Como a China usa inovação na construção civil para combater o coronavírus

João Ortega

Por João Ortega

3 de fevereiro de 2020 às 17:48 - Atualizado há 9 meses

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

Nesta segunda-feira (3), foi inaugurado em Wuhan, na China, um hospital com mil leitos dedicado ao tratamento de pacientes afetados pelo coronavírus. O Hospital Huoshenshan recebeu destaque na mídia internacional porque sua construção durou apenas dez dias – um prazo que seria impossível para a maioria dos países do mundo.

As tecnologias avançadas para o setor de construção na China possibilitam obras emergenciais de curta duração. No caso específico do hospital de Wuhan, foi utilizada uma técnica de construção pré-fabricada, com base na planta de uma obra realizada no início do século.

A REINVENÇÃO DA CONSTRUÇÃO CIVIL: Participe do ConstruTech Conference 2020

Tecnologia para construção na China

Eficiência é a palavra de ordem na China. Construir um hospital de 25 mil m² em dez dias começando do zero é uma missão quase impossível. Por isso, os responsáveis pela obra utilizaram uma planta do Xiaotangshan, um hospital construído em 2003 para tratar de pacientes do SARS – outro vírus epidêmico que causou centenas de mortes no país. Assim, toda a etapa de projeto foi dispensada.

Na construção pré-fabricada, o empreendimento é dividido em módulos, que são produzidos em uma fábrica para depois serem transportados ao local da obra. Com a planta do hospital já pronta, bastou levar o projeto para o sistema que integra todos os equipamentos da fábrica e iniciar a produção de alta velocidade.

Hoje, a China é um dos líderes mundiais em smart factories (fábricas inteligentes), em que tecnologias como robótica, 5G e Internet das Coisas, entre outras, são utilizadas para aumentar eficiência da produção. Neste sentido, a indústria 4.0 torna-se complementar ao setor de construção e agiliza o processo em obras emergenciais, como é o caso do hospital Huoshenshan.

A tecnologia para o setor de construção civil está transformando o setor não apenas na China, como em todos os polos de inovação do mundo. No entanto, muitas empresas deste mercado no Brasil ainda não utilizam tecnologias disruptivas em seus negócios. Neste sentido, a ConstruTech Conference 2020 é o evento de educação que leva as principais inovações para o setor de construção para empreendedores brasileiros. 

Coronavírus

Até esta segunda-feira (3), foram confirmadas 304 mortes decorrentes da contaminação do coronavírus. Na China, foram diagnosticados mais de 13 mil casos, sendo dois mil apenas na região de Wuhan.

A epidemia faz com que as maiores empresas de tecnologia da China reúnam esforços em prol da saúde pública. Alibaba, Tencent e Baidu, entre outras, disponibilizam fundos, equipamentos e soluções digitais para auxiliar a população em diversas frentes de combate ao vírus.

A equipe da StartSe na China relata nas redes sociais o dia-a-dia nas principais cidades do país. Apesar de algumas recomendações do governo alterarem a rotina da população – como usar máscaras e evitar aglomerações –, a maioria dos serviços continuam operando na maior potência inovadora do Oriente. Veja o primeiro relato a seguir: