Sociedade e cultura: como o engajamento de equipes pode proporcionar melhores resultados

João Gobira

Por João Gobira

11 de março de 2020 às 19:13 - Atualizado há 4 meses

Logo ReStartSe

GRATUITO, 100% ONLINE E AO VIVO

Inscreva-se para o Maior Programa de Capacitação GRATUITO para empresários, gestores, empreendedores e profissionais que desejam reduzir os impactos da Crise em 2020

Ter uma equipe engajada é um poderoso diferencial competitivo para a sua empresa.

Quando se fala sobre a gestão de uma empresa, muitas áreas vêm à mente, como financeiro, RH, comercial, administrativo. Porém, um assunto que por vezes é deixado de lado (e não deveria) é o engajamento de equipes, que influencia diretamente em todos os outros.

É fato, porém, que este engajamento não é uma tarefa tão simples de ser realizada, já que depende de um excelente alinhamento entre a empresa e seus colaboradores, o que pode, inclusive, levar um bom tempo até que seja sentido.

Aplique no Seu Negócio O Mesmo Sistema de Partnership (Sociedade) utilizado por empresas bilionárias como XP Investimentos, Ambev e Goldman Sachs

Além da relação entre a companhia e seus trabalhadores, é importante ponderar a forma com a qual os conceitos corporativos de sociedade e cultura também impactam neste engajamento.

Mesmo com esses fatores complicadores, a gestão de pessoas deve, necessariamente, contemplar melhorias para o engajamento. O assunto, inclusive, já foi abordado no “Panorama Engajamento Brasil 2018”, organizado por 99Jobs, CoBlue, Engage, Mercer, MM, Phomenta, SOU, TOTVS e Viva!

Alguns dos dados obtidos foram os seguintes:

  • Para os colaboradores, o significado de engajamento é comprometimento (24%), motivação (14%), valores (13%), propósito (10%), colaboração (9%), dedicação (7%), pertencimento (7%), vestir a camisa (7%), resultados (5%) e equipe (3%).
  • 39% dos entrevistados afirmaram que o nível de engajamento não é mensurado nas empresas em que trabalham. Apenas 14% disseram que tal nível é mensurado mais de duas vezes por ano.
  • Entre os que afirmaram que o nível de engajamento é mensurado nas empresas, para 37% deles, o percentual de colaboradores engajados varia de 51% a 70%. 11% disseram acreditar que menos de 30% dos trabalhadores da empresa são engajados.
  • 64% responderam que existe um projeto ou grupo de ações que visa aumentar o engajamento dos colaboradores, contra 36% que disseram não haver.
  • Em uma escala de 1 a 10 para avaliar quão estratégico é o assunto “engajamento” na empresa, a nota média geral foi de 6,31.

Esta é uma pesquisa muito interessante, já que traz a realidade das empresas brasileiras sobre o assunto, ou seja, diz respeito diretamente àquilo com que lidamos no cotidiano do mundo corporativo.

Ao analisar dados globais, os números também preocupam. De acordo com o relatório “State of the Global Workplace”, apenas 15% dos colaboradores estão engajados em seu espaço de trabalho, ou seja, a grande maioria tem um sentimento totalmente contrário neste sentido.

Aplique no Seu Negócio O Mesmo Sistema de Partnership (Sociedade) utilizado por empresas bilionárias como XP Investimentos, Ambev e Goldman Sachs

Depois de conferir números que endossam a importância do tema, vamos entender exatamente em que consiste o engajamento, como sociedade e cultura corporativas impactam nele e o que pode ser feito, em termos de gestão de pessoas, para melhorar a situação.

O que é o engajamento de equipes?

O que é o engajamento de equipes?

Entre tantas definições, podemos dizer que ele consiste em quão apaixonadas são as equipes a respeito de seus empregos, quão comprometidas estão com a companhia e quanto esforço designam para tal atividade.

A explicação pode remeter à de satisfação no trabalho, mas o engajamento de equipes vai ainda além, já que não trata apenas de estarem felizes ou não, mas sim de sua motivação, envolvimento e até compromisso emocional com o trabalho.

