Sobre Nós
Para Você

NOVO

Para Empresas
Conteúdos
Eventos
Game Changers
Tools
NOVO

Para Você

Avance na carreira e renove seus conhecimentos na mesma velocidade que o mundo muda: na do AGORA

Ver todos

Cursos

Certificações internacionais inovadoras que trazem o que há de mais atual em gestão para um mundo em transformação

Imersões

Imersões executivas presenciais nos mais avançados polos de inovação e empreendedorismo do mundo

Tools

NOVO

As ferramentas de inteligência artificial desenhadas para o seu negócio

Conteúdos

Conteúdo diário sobre inovação, empreendedorismo e os temas mais relevantes do AGORA para que você não perca nada


Miami além do bronze: por que a cidade está atraindo empresas brasileiras?

Miami tem um dos principais ecossistemas de negócios dos Estados Unidos, se conectando com a América Latina de forma estratégica.

Miami além do bronze: por que a cidade está atraindo empresas brasileiras?

, Jornalista

7 min

2 jan 2023

Atualizado: 4 jan 2023

Eu sinto em Miami a vibe que eu sentia no Vale do Silício 15 anos atrás” é uma das frases que Gustavo Trindade, diretor da Babson College Miami, brasileiro e ex-aluno da Babson, anda escutando dos fundadores de empresas que estão na cidade. 

A vibe é de todo mundo remando junto, tentando construir algo, só que com um jeito latino: “os players que estão aqui estão com boas intenções, querem crescer o bolo para que todo mundo se beneficie.”

Sim, a cidade famosa pelas praias e pelo turismo hoje concentra um dos polos mais relevantes para quem está pensando em globalização dos negócios. Para Gustavo, a ida das empresas brasileiras para lá é um movimento natural. 

Por que brasileiros estão fazendo negócio em Miami?

São mercados completamente diferentes, sim, mas é a capital da América Latina. Esses dois fatores entregam uma questão relevante: ao estar em Miami, as empresas brasileiras conseguem fazer conexão com as empresas latinas, mas também com os Estados Unidos. 

Entretanto, isso não é sinal de sucesso. “Os hábitos são mais parecidos e o jeito de fazer negócio também. Logo, a entrada por Miami é mais fácil, mas não é garantia de sucesso”, explica Gustavo.

Por quê? As mesmas vantagens que o brasileiro tem, como o fator cambial ao manter a equipe no Brasil e lucrar em Dólar nos EUA, todos os outros estrangeiros também vão ter. Então, é fundamental ter um modelo de negócio diferenciado e adaptado.

 “Se você conseguir identificar e adaptar seu produto para a realidade americana, Miami vai te ajudar a ter uma transição mais suave para o movimento global.” 


Uma das vantagens é ter talentos de fora do Brasil, abrindo possibilidades em outros lugares. Dessa forma, Miami pode ser um bumerangue para o resto do mundo. Outro ponto que Gustavo ressalta é que muitos imigrantes foram bem-sucedidos abrindo negócios nos EUA ou assumindo grandes cargos em empresas relevantes no cenário mundial. Eles mostram que é possível. “É tudo mentalidade: você cria um negócio atacando localmente e pensando globalmente.” 

Política aberta aos novos negócios: o ideal é transformar Miami na capital do capital

Gustavo está em Miami desde 2017, quando levou a Babson para lá -- a ideia era fazer a conexão com os empreendedores da América Latina a partir dali. Ele conta que a cidade os recebeu de braços abertos, principalmente o Prefeito Francis Suarez. 

As nossas reuniões eram como de empresa para empresa, calculando o que cada uma ganharia ao levar a Babson à cidade.” Na abertura da Escola em Miami, o prefeito participou do kickoff, se mostrando muito aberto e disposto a fazer com que novos negócios cheguem.

Ele sinaliza os seis pilares indicados para a transformação dos negócios que são: governo (criando incentivos e regras), academia (formando talento), empreendedores, investidores, grandes empresas (muitas startups são criadas para servir ou serem adquiridas por grandes empresas) e fundações/ONGs (que ajudam o ecossistema a ser mais forte).

“Quando você olha esses 6 pilares, o governo da Flórida faz um trabalho excelente”, diz ele. 

Miami (Foto: Danny Lehman via Getty Images)

Por que importa?

A América Latina é vista como um berço de oportunidades, abrindo portas para negócios que querem trazer soluções para estes lugares. Gustavo, inclusive, aponta a Cidade do México como um lugar com muito potencial para os negócios que fizeram sucesso em São Paulo: são cidades com questões parecidas. 

Miami, latina que só, tem apoiado empresários que buscam estes caminhos, mas que também querem prosperar no mercado americano. Ela facilita a entrada com um jeito parecido de fazer negócios, se tornando uma porta para o resto do mundo. Os incentivos políticos existem, muitos brasileiros estão por lá abrindo caminhos e apoiando quem quer se juntar. 

 

Leitura recomendada

A StartSe é uma das empresas brasileiras que está em Miami, sabia? Com a Babson College, apoiamos negócios que querem conhecer o ecossistema e entender como levar sua operação para lá. Quer saber como funciona? Clique aqui e conheça - a próxima turma vai no dia 30 de janeiro de 2023!

Banner imersão Miami 2.0 StartSe University


Assuntos relacionados

Imagem de perfil do redator

Jornalista focada em empreendedorismo, inovação e tecnologia. É formada em Jornalismo pela PUC-PR e pós-graduada em Antropologia Cultural pela mesma instituição. Tem passagem pela redação da Gazeta do Povo e atuou em projetos de inovação e educação com clientes como Itaú, Totvs e Sebrae.

Abra sua cabeça para as novas oportunidades!

Cadastra-se e receba diariamente o resumo do que importa com a análise do time StartSe!

Leia o próximo artigo