Sobre Nós
Para Você

NOVO

Para Empresas
Conteúdos
Eventos
Game Changers
Tools
NOVO

Para Você

Avance na carreira e renove seus conhecimentos na mesma velocidade que o mundo muda: na do AGORA

Ver todos

Cursos

Certificações internacionais inovadoras que trazem o que há de mais atual em gestão para um mundo em transformação

Imersões

Imersões executivas presenciais nos mais avançados polos de inovação e empreendedorismo do mundo

Tools

NOVO

As ferramentas de inteligência artificial desenhadas para o seu negócio

Conteúdos

Conteúdo diário sobre inovação, empreendedorismo e os temas mais relevantes do AGORA para que você não perca nada


Case de sucesso? Nubank alcança a marca de 70 milhões de clientes na América Latina

O Nubank continua divulgando números para reforçar sua presença no mercado brasileiro e latino-americano

Case de sucesso? Nubank alcança a marca de 70 milhões de clientes na América Latina

(Foto: Divulgação Nubank)

, conteúdo exclusivo

7 min

26 set 2022

Atualizado: 4 jan 2023

Conteúdo exclusivo Startups 

Depois de encher a bola de produtos como o Nubank Cripto e suas “caixinhas”, o neobanco agora está comemorando a marca de 70 milhões de clientes nos três países em que tem presença: Brasil, Colômbia e México.

O Brasil segue sendo o maior mercado da fintech, com 66,4 milhões de usuários, enquanto o México vem (bem) atrás com 3,2 milhões e a Nu Colômbia marca presença com modestos 400 mil clientes. Com seus mais de 66 milhões de clientes, o banco figura como a quinta maior instituição financeira do Brasil em número de clientes.

Contudo, algumas coisas devem ser observadas. Apesar do número ser expressivo, ele pode não representar toda a base de usuários realmente ativa na plataforma do neobanco. Segundo informações divulgadas no último relatório trimestral do Nubank, a empresa conta com cerca de 46,4 milhões de clientes ativos mensais. É menos que o total de usuários contabilizados, mas é bem acima de outros concorrentes digitais, como PicPay (13,890 milhões); Mercado Pago (13,371 milhões); Inter (11,930 milhões); e PagBank (10,216 milhões).

Para David Vélez, fundador e CEO do Nubank, os números mostram o crescimento acelerado da marca. “O Nubank é um projeto para as próximas décadas e seguimos firmes em nosso propósito de libertar todas as pessoas de qualquer complexidade em serviços financeiros no Brasil, México e Colômbia”, afirma o CEO.

Mitigando o risco

Com suas ações em franca queda durante praticamente o ano todo, depois que abriu seu capital no fim de 2021, o Nubank tenta minimizar seu perfil de risco através de relatórios ajustados e números “animadores”.

Para suavizar a queda, a empresa vem “cantando o sucesso” de algumas de suas iniciativas junto aos clientes, como a adoção massiva do Nubank Cripto, serviço de compra e venda de criptomoedas que passou da marca 1 milhão de clientes investindo em moedas digitais.

Outro produto que a empresa “encheu a bola” foram as caixinhas de investimento, que foram liberadas para a base geral de clientes, e saltou de de 500 mil para 2,25 milhões de caixinhas criadas.

Contudo, olhando para a bolsa, parece que isso não fez muita diferença. De janeiro até agora, a emprsa viu suas ações caírem de mais de R$ 10 por papel para cerca de R$ 4,17 na B3. A queda fez o banco tomar atitudes drásticas nas últimas semanas, anunciando um plano de deixar de ser listada como companhia de capital aberto na B3, e mantém o status apenas na bolsa de Nova Iorque (NYSE).

O projeto foi divulgado este mês ao mercado e terá início após as aprovações da CVM e da B3. Com a mudança, os BDRs da empresa continuarão disponíveis para negociação no mercado de ações brasileiro e seguem representando um sexto de uma ação Nu listada nos EUA.


Assuntos relacionados

Imagem de perfil do redator

O mais conceituado portal sobre startups do Brasil. Veja mais em www.startups.com.br.

Abra sua cabeça para as novas oportunidades!

Cadastra-se e receba diariamente o resumo do que importa com a análise do time StartSe!

Leia o próximo artigo