Gestão de pessoas: 7 dicas para tirar o melhor do seu time

João Gobira

Por João Gobira

16 de março de 2020 às 17:19 - Atualizado há 3 meses

Logo ReStartSe

GRATUITO, 100% ONLINE E AO VIVO

Inscreva-se para o Maior Programa de Capacitação GRATUITO para empresários, gestores, empreendedores e profissionais que desejam reduzir os impactos da Crise em 2020

Saiba como proceder para extrair seu máximo potencial!

 

A gestão de pessoas é um assunto bastante complicado. Em um mundo onde a tecnologia se desenvolve de maneira acelerada e transforma a maneira com que a sociedade se relaciona, continua sendo fundamental ter contato com outras pessoas em uma empresa, seja qual for seu porte ou segmento.

Aplique no Seu Negócio O Mesmo Sistema de Partnership (Sociedade) utilizado por empresas bilionárias como XP Investimentos, Ambev e Goldman Sachs

Porém, a grande questão está no fato de que, diferente das máquinas e tecnologias, que são “frias e técnicas” (embora estejam ganhando uma inteligência fantástica com o advento da IA), as pessoas diferem entre si em relação ao comportamento, atitudes, ações e reações, ou seja, são únicas.

É importante ressaltar que as estimativas também são positivas para a área. De acordo com a Grand View Research, o mercado de gestão de recursos humanos deve ser avaliado em torno de US$ 30,01 bilhões em 2025, representando uma taxa de crescimento anual composta (CAGR) de 11% entre 2019 e 2025.

A nível nacional, vários insights sobre gestão estratégica de pessoas e outros assuntos pertinentes à área podem ser obtidos na pesquisa “O cenário do RH no Brasil”, feita pela Associação Brasileira de Recursos Humanos (ABRH-Brasil) e pela Umanni com 1.528 entrevistados. Confira alguns dos destaques:

  • As principais atividades de responsabilidade do RH são recrutamento e seleção (88%), treinamento e desenvolvimento (85%), cargos e salários (81%), benefícios (78%) e administração de pessoal / folha (75%).
  • O orçamento da área de RH se manteve para 39% dos entrevistados e aumentou para 24% deles, tendo reduzido para 28%. 9% afirmaram não saber qual foi a variação de orçamento.
  • O RH da empresa usa avaliação de performance para 52% dos entrevistados, enquanto 16% afirmaram que a empresa já utilizou, mas não o faz neste momento.
  • As principais ferramentas usadas para avaliação de performance são relacionadas às competências (52%), pesquisa de clima (41%), metas (38%) e feedback contínuo (33%).
  • Em relação à disponibilidade de automação para a área de RH, ela existe principalmente para folha de pagamento (76%), recrutamento e seleção (44%), benefícios (42%), treinamento e desenvolvimento (40%), avaliação de performance (38%) e controle de documentos (37%).
  • As ações de diversidade adotadas contemplam igualdade de salário (46%), diversidade em cargos de gestão (40%), equilíbrio do número de funcionários por gênero (35%), grupos de discussão (31%) e desenvolvimento de liderança de grupos pouco representados (25%).

Este panorama ajuda a entender como a questão é complexa e envolve uma série de decisões e atitudes, as quais devem ser embasadas em um bom planejamento para evitar erros e falhas capazes de prejudicar o bem-estar e a produtividade dos colaboradores.

Se você veio em busca de dicas para otimizar o departamento, saiba que está no lugar certo! Vamos conhecer algumas sugestões que podem te ajudar a extrair o máximo potencial possível de toda a equipe e, assim, contribuir para os resultados da companhia.

Como a gestão de pessoas pode melhorar a eficiência da sua equipe

Oportunidades não faltam para comprovar como este setor é um dos pilares de qualquer negócio!

1 – Crie uma cultura de feedback na empresa

modelos de gestão empresarial

Como atender as demandas, necessidades e expectativas se não houver conversas francas entre os colaboradores, independentemente de quais sejam suas escalas hierárquicas ou a diferença que existe entre elas?

A pergunta pode parecer ter uma resposta óbvia, mas a verdade é que muitas empresas não dão ao feedback a importância que essa ferramenta realmente possui, o que pode (e deve) ser modificado pelo setor de RH.

Um infográfico da Officevibe mostra estatísticas importantes sobre o tema, como as seguintes:

  • 39% dos empregados relatam que não se sentem estimados no trabalho.
  • Os colaboradores têm o dobro de chances de não apresentar um bom engajamento se forem ignorados por seu gerente.
  • 4 a cada 10 trabalhadores ficam ativamente desengajados quando recebem pouco ou nenhum feedback.
  • 65% dos colaboradores dizem que gostariam de receber mais feedback.
  • Apenas 58% dos gerentes pensam que dão feedback suficiente.

A questão, portanto, atinge tanto os trabalhadores quando seus gestores. Além disso, fica evidente que a cultura do feedback deve ser implementada o quanto antes, o que pode melhorar consideravelmente a qualidade no ambiente de trabalho.

Deixe claro que a prática deve ser cultivada e aceita de maneira positiva, com opiniões sinceras e respeitosas que visam contribuir para o desenvolvimento de toda a equipe.

Confira também: Como motivar funcionários e aumentar a produtividade, segundo CEO do Walmart

2 – Não deixe o ego falar mais alto

Experiência de Hawthorne (1927-1932)

Os responsáveis pela gestão de pessoas devem ser exemplos para toda a equipe, o que significa que seu comportamento precisa ser exemplar. Isso também passa por trabalhar com naturalidade e humildade, sem querer parecer melhor do que os demais profissionais.

Quando você e os demais colaboradores do setor de RH (caso houver) fazem um bom trabalho, não deixe que o orgulho fale alto. Mantenha os pés no chão e mostre aos outros departamentos o que significa desenvolver uma cultura sustentável e de sucesso.

Aplique no Seu Negócio O Mesmo Sistema de Partnership (Sociedade) utilizado por empresas bilionárias como XP Investimentos, Ambev e Goldman Sachs

3 – Comunique-se de uma forma que a equipe pode entender

Teoria dos sistemas sociotécnicos (1949)

Os problemas de comunicação na empresa são atribuições essenciais no que tange à gestão participativa, pois todos precisam contribuir neste sentido, mas o departamento de RH tem um papel fundamental para evitá-los.

De acordo com David Grossman, em “The Cost of Poor Communications, pesquisa feita com 400 empresas com 100 mil colaboradores cada, foi citado um prejuízo médio de US$ 62,4 milhões por empresa por ano, tudo isso devido à comunicação inadequada com os colaboradores e entre eles.

Se comunicar não consiste apenas em falar, mas também assegurar-se de que as pessoas que ouviram realmente compreenderam a ideia que se quis expor. Em outras palavras, é preciso usar a linguagem da sua equipe para que ela entenda o que se deseja.

Para saber se este processo está sendo feito da maneira correta na gestão estratégica de pessoas, voltamos ao primeiro elemento deste conteúdo: o feedback.

Aprofunde-se no tema: Comunicação, capacitação e recrutamento: o papel do RH na inovação

4 – Conheça os colaboradores da empresa

coliving

coliving

Não há como fazer uma boa gestão de pessoas se você não conhecer a elas. Como dissemos anteriormente, os seres humanos são únicos e lidar com material humano é bem diferente de trabalhar com máquinas ou sistemas informatizados.

Por isso, é importante que os gestores de RH busquem conhecer as pessoas que trabalham na empresa, o que, inclusive, facilitará a comunicação e permitirá um relacionamento mais saudável.

Caso a empresa seja muito grande e tenha um número de colaboradores que torne inviável tal conhecimento, você pode analisar os registros em busca de um panorama, como nome, idade e função. Assim, os funcionários se sentirão ainda mais importantes, o que ajuda em sua satisfação e até mesmo no desempenho.

5 – Seja um adepto da tecnologia

Tecnologia de desempenho (1978)

Nós vivemos na era da tecnologia para otimização da gestão de pessoas, a qual também pode melhorar o funcionamento de vários outros setores nas empresas, em um movimento inevitável e irreversível.

