Como o empreendedorismo pode ser aplicado na sua carreira?

João Gobira

Por João Gobira

24 de março de 2020 às 13:59 - Atualizado há 2 meses

Logo ReStartSe

GRATUITO, 100% ONLINE E AO VIVO

Inscreva-se para o Maior Programa de Capacitação GRATUITO para empresários, gestores, empreendedores e profissionais que desejam reduzir os impactos da Crise em 2020

Nem só de criar um negócio do zero vive o empreendedor. Sabia que dá para aplicar o empreendedorismo na sua carreira, mesmo como profissional “carteira-assinada” de uma empresa?

Quando alguém reúne as características da ‘mentalidade empreendedora’, apesar de não ter a própria empresa, está aplicando o empreendedorismo à sua carreira.

O empreendedorismo como opção de carreira, ou como alguns gostam de chamar, o ‘sentimento de dono’ – é o ato de encarar a sua própria carreira como um empreendimento.

Assim, quem tem o ‘sentimento de dono’ é capaz de enxergar novas oportunidades de gerar resultados para a empresa, tirar projetos do papel, ter visão de futuro, entre outros comportamentos típicos de quem é empreendedor.

Afinal, a grande maioria dos empreendedores que hoje são CEO’s ou executivos ‘C-level’ começou com a ‘simples’ vontade de mudar, transformar ou melhorar alguma coisa no mundo.

Aliás, um estudo da Universidade de Deakin na Austrália mostra que os ‘profissionais do futuro’ serão capazes de combinar habilidades técnicas como interpretar dados e criar algoritmos e  ao mesmo tempo desenvolver adaptabilidade, resiliência e outras capacidades empreendedoras.

No futuro onde as profissões que conhecemos hoje sequer vão existir, estas habilidades farão total diferença na carreira profissional das pessoas e serão responsáveis por mantê-las competitivas no mercado de trabalho.

Habilidades empreendedoras valorizadas no mercado de trabalho

O que é o engajamento de equipes?

Trabalhar de forma independente, com menos supervisão de gerentes e com foco em resultado e produtividade são habilidades empreendedoras valorizadas em todas as empresas. 

Originalidade e fluência de ideias, estratégias de aprendizado ativo, capacidade de definir objetivos, curiosidade, saber ouvir feedbacks e aplicar conhecimento de maneira pró-ativa também são características empreendedoras muito importantes para profissionais no futuro.

Observando as habilidades exigidas nos anúncios de emprego, essa mesma pesquisa australiana mostra que “a proporção de empregos que exigem pensamento crítico aumentou 158%, enquanto a busca por profissionais com habilidades de criatividade cresceu 65% e as habilidades de apresentação teve um salto de 25%.

Não é coincidência que estas habilidades também estejam presentes no dia a dia do empreendedor.

Inclusive, muitos especialistas acreditam que, como as capacidades das máquinas se expandem, no futuro, os jovens precisarão de menos educação em ciência, tecnologia, engenharia e matemática e poderão ter mais tempo para focar em habilidades como design thinking, empreendedorismo e criatividade para se prepararem para carreiras empreendedoras.

Veja mais exemplos de habilidades empreendedoras que podem ser aplicadas às empresas:

  • Autoconfiança
  • Autonomia
  • Automotivação
  • Auto gerenciamento
  • Comunicação
  • Criatividade
  • Entusiasmo pelo aprendizado
  • Pensamento crítico
  • Resolução de problemas
  • Alinhamento com um propósito
  • Alfabetização digital
  • Alfabetização financeira

fortaleça a sua carreira - crie oportunidades para a sua carreira

Como aplicar o empreendedorismo à sua carreira?

  • Comprometimento e sentimento de dono: responsabilizar-se por fazer os projetos andarem, ter interesse pelas coisas que acontecem na empresa e estar alinhado com os objetivos da empresa são os primeiros passos para quem quer desenvolver o ‘sentimento de dono’.
  • Resolva problemas: sabe aquela famosa frase: ‘não é do meu departamento?’ isso não existe para quem quer aplicar o empreendedorismo à sua carreira. No dia a dia, resolver problemas deve ser tão natural quanto fazer reuniões ou dar feedback.
  • Faça as coisas da forma mais eficiente possível: preocupar-se em tomar decisões que vão gerar resultados melhores, evitar retrabalho e ir além, encontrando soluções mais eficazes, são outras formas de pensar como um empreendedor.
  • Crie sempre novas oportunidades de negócio: desenvolver a habilidade de se comunicar e de criar novos relacionamentos e estar atento às necessidades do mercado e as demandas de consumidores vai te ajudar a criar oportunidades de negócio incríveis para a empresa onde você trabalha.

Porque estudar empreendedorismo

Estudar empreendedorismo é fundamental tanto para quem vai criar o próprio negócio do zero, quanto para quem quer olhar a carreira profissional de forma mais estratégica.

Com as ferramentas certas, cursos online sobre empreendedorismo, mentorias e boas fontes de informação, é possível lançar produtos e serviços inovadores no mercado e obter sucesso como empreendedor, mesmo para quem ainda está começando.

Veja alguns bons motivos para estudar empreendedorismo:

Porque começar um negócio ou projeto apenas por vontade pode ser uma furada

Ter vontade e coragem é muito importante, mas infelizmente não é suficiente para ser um empreendedor bem-sucedido.

Sem estudar o empreendedorismo, seus fatores de sucesso (e de fracasso) – dificilmente você chegará a algum lugar.

A falta de conhecimento, além de limitar a tomada de decisão em momentos-chave, pode se tornar a causa da morte de uma empresa.

Segundo o IBGE, a taxa de empresas que sobrevivem no mercado tem diminuído ano a ano. Já o Sebrae mostra que, de cada 4 empresas abertas, 1 fecha antes de completar 2 anos de existência no mercado.

Por isso, vale a pena diminuir os riscos e aprofundar seu próprio conhecimento sobre modelos de negócio e as principais tendências de mercado.

Pense assim: se o seu concorrente vai abrir um negócio igual ao seu, mas tem zero interesse em estudar empreendedorismo, automaticamente você já está um passo à frente dele.

fortaleça a sua carreira - crie oportunidades para a sua carreira

Temas comuns de estudo para empreendedores

  • Novas Tecnologias: Cloud Computing, Compliance, Biotech, Inteligência Artificial, Big Data, Internet of Things;
  • Futuro das indústrias: Agro e Food Tech, Learning & Education Tech, Commerce & Retail Tech, Insurance & Fintech;
  • Novas habilidades: Capacidade analítica, como inspirar e engajar pessoas, visão de futuro.
  • Nova gestão: Trabalhar com dados, novas práticas de gestão, como surpreender clientes, tendências de consumo.

Falta de conhecimento é principal ‘causa de morte’ das empresas

Segundo uma pesquisa do Sebrae, as ‘causas’ de morte das empresas estão, na maioria das vezes, relacionadas à falta de experiência, mas sobretudo, ao déficit de conhecimento dos empreendedores.

Ao abrir a própria empresa, parte dos empreendedores, por exemplo, não levanta informações importantes sobre o mercado e mais da metade não realiza o planejamento de itens básicos antes do início das atividades da empresa.

Falta de conhecimento é principal ‘causa de morte’ das empresas

taxa de novos estudos do empreendedorismo

Fonte: Sebrae

Porque a Nova Economia torna as mudanças nos negócios muito mais rápida

Entender como montar um plano de negócio, como validar uma ideia e como construir um MVP (Mínimo Produto Viável) vai te ajudar muito na sua carreira empreendedora, porém este é apenas o começo.

Isso porque o processo de se requalificar e manter-se atualizado com tendências de mercado, métodos eficientes de gestão e de aprender novas formas de empreendedorismo é contínuo.

Uma vez que a tecnologia evolui de forma exponencial e se torna mais acessível, melhor e mais barata e novos hábitos de consumo são criados, muitas oportunidades de empreendedorismo surgem, ao mesmo tempo que os velhos modelos de negócio perdem totalmente o sentido de existir.

A nova economia fará com que startups e empresas mais eficientes e valorosas ganhem mais espaço no mercado em um intervalo de tempo cada vez mais curto. 

Porque a Nova Economia torna as mudanças nos negócios muito mais rápida<

https://www.startse.com/quem-somos

Para encontrar seu propósito e trabalhar com o que você ama

Quando se estuda empreendedorismo se aprende a descobrir novos talentos em você mesmo(a) e principalmente a entender o seu propósito e o que você ama fazer.

Empreender também quer dizer que você se identifica com algo (uma causa) e que está disposto(a) a desenvolver novas soluções e ações com foco em resolver um problema. 

Além disso, estudar empreendedorismo pode ser uma ótima forma de exercitar o autoconhecimento e colocar em prática projetos que você nunca teve a chance de realizar.

Você aprende a calcular riscos que serão importantes para alcançar produtos e serviços inovadores, aprende mais sobre si mesmo, seus limites, a se automotivar e a criar estratégias para alcançar seus objetivos.

Porque ensinar empreendedorismo na escola

Tecnologia de desempenho (1978)

A falta de ‘aptidão’ para empreender e o déficit de conhecimento e das habilidades empreendedoras poderia ser resolvido caso o empreendedorismo fosse ensinado na escola.

Mas mesmo para aqueles que não pretendem ser empreendedores, aprender empreendedorismo é bastante útil. 

Assim como o português, a matemática, a história ou as ciências, o empreendedorismo contribui para formar pessoas para entender as demandas da própria sociedade.