O tema é essencial para compreender e descrever, qualitativa e quantitativamente, a relação entre uma empresa e seus colaboradores, sendo um trabalhador engajado aquele que, por exemplo, cumpre os significados que vimos anteriormente no Panorama Engajamento Brasil 2018, bem como outros correlatos.

Tal conceito surgiu primeiramente na teoria da gestão, estudo interdisciplinar da solução de problemas e da tomada de decisões em organizações humanas, cujas origens vêm da investigação operacional, a qual, por sua vez, nasceu na 2ª Guerra Mundial, quando aliados tinham que lidar com problemas grandes e complexos.

O campo de pesquisa do engajamento de equipes passou a ser estudado na década de 1990, tendo se transformado em uma vertente bem conhecida na área de gestão no início dos anos 2000, embora as origens ainda sejam contestadas por alguns.

Portanto, em linhas diretas, engajamento é o quão conectado um colaborador está com a sua empresa, o que vai além do exercício de suas funções e atribuições.

Como a cultura e a sociedade interferem no engajamento?

Como a cultura e a sociedade interferem no engajamento?

Por meio da forma que a empresa lida com seus funcionários, os quais passam a agir de uma maneira diferente da que poderiam estar acostumados até então.

Quando falamos sobre cultura e sociedade, é comum nos lembrarmos imediatamente das definições sociais que envolvem os termos e estão relacionadas ao nosso dia a dia, mas, na verdade, eles remetem a práticas realizadas no setor corporativo e dentro dele.

A cultura de uma empresa consiste em seus valores e comportamentos que são compartilhados com todos os integrantes, da equipe operacional aos gestores e diretores, os quais influenciarão diretamente na linha de raciocínio adotada para a tomada de decisões.

Já sociedade, por sua vez, é como o termo partnership é utilizado em português. Este é um modelo de negócio em que os funcionários se transformam em sócios, ou seja, se sentam do mesmo lado da mesa no momento de tomar decisões relativas ao andamento do negócio.

Portanto, quando se fala sobre cultura e sociedade em uma empresa, o real significado diz respeito a saber como ela lida com as situações que surgem no dia a dia e também ao modelo escolhido para guiar seus negócios, diferente do que é de praxe no mercado.

Quando os conceitos são aplicados, é natural que o engajamento aumente significativamente na companhia, o que, por sua vez, gera uma série de benefícios, tanto em termos de relacionamento interpessoal como nos próprios resultados obtidos.

Ainda que a questão envolva esforços significativos, isso não quer dizer que o engajamento seja inatingível no que tange à gestão de recursos humanos, mas sim que ele precisa ser muito bem planejado para trazer resultados satisfatórios a curto, médio e longo prazo.

Saiba mais: 5 verdades sobre cultura corporativa que toda companhia precisa aprender

O que fazer para melhorar o engajamento de equipes?

O que fazer para melhorar o engajamento de equipes?

Estratégias não faltam para melhorar esta característica tão importante, a qual interfere diretamente em vários aspectos de uma empresa, tanto no relacionamento interpessoal quanto nos resultados financeiros obtidos.

O estudo “DNA of Engagement: How Organizations Can Foster Employee Ownership of Engagement”, datado de 2017 e feito pela The Conference Board, mostrou que colaboradores não-engajados custam de US$ 450 bilhões a US$ 550 bilhões por ano apenas nos Estados Unidos, o que equivale a pelo menos US$ 856 mil por minuto!

Já o “Gallup Q12® Meta-Analysis Report”, relatório feito pela própria Gallup, mostrou que empresas mais engajadas apresentaram um aumento de 21% na produtividade e de 22% na lucratividade, dois objetivos que estão entre os principais para qualquer negócio.

Boas práticas que podem ser aplicadas para melhorar o engajamento de equipes em uma companhia, independentemente de qual seja o seu porte ou segmento, são as seguintes:

Dissemine a cultura da equipe para que o modelo de sociedade traga bons frutos

Para ser eficiente no aumento do engajamento, é preciso conhecer a fundo a cultura que influencia a equipe para, então, compartilhá-la com os colaboradores, entre os quais alguns (ou todos) pertencem a uma sociedade que visa o bem comum, tanto operacional quanto financeiro.