Porém, ainda há o que evoluir em relação ao comportamento das empresas. De acordo com uma pesquisa da Futurum Research, 23,4% delas afirmam que são lentas ou estão para trás em relação à adoção da tecnologia, ou seja, mais de um a cada cinco negócios se comporta desta forma.

A mesma pesquisa mostra que 35,4% das empresas estão preocupadas em relação à sua habilidade de se adaptar à disrupção tecnológica a ocorrer nos próximos três anos, o que também é um indicador que merece atenção.

Assim como acontece com praticamente todas as áreas de uma companhia, a gestão de pessoas deve recorrer ao uso de tecnologias capazes de ajudá-la no desempenho de suas atividades, o que economiza tempo (e consequentemente recursos financeiros) e ajuda a ter um melhor desempenho.

Na pesquisa que vimos no início do artigo, feita pela ABRH-Brasil e pela Umanni, fica claro que a automação é bastante utilizada no setor, o que é totalmente compreensível, já que lidar manualmente com todos os processos da gestão estratégica de pessoas é cansativo e pode, inclusive, levar a falhas humanas.

É importante que a empresa separe uma parte de seu orçamento para disponibilizar ferramentas, softwares e sistemas do tipo, de modo a otimizar sua produtividade e eficiência. Se isso não for oferecido, converse com os responsáveis pelas finanças e pela tecnologia para fazer a solicitação e comentar sobre os potenciais benefícios.

6 – Incentive o treinamento e desenvolvimento da equipe

Gestão de time

Por mais capacitada e qualificada que for sua equipe (o que é excelente, diga-se de passagem), sempre há o que aprender para se tornar um profissional ainda melhor, o que reforça a necessidade do Treinamento e Desenvolvimento (T&D) na companhia.

De acordo com a 13ª Edição do Panorama do Treinamento no Brasil, relativa ao período de 2018/2019 e realizada pela ABTD, pela Integração e pela Carvalho & Mello, o investimento anual em T&D por colaborador é de R$ 746 no Brasil, valor que é de US$ 1.273 nos Estados Unidos.

Mesmo ao desconsiderar a variação de câmbio, o investimento no país norte-americano é 70,6% maior que no Brasil, diferença relevante e que mostra como a questão é encarada por diferentes nações.

Intervenha em favor do treinamento e desenvolvimento da equipe, o que faz parte de um projeto de gestão de pessoas que vise torná-las plenamente capacitadas ao desempenho de suas atividades, além de oferecer condições de evolução dos profissionais e, assim, colaborar para um time que atua com excelência.

Veja também: O Rapid representa para a educação o que as fintechs são para o mercado financeiro

7 – Assuma os riscos necessários

Liderança e gestão (1954)

Por último, mas não menos importante, você deve assumir certos riscos para atuar com a gestão estratégica de pessoas, algo que nem sempre se comenta, mas é fundamental.

Na verdade, toda decisão apresenta um certo risco de não dar certo, mas quando se fala sobre recursos humanos, é comum associar sua imagem a procedimentos perenes e sólidos, embora estes também sejam passíveis de falhas.

É claro que não queremos encorajar que você cometa erros, mas apenas te lembrar de que isso pode acontecer e, caso a situação se confirme, o ideal a fazer é analisar com calma e, então, tomar a melhor decisão possível. Afinal, como todos os departamentos podem errar, é natural que o direito também se estenda a você.

Aplique no Seu Negócio O Mesmo Sistema de Partnership (Sociedade) utilizado por empresas bilionárias como XP Investimentos, Ambev e Goldman Sachs

Gestão estratégica de pessoas: uma área desafiadora, mas recompensadora

Gestão Flywheel

Lidar com pessoas não é fácil, mas a área é indispensável para qualquer empresa, seja uma startup ou um player consolidado, já que são os recursos humanos que realmente movimentam os negócios, com todo o devido apoio da tecnologia. Felizmente, as dicas citadas podem facilitar cada processo e procedimento.

Você, profissional de RH, tem participação direta na gestão de pessoas da sua empresa. Portanto, dê o seu melhor para que a companhia cresça e se desenvolva e, assim, apresente um desempenho fantástico, o que é benéfico para todos os envolvidos.