Loggi recebe US$ 100 milhões do SoftBank para expandir o seu serviço

Com o investimento, além de melhorar sua plataforma de tecnologia, a empresa investirá em robótica e engenharia, de olho no rápido crescimento do e-commerce, que este ano deve aumentar suas vendas em 12%

0
shares

No começo deste ano, divulgamos que a SoftBank estava planejando investir US$ 150 milhões na Loggi, uma startup brasileira de entregas. Devido ao rápido crescimento do comércio eletrônico do país, o Vision Fund, fundo de investimento da SoftBank focado em startups, decidiu tornar real o aporte e investiu US$ 100 milhões na última terça-feira (16), de acordo com informações da Bloomberg.

Com sede em São Paulo, a Loggi direciona os pedidos para os sistemas de entrega mais próximo, desde motoboys até vans. Ao contrário de suas concorrentes, a plataforma atende tanto ao transporte de mercadorias em geral quanto à entrega de alimentos - o que permite que motoristas alternem as opções de entrega de acordo com a sua disponibilidade.

 Fundada em 2013, a empresa já arrecadou mais de US$ 3 milhões da Qualcomm Ventures e do Dragoneer Investiment Group. A rodada anterior realizada no começo do ano passado, foi de US$ 15 milhões, investidos pela Microsoft e IFC Venture Capital Group. Nesta última rodada, na qual o Softbank aportou US$ 100 milhões, a startup também está levantando outros US$ 11 milhões em investimento, o que totaliza mais de R$ 400 milhões na cotação do dólar do dia. Essa não é a primeira vez que o SoftBank aposta em startups de entrega. No início deste ano, o fundo da gigante japonesa liderou um investimento de US$ 535 milhões na DoorDash, um aplicativo que entrega comida sediado em São Francisco, e comprou 15% da Uber, que hoje transporta tanto pessoas quanto alimentos.

O fundo está ciente das particularidades do Brasil e afirmou, inclusive, que sabe que “a logística brasileira é fragmentada, ineficiente e sub-investida”, o que torna o mercado “atraente para a interrupção”, disse Akshay Naheta, sócio do SoftBank. "Acreditamos que a Loggi é a líder de mercado e está desbloqueando o crescimento da economia on-demand", acrescenta. A oportunidade é enorme para a startup, uma vez que, segundo Fabien Mendez, cofundador da Loggi, o grande problema do Brasil é a logística. “O Brasil está carente de boa conectividade. Aqui pode levar uma média de 10 dias para uma entrega de e-commerce”, diz. Com o rápido crescimento do e-commerce, que deve aumentar suas vendas em 12% para US$ 13,7 bilhões este ano, será necessário subverter o cenário brasileiro - no qual a maioria das entregas ainda são feitas por caminhões de grande porte e em estradas ruins -, e a Loggi, com a ajuda do SoftBank, está buscando reverter essa realidade.

Com o investimento, além de melhorar sua plataforma de tecnologia, a Loggi investirá em robótica e engenharia. Atualmente, a startup gerencia 12 mini-hubs em toda a cidade de São Paulo, onde os pacotes chegam para serem classificados em rotas eficientes em relação ao tempo e custo. Em seguida, os motoristas são escolhidos em menos de uma hora. Mendez, o cofundador da startup, também está empenhado em expandir a Loggi para outras regiões, além das grandes cidades.

Junte-se a mais de 400.000 Empresários e Profissionais Para Conhecer os Negócios Mais Disruptivos do Mundo!

switch-check
switch-x
Nova Economia
switch-check
switch-x
Empreendedores
switch-check
switch-x
Investimentos
switch-check
switch-x
Startups
switch-check
switch-x
Ecossistema

Comentários