Tais detalhes fazem toda a diferença na forma de abordar os colaboradores, na essência das decisões tomadas e até mesmo nos prazos planejados para a obtenção dos resultados, ou seja, vale a pena se dedicar neste sentido.

Veja também: A cultura que tornou o Nubank o 2º unicórnio brasileiro

Tenha os colaboradores nas funções certas

Além do relacionamento interpessoal, é importante lembrar-se de que a gestão de recursos humanos precisa se preocupar com a correta alocação dos colaboradores na equipe, ou seja, eles devem atuar nas áreas em que se sentem mais confortáveis.

O desvio de função é uma prática vedada pelo Artigo 468 da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) e, além disso, prejudica o desempenho do colaborador, já que as atividades às quais será responsável diferem daquilo que ele realmente sabe fazer.

Por consequência, trabalhar em funções diferentes acarreta em descontentamento, problemas com os demais colaboradores e, é claro, em uma queda massiva no engajamento.

Invista em bons treinamentos para a equipe

De acordo com o “2019 Training Industry Report”, feito pela revista Training, os gastos com treinamentos apenas nos Estados Unidos foram de US$ 83 bilhões, o que mostra como a área movimenta cifras enormes.

Este é apenas um dos indicativos de que é fundamental investir em treinamentos, inclusive sob o âmbito do engajamento de equipes, já que isso mostra que a empresa se preocupa com a capacitação teórica e prática de seus colaboradores.

O investimento tem o potencial de trazer excelentes resultados já a curto prazo, já que os conhecimentos adquiridos serão aplicados em prol da própria empresa, cujo desempenho tende a aumentar sensivelmente.

Incentive os feedbacks

Um profissional não pode saber se os gestores, diretores e demais colaboradores estão satisfeitos com o seu trabalho sem receber um feedback, o que também se aplica a quem ocupa lugares mais altos na hierarquia da empresa.

De acordo com um estudo da agência Insperiência, 50% dos 320 gestores avaliados não sabem a maneira certa de dar um feedback às suas equipes, o que é um indicador preocupante quando se considera a qualidade da gestão de recursos humanos.

A cultura da empresa deve contemplar feedbacks constantes, tanto entre colaboradores da mesma escala hierárquica quanto dos que ocupam diferentes posições, já que tais opiniões podem colaborar positivamente com o ambiente e, por consequência, com o engajamento de equipes.

Confira também: Por que a cultura organizacional pode matar estratégia, planejamento e execução do seu negócio

Delegue funções importantes

Um artigo da Gallup mostra que colaboradores que não se sentem reconhecidos apresentam o dobro de chances de dizer que irão deixar a empresa no próximo ano, indicador perigoso e que pode afetar drasticamente os níveis de turnover.

Para que o engajamento de equipes se torne possível, é necessário que os colaboradores sintam que sua presença é importante para a empresa, bem como que o seu trabalho tem valor e impacta no desempenho da companhia, o que só se torna verdade quando realizam atividades relevantes.

Saber ser um bom líder passa por delegar responsabilidades aos funcionários de acordo com aquilo que eles podem lidar, o que não apenas formará melhores colaboradores e equipes como também tende a resultar em um desempenho superior por parte de toda a empresa.

Sociedade, cultura e engajamento de equipes: assuntos intrinsecamente ligados

gestao

A gestão da cultura para resultados precisa ser aplicada de uma maneira inteligente e bem planejada em qualquer empresa, independentemente de qual seja seu porte ou segmento, o que também passa pela cultura assimilada pelos colaboradores e, por sua vez, impactará nos resultados do modelo de sociedade.

O assunto pode soar como complicado, de fato, mas é altamente vantajoso para a gestão de recursos humanos. A partir do momento em que o plano for colocado em prática, a tendência é de que o engajamento atinja níveis bem elevados e satisfatórios.

Aplique no Seu Negócio O Mesmo Sistema de Partnership (Sociedade) utilizado por empresas bilionárias como XP Investimentos, Ambev e Goldman Sachs

Estatísticas não faltam para comprovar que a gestão estratégica de pessoas é essencial para a companhia, como as que falamos no decorrer deste conteúdo. Sociedade e Cultura for Business são assuntos valiosos e que podem, enfim, trazer os níveis de engajamento de equipes que sempre sonhou em sua empresa.