Peer-to-peer lending: entenda o que é e quais os seus riscos

O modelo de empréstimo entre pessoas, sem interferências de um banco, tem ganhado cada vez mais espaço no Brasil e no mundo com a expansão das fintechs

0
shares

Você sabe o que é peer-to-peer lending? O termo se refere à empréstimos realizados entre pessoas sem interferências de um banco, por meio de uma plataforma digital. Também conhecido como P2P ou P2P lending, o modelo está inserido na economia compartilhada, e tem ganhado cada vez mais espaço no Brasil e no mundo, com a expansão de fintechs. Para saber mais sobre o impacto das fintechs no mercado financeiro e seus benefícios para as pessoas, leia A Revolução das Fintechs e assista a websérie educativa Fintech Revolution.  

Na maneira tradicional, os investidores aplicam seu dinheiro em um banco, que repassa ao cliente que precisa de um empréstimo. Dessa forma, as instituições financeiras lucram cobrando uma quantia mais alta de quem recebe o dinheiro comparado ao que paga ao investidor. No fim, as taxas de juros são altas e os investidores não têm um retorno tão grande.

Neste contexto, surgiram as empresas de peer-to-peer lending. Com estruturas enxutas, todo o processo é feito online, com custos muito menores e sem burocracias. O modelo é bom para os dois lados: enquanto os investidores conseguem melhores remunerações, os juros acabam sendo mais baixos, assim como as taxas de inadimplência.

No Brasil e no mundo

O peer-to-peer lending surgiu no Reino Unido, em 2005, com o lançamento da plataforma digital Zopa. O modelo se tornou popular lá fora, ganhando espaço no mundo todo, principalmente nos Estados Unidos, que hoje é o maior mercado de P2P lending.

No Brasil, ele vem ganhando espaço desde 2011, com o surgimento de empresas como Nexoos, Biva e BancaClub. Em dois anos, a Nexoos, por exemplo, emprestou R$ 8,3 milhões para empresas de tecnologia. Já a Biva, no mesmo intervalo de tempo, intermediou financiamentos equivalentes a mais de R$ 24 milhões para mais de mil empresas em todos os estados brasileiros.

Os empreendedores que buscam um empréstimo passam por uma avaliação e precisam ser aprovados de acordo com uma série de critérios. Quando uma solicitação de empréstimo é criada na plataforma, os investidores escolhem o quanto querem investir.

Vale a pena?

Os juros praticados no P2P lending podem variar de acordo com o resultado da análise de crédito e prazo para o empréstimo. Assim como outros investimentos, ele tem seus riscos, já que o investidor pode ser prejudicado pelo não pagamento das parcelas.

Para evitar que isso aconteça, o recomendado é diversificar os investimentos e analisar as características de cada projeto. Além disso, no modelo P2P lending, cada investidor costuma colocar uma parte do recurso solicitado, suavizando os riscos em uma espécie de “empréstimo coletivo”.

Atualize-se em apenas 5 minutos


Receba diariamente nossas análises e sinta-se preparado para tomar as melhores decisões no seu dia a dia gratuitamente.

Comentários