Sobre NósPara Você
Para EmpresasConteúdos
Eventos
Game Changers

Para Você

Avance na carreira e renove seus conhecimentos na mesma velocidade que o mundo muda: na do AGORA

Ver todos

Cursos

Certificações internacionais inovadoras que trazem o que há de mais atual em gestão para um mundo em transformação

Imersões

Imersões executivas presenciais nos mais avançados polos de inovação e empreendedorismo do mundo

Eventos

Jornadas de conhecimento fomentando o aprendizado dinâmico e inovador em diversos formatos e intensidades

Ver todos

Ainda não temos eventos programados. Mas estamos preparando encontros repletos de inovação para você!

Conteúdos

Conteúdo diário sobre inovação, empreendedorismo e os temas mais relevantes do AGORA para que você não perca nada


Artigos
Empreendedorismo

Como a Voltz construiu uma comunidade de clientes para escalar o negócio

Tchau, gasolina! Na mais recente alta do combustível, a Voltz, de motocicletas elétricas, teve o faturamento de um mês em apenas uma semana

Como a Voltz construiu uma comunidade de clientes para escalar o negócio

4 min

14 abr 2022

Atualizado: 24 nov 2022

Por Tainá Freitas

Em março de 2020, quando a Voltz tinha três meses de operação, a pandemia começou. Mas esta não é uma história de como uma empresa se digitalizou a partir disso. Pelo contrário: enquanto as concessionárias fechavam as portas, a Voltz vendia motos elétricas pela internet.

É claro que vender motocicletas online não é nada fácil – ainda mais as elétricas, uma novidade no mercado. No entanto, a comunidade engajada foi o motor para a Voltz crescer (perdoe o trocadilho!).

 "Um dos clientes comentava nas nossas fotos do Instagram um link para um grupo no WhatsApp. O comentário era: 'se você comprou, entre aqui no grupo'. Depois eu descobri que ele queria comprar um dos veículos, mas tinha medo que fosse golpe", conta Renato Villar, fundador da Voltz, em entrevista à StartSe.

Quando todas as lojas fecharam, a Voltz incentivou que os clientes entrassem no grupo. Pessoas de diversos locais do Brasil toparam, tornando-se leads e conhecendo outras pessoas no meio do processo. "Eu gravei o número de todos para saber quem tinha moto. No começo, 42 pessoas tinham; depois de um mês, este número chegou a 90 pessoas", contou o empreendedor.

Isso porque, como a Voltz ainda não tinha lojas espalhadas pelo Brasil – apenas o e-commerce –, os usuários combinavam encontros entre si para mostrar as motos (e ter o feedback de um usuário, é claro!).

A empresa passou a fomentar este movimento. "Em mentoria com a StartSe, entendi que uma das coisas importantes para qualquer empresa é gerar conteúdo para o consumidor. E, no nosso caso, era educar em como ele poderia consumir a nossa moto", comentou Villar, um aluno da StartSe.

Desde que foi criada, a Voltz recebeu aportes da Creditas e Grupo Ultra e está construindo a própria manufatura de motocicletas em Manaus. São, atualmente, cerca de 200 funcionários espalhados entre São Paulo, Recife – a cidade natal de Renato – e Manaus.
E este parece ser só o início: com a recente alta no combustível, a empresa faturou em uma semana o que vendia em um mês. A aposta da mobilidade do futuro é elétrica – e a Voltz segue nesse caminho.

Banner newsletter StartSe


Assuntos relacionados

Imagem de perfil do redator

Abra sua cabeça para as novas oportunidades!

Cadastra-se e receba diariamente o resumo do que importa com a análise do time StartSe!

Leia o próximo artigo