Em uma comunidade no interior do RJ, empreendedor cria startup premiada

Daniel Paiva, fundador da Constructweb, revelou em entrevista exclusiva à StartSe os desafios de empreender na periferia: “Tem dia em que eu paro de trabalhar por conta do barulho de tiroteio”

João Ortega

Por João Ortega

27 de fevereiro de 2020 às 17:21 - Atualizado há 1 mês

A Constructweb é uma plataforma digital para gestão de obras. A construtech busca organizar fluxos, reduzir custos e ajudar gestores e engenheiros a controlar prazos. A ferramenta tem uma versão para desktop, que permite acompanhar o andamento da obra de forma remota, e um aplicativo para dispositivos móveis, utilizado pelos profissionais no campo.

Os serviços da Constructweb levam eficiência ao setor da construção civil, que, no Brasil, ainda é pouco adepto das soluções digitais. Pela eficiência que traz a este mercado, a construtech foi premiada pelo ranking 100 Open Startups em 2018, tanto na lista geral quanto entre as empresas deste setor, e novamente em 2019 na lista das construtechs.

Daniel Paiva, fundador da startup, é um caso pouco comum de empreendedor que vem da periferia, longe dos principais polos de inovação do país. Ele desenvolve o projeto em Miracema, sua cidade natal, que fica no interior do Rio de Janeiro.

Empreendendo na periferia

A cidade de Miracema liderou um levantamento feito pela Fundação Getúlio Vargas sobre o crescimento da violência no Estado do Rio de Janeiro. Entre 2003 e 2018, cresceu em 7% o número de homicídios neste município, o pior índice da região. Hoje, Miracema tem apenas 26 mil habitantes.

“Eu moro em zona de conflito”, revela Daniel Paiva, em entrevista exclusiva à StartSe. “Tem dias em que eu paro de trabalhar por causa do barulho de tiroteio”. O fundador da Constructweb reconhece que a trajetória empreendedora sempre traz desafios, mas ressalta que os obstáculos para quem vem da periferia são maiores.

De acordo com pesquisa realizada pelo Instituto Locomotiva, 90% dos moradores de favelas já fizeram algum tipo de ação criativa para aumentar sua renda. Segundo pondera Renato Meirelles, presidente da organização, “existe uma vontade de empreender, mas dentro deste contexto social pode ser único meio de ganhar dinheiro”. Por outro lado, 76% das pessoas que moram nas comunidades pesquisadas já se sentiram discriminados e sentem ter menos oportunidades que os demais.

Neste contexto, Daniel Paiva afirma que já ouviu prognósticos negativos e preconceituosos, mas nunca deixou que estas palavras o desviassem de sua trajetória empreendedora. “Muitos já me falaram: você mora em periferia, você é neguinho, você não vai conseguir”, recorda.  “Hoje eu estou em uma das melhores aceleradoras, ganhei dois prêmios consecutivos na 100 Open Startups e sigo na batalha”.

Constructweb

A origem da Constructweb vem de 2015, quando Daniel Paiva trabalhava em uma construtora. Ele aprendeu a programar assistindo a vídeos no YouTube e criou uma plataforma digital para auxiliar nos processos da sua própria rotina. “Serviço era muito manual. Planilha de Excel era o que tinha de mais tecnológico, era daí para baixo”, recorda.

Quando saiu daquela empresa, Daniel Paiva percebeu que tinha criado uma ferramenta valiosa, mas não sabia exatamente como vendê-la. Foi neste momento de sua trajetória que ele começou a pesquisar sobre empreendedorismo e descobriu que a plataforma digital era o primeiro passo para criar sua própria startup. “Eu tinha uma startup na mão e não sabia”, disse em entrevista ao Valor Econômico.

Entre 2016 e 2018, mais de 500 clientes fizeram o download da plataforma e ajudaram o empreendedor a melhorar o serviço por meio de feedbacks. Em 2019, a Constructweb passou no processo seletivo da aceleradora Spin, em Florianópolis, e entrou na comunidade de construtechs do MitHub, em São Paulo.

Mais próximo da comunidade de inovação, Daniel Paiva definiu que havia chegado o momento de aprimorar a plataforma e prepará-la para o lançamento 2.0, que deve ocorrer em 2020. O principal objetivo é agregar algoritmos de inteligência artificial à solução. “Queremos automatizar mais o trabalho do engenheiro e do gestor a partir dos dados que eles inserem”, revela.

Hoje, Daniel conta com dois sócios, sendo um CTO, especialista na área de tecnologia, e um investidor. Além de focar nas melhorias da Constructweb, o fundador da startup afirma continuar investindo na própria carreira por meio da educação. “Empreendedor sempre tem que estar estudando, estar atualizado. Leio bastante, faço cursos, assisto a palestras com outros empreendedores”, diz.