Com uma disciplina focada no empreendedorismo, os alunos estariam aptos a estimular mais a imaginação e a aplicar a criatividade para criar soluções de valor (princípio da inovação).

Assim teríamos jovens mais críticos, criativos, adaptativos, comunicativos, comprometidos, capazes de resolver problemas.

Além disso, segundo pesquisas, a queda do número de postos de trabalho tradicionais é um dos justificadores do aumento da Taxa de Atividade Empreendedora (TAE) no Brasil, que chegará a representar 17% da população economicamente ativa em 2020.

Por isso, além de agregar muito valor à carreira desses jovens antes mesmo de ingressarem em uma universidade, a habilidade de empreender faz parte do futuro do trabalho.

Por que o empreendedorismo de palco irá te destruir

Gestão Flywheel

Como o empreendedorismo cresceu muito nos últimos anos e é considerada uma atividade em alta, ele também acaba ficando na mira dos oportunistas. 

Fórmulas que prometem sucesso, fama e dinheiro instantâneos, discursos inflamados e ultra motivados para fazer qualquer um se tornar o Jeff Bezos… Estas são algumas ‘iscas’ que podem fazer o empreendedorismo de palco te destruir.

É importante prestar atenção ao que você lê nas redes sociais, ouve nos eventos de empreendedorismo ou assiste no YouTube. Aconteça o que acontecer, lembre-se das seguintes premissas:

Empreender não é uma saída para todos os problemas

Gestão de time

Se você está descontente com a empresa onde trabalha e vê no empreendedorismo uma saída para se livrar do ‘chefe chato’, temos uma má notícia para você: empreender não vai resolver todos os seus problemas.

Não faça do empreendedorismo uma terapia de autoajuda. O empreendedorismo é 90% ‘ralação’, noites sem dormir e suor e os outros 10% são coragem, foco e determinação. O que vai resolver o seu problema é ter um objetivo claro de onde você quer chegar e correr atrás para cumprir esse objetivo.

Empreender não é uma forma de ficar mais rico

Ser empreendedor não vai te deixar mais rico de uma hora para outra. Muitas empresas demoram vários anos para começar a gerar lucro. 

Até mesmo as que estão avaliadas em bilhões de dólares no mercado, como é o caso do Uber e WeWork, por exemplo, ainda ‘patinam’ para saírem do ‘zero a zero’.

Sem um planejamento financeiro estruturado antes mesmo de começar o seu negócio, sua startup pode ir de sonho a pesadelo em pouquíssimo tempo.

Não é a toa que, em 2017, as empreendedoras e CEOs Mara Zepeda, Aniyia Williams, Astrid Scholz e Jennifer Brandel levantaram a discussão “zebras x unicórnios”.

De um lado estão as empresas unicórnios que estão nos holofotes da mídia, do outro, empresas ‘zebras’ que buscam ser financeiramente viáveis e têm foco na rentabilidade.

Para ser empreendedor não basta ter força de vontade

O empreendedorismo de palco prega que para ser empreendedor basta força de vontade para criar uma empresa bilionária.

Trata-se de uma meia verdade. Apesar de a força de vontade ser um elemento importante e bastante presente na mentalidade dos empreendedores, a maioria dos resultados só aparece se houver muito estudo, planejamento e tentativa e erro envolvido. 

Afinal tomar decisões importantes que podem mudar totalmente o destino de uma empresa ou criar formas de otimizar gastos e aumentar a rentabilidade nunca dependerá apenas de sorte.

Por isso é preciso tomar cuidado e separar o trigo do joio. Preste atenção e faça sempre as seguintes perguntas para você mesmo quando estiver diante de um conselho:

  • Este conselho é uma estratégia realmente útil para o meu negócio?
  • Este conselho faz sentido para o meu ramo específico de empresa?
  • Este conselho tem base em estatísticas, estudos de caso ou outras formas práticas que podem mensurar o sucesso de uma determinada ação?
  • Quem está compartilhando este conselho? Ele já foi empreendedor ou tem experiência com gestão de empresas? 
  • Como estão as empresas que esta pessoa ajudou a gerenciar?
  • Existe alguma probabilidade desta pessoa querer te vender algum serviço/produto que ela mesma comercializa?
  • Este conselho usa palavras como ‘fácil’, ‘rápido’ ou ‘barato?’
  • Este conselho usa argumentos agressivos para te convencer a fazer alguma coisa?

No empreendedorismo, como em qualquer outra atividade, o resultado só acontece depois de muito esforço, estudo e dedicação. Ao invés de milagre ou fórmulas prontas que levam ao sucesso, existe muito trabalho, testes que dão errado e noites sem dormir para fazer com que dê certo.

Para cada empresa unicórnio existe uma zebra cavando formas de fazer mais com menos, estudando modelos de negócio que deram certo, fazendo contas, monitorando a operação da empresa diariamente e olhando para o futuro para estarem sempre um passo à frente.