Startup oferece “almoço grátis” em troca de avaliações de restaurantes

Tainá Freitas

Por Tainá Freitas

15 de janeiro de 2018 às 14:55 - Atualizado há 3 anos

Logo ReStartSe

GRATUITO, 100% ONLINE E AO VIVO

Inscreva-se para o Maior Programa de Capacitação GRATUITO para empresários, gestores, empreendedores e profissionais que desejam reduzir os impactos da Crise em 2020

Gerir um restaurante não é fácil. São muitas as diretrizes que devem ser avaliadas: qualidade, cardápio, preço, infraestrutura, localização, atendimento… Além do próprio rendimento, como avaliar se o restaurante está em uma boa fase? Como saber quais são os pontos fortes e o que deve ser melhorado?

Essas são algumas das perguntas que a startup “Almoço Grátis” responde. Foi justamente experimentando um péssimo atendimento que os fundadores Lucas Pimenta e Daniel Modenesi tiveram a ideia da startup. Eles perceberam que os donos dos restaurantes não tinham ideia do que os consumidores achavam dos estabelecimentos.

O nome da startup lembra a famosa frase, sem autoria conhecida, de “Não existe almoço grátis”. Os clientes que participam da Almoço Grátis recebem a refeição de graça (ou com desconto, dependendo do valor), mas pagam através de uma outra moeda valiosíssima: a opinião. A Almoço Grátis fornece vouchers – de valores suficientes para consumirem uma refeição média nos estabelecimentos – para que os consumidores realizem uma refeição e respondam uma pesquisa de 45 perguntas, informando sua experiência no estabelecimento.

No caso, os clientes funcionam como avaliadores ocultos e fazem as refeições normalmente, pagando e recebendo um reembolso depois que as 45 respostas (válidas) são enviadas. É avaliado desde o produto, atendimento, infraestrutura até a percepção emocional, para entender a relação do consumidor com a marca.

As avaliações são realizadas a partir de um sistema de match-making, que conecta perfis de consumidores semelhantes ao dos estabelecimentos. A partir das respostas, são gerados relatórios automáticos que reúnem desde o número de acompanhantes, índice médio de satisfação, NPS, média de custo x benefício e probabilidade de retorno.

São mensurados através de uma dashboard desde a apresentação do produto, a quantidade das porções, tempo de espera para servir as bebidas, para sentar à mesa até a limpeza de utensílios e iluminação. É a experiência completa da jornada do cliente.

Além disso, o sistema ainda reúne as avaliações em gráficos de “muito satisfeito”, “satisfeito”, “neutro”, “insatisfeito”, “muito insatisfeito”.

Modelo de negócios

A Almoço Grátis oferece mensalidades para os restaurantes, o que possibilita sempre vouchers para os consumidores, e pesquisas constantes. Por isso, é possível avaliar como o negócio está sendo gerido e avaliado mês a mês, observando mudanças.

“A medida que recebemos cada vez mais respostas, o próprio algoritmo vai entendendo o padrão de comportamento do mercado e gera senso comparativo. O restaurante não só levanta dados próprios, mas o aprendizado que o nosso algoritmo teve consegue posicionar o restaurante contratante dentro do cenário do mercado. Conseguimos falar: ‘A sua apresentação do produto, ou o sabor do produto está 30% a baixo do mercado’”, comenta Lucas Pimenta, CEO e fundador da startup.

Pelos clientes receberem vouchers de desconto nas refeições, a Almoço Grátis percebeu que acabam consumindo mais do que o ticket médio dos restaurantes. “Em média, os nossos usuários gastam 51% a mais do que o valor de reembolso. E em 69% das vezes, ele leva um acompanhante, e esse acompanhante não tem direito a reembolso”, afirma Pimenta.

Com quase 1 ano de atuação, a startup possui aproximadamente 200 restaurantes em sua base, e já viabilizou 5 mil pesquisas. Entre os restaurantes clientes, estão o Spoleto, Chopp Brahma, Los Paleteros, Pizza Hut, entre outros. Atualmente, atende no Espírito Santo, Rio de Janeiro e está trazendo o serviço para São Paulo.

A Almoço Grátis ainda realiza pesquisas concorrenciais, para avaliar as opiniões dos clientes sobre os concorrentes.

O cliente oculto

Os avaliadores são anônimos, mas, para se cadastrarem na Almoço Grátis, preenchem um relatório para um mapeamento de perfil. Entre algumas das informações analisadas, estão desde CEP de residência à renda mensal, para alocar os consumidores certos aos estabelecimentos.

“Não somos uma plataforma de desconto. Somos uma plataforma de inteligência de dados que entrega um conjunto de visões estratégicas para alcançar a nossa missão que é de melhorar o padrão dos restaurantes”, comenta o CEO.

Os clientes pegam um voucher e comem normalmente no restaurante, pagando a conta. Depois, colocam a nota fiscal na plataforma da Almoço Grátis, respondem o questionário em até 10 dias da visita e recebem o reembolso do valor combinado (disponível na escolha do voucher). O valor não é fixo, pois uma refeição média em cada restaurante é variável. A refeição pode sair de graça ou ter um desconto – depende do consumo do cliente.

Para os avaliadores, é uma forma de conhecer novos locais e avaliá-los anonimamente, recebendo um desconto no processo. “Quando ocorre algo errado no restaurante, a gente reclama com o garçom e ele sempre concorda, mas ele não é o melhor canal para a reclamação. O Almoço Grátis faz essa nossa reclamação chegar a pessoa que realmente vai resolver”, Marcelo Motta, usuário da plataforma, escreveu em uma recomendação.

Próximos passos

A startup recebeu um investimento-anjo inicial de R$ 125 mil e agora, deve realizar uma rodada de investimentos de R$ 500 mil. Para saber como captar investimentos para startups, participe do Invest Class – uma aula com os maiores investidores-anjo do Brasil.

O aporte será usado na expansão do serviço em São Paulo e Belo Horizonte, para aumentar exponencialmente o nível de ofertas.

A longo prazo, o objetivo da startup é a internacionalização da plataforma, que já está disponível em inglês.

[php snippet=5]

Cursos Startse para você iniciar: