Sobre Nós
Para Você

NOVO

Para Empresas
Conteúdos
Eventos
Game Changers
Tools
NOVO

Para Você

Avance na carreira e renove seus conhecimentos na mesma velocidade que o mundo muda: na do AGORA

Ver todos

Cursos

Certificações internacionais inovadoras que trazem o que há de mais atual em gestão para um mundo em transformação

Imersões

Imersões executivas presenciais nos mais avançados polos de inovação e empreendedorismo do mundo

Tools

NOVO

As ferramentas de inteligência artificial desenhadas para o seu negócio

Conteúdos

Conteúdo diário sobre inovação, empreendedorismo e os temas mais relevantes do AGORA para que você não perca nada


Corrida no mercado pet: Petz compra a Cão Cidadão

A movimentação faz parte da estratégia de compras da Petz. Confira abaixo a história da empresa e saiba mais sobre as estratégias de sucesso da varejista

Corrida no mercado pet: Petz compra a Cão Cidadão

Loja Petz (foto: divulgação)

Por Tabatha Benjamin.

A Petz comprou a Cão Cidadão, rede de produtos para animais de estimação que atua por meio de franquias. Os valores da transação não foram divulgados, mas a empresa pretende abrir cerca de 50 lojas em 2022. A Cão Cidadão foi fundada em 1998 por Alexandre Rossi, o “Dr. Pet”. A movimentação faz parte da estratégia de aquisição da Petz — que tem em seu portfólio empresas como Cansei de Ser Gato e a Zee.Dog. Confira abaixo a história da Petz e saiba mais sobre as estratégias de sucesso da varejista:


 

A HISTÓRIA DA PETZ

Antes de se tornar CEO da Petz, Sergio Zimerman teve uma empresa de animação de festas infantis e uma rede atacadista, que chegou a faturar R$ 15 milhões por mês, mas a crise econômica junto com a falta de conhecimento do empreendedor na época levou a empresa à falência. Após muito estudo, ele voltou aos negócios, e o Pet Center Marginal foi fundado no dia 17 de agosto de 2002 em São Paulo, em um de seus antigos galpões.

Diferente das empreitadas anteriores, nove meses após a inauguração, a nova empresa no ramo de pet shop já tinha alcançado o break-even. Ou seja, havia chegado ao ponto em que o custo total e a receita total são iguais e a empresa não tem lucro nem prejuízo.

Em 2007, essa mesma loja, localizada na Marginal Tietê, ganhou um centro estético todo em vidro, tornando seus serviços de banho e tosa visíveis aos clientes. Um ano depois, a empresa criou também seu primeiro programa de fidelidade e cashback, o Vale a pena ser fiel, pioneiro no mercado pet, e lançou sua primeira plataforma de e-commerce.

A primeira loja fora do estado de São Paulo surgiu apenas em 2012, quando foi inaugurada uma unidade em Brasília. Em 2013, a rede de pet shop já contava com 27 lojas e uma receita de R$ 200 milhões. Nesse mesmo ano, o fundo americano de private equity Warburg Pincus adquiriu 55% do capital da companhia, mas manteve Zimerman como sócio e presidente do grupo.

Loja da Petz (foto: divulgação)

Em 2014, o Pet Center Marginal se tornou Petz e renovou toda sua identidade de marca. Além disso, iniciou o investimento no segmento de jardinagem e inaugurou sua nova sede administrativa, concentrando a diretoria executiva e áreas de suporte às lojas.

Uma repaginação digital ocorreu em 2017, com o lançamento de produtos exclusivos dentro da estratégia de marca própria. Nesse período, a rede já contava com modalidades de retirada de pedidos em loja (pickup store) e expedição de pedidos a partir do estoque das lojas (ship from store). A Petz também firmou uma parceria com a Editora MOL para a venda de exemplares educativos em suas lojas, sendo todo o lucro doado para ONGs parceiras do Programa Adote Petz.  

Pensando nos cuidados com a saúde dos animais, o grupo inaugurou em 2018 sua marca de serviços veterinários Seres, pioneira nesse meio. Nesse mesmo ano, foi lançado aplicativo de compras online da Petz, com diversas funcionalidades.

Já no ano seguinte, a empresa bateu a marca de 100 lojas abertas e, em 2020, abriu seu capital com IPO na B3, tornando-se a primeira varejista pet a entrar no segmento de Novo Mercado na bolsa brasileira. 

Em 2021, anunciou a aquisição da Zee.Dog, uma marca cool de produtos para pets, por R$ 715 milhões, e comprou também a Cansei de Ser Gato, uma empresa de produtos específicos para gatos.

O QUE A PETZ FAZ?

A Petz é uma rede de lojas físicas e comércio eletrônico que oferece serviços e produtos para animais de estimação em todo o Brasil. O grupo também conta com uma rede de centros veterinários do país, a Seres, uma rede de centros de estética e é responsável pelo Adote Petz, programa de adoção de cães e gatos.

COMO A PETZ INOVOU?

Quando a Petz surgiu, havia outra varejista que dominava o setor. “Como eu não conhecia nada do segmento, pensei em ser franqueado da Cobasi. Mas os donos não tinham interesse. Então, abri o Pet Center Marginal”, comentou Sergio Zimerman em entrevista à Época Negócios.

De olho na concorrente, Sergio se atentou aos diferenciais que poderia oferecer para tornar seu serviço o mais completo possível, como: cadastro de clientes, venda de filhotes, banho e tosa, clínica estética e eventos. Mas sua maior inovação nesse período foi se tornar o primeiro pet shop com atendimento 24 horas

Outro pioneirismo do grupo foi a criação de um programa de cashback ainda em 2008, quando pouco se ouvia falar sobre o assunto, e o lançamento de sua primeira plataforma de vendas online.

Uma loja conceito foi inaugurada em 2018 na zona sul de São Paulo, com sistema de totens digitais com dicas de bem-estar, QR code, realidade aumentada, holograma com orientações veterinárias e caixa de autoatendimento.

Em 2019, lançou o Pet-commerce, ferramenta que utiliza inteligência artificial, capaz de identificar o grau de interesse do pet nos produtos apresentados no site para compra. O projeto chegou a ser premiado com o Effie Awards Brasil e um Leão de Ouro no festival de Cannes, na categoria Creative Data.

Interior da loja Petz (foto: divulgação)

POR QUE A PETZ É CASE DE SUCESSO?

Hoje, a Petz é considerada a maior rede de pet shop do Brasil. Mas esse sucesso foi fruto de muito estudo e trabalho, principalmente por parte de seu fundador, Sergio Zimerman. 

“É um mercado grande e de uma resiliência impressionante. Nesses 18 anos de experiência, nós passamos pelo menos por três crises: a global de 2008, a crise local de 2015 e 2016 e, de novo, uma global em 2020. O mercado pet se portou extremamente bem em todas”, afirmou o empresário. 

A maior prova disso foi o lucro líquido de R$ 22,1 milhões no primeiro semestre de 2020, um crescimento de 619,6% em comparação ao mesmo período do ano anterior.

A Petz soube aproveitar o boom de “humanização” dos animais de estimação, que com o tempo se tornaram membros da família e passaram a receber mais cuidados com alimentação, estética, saúde, bem-estar e diversão.

A companhia também mostrou que busca ir sempre mais adiante. Um exemplo disso é o fato de apostar em soluções vendidas exclusivamente pelo site, que representa apenas 3% do faturamento da loja. E pretende continuar apostando em outros serviços.

Além disso, as lojas são pensadas como um ambiente para passeio do dono do pet e seu animalzinho, oferecendo uma experiência de compra diferenciada, com tratamento médico e espaço para banho dos pets. 

Mas seu grande destaque foi a oferta inicial de ações (IPO) em 2020, quando tornou-se a primeira companhia do segmento pet a alcançar o feito.

Interior dos escritórios da Petz (foto: reprodução/LinkedIn)

COMO É A GESTÃO NA PETZ?

A liderança servidora é um dos conceitos centrais da gestão do grupo. Trata-se de uma filosofia de gestão na qual o líder se compromete com o desenvolvimento e bem-estar dos colaboradores para que alcancem seus objetivos.

É levada em consideração a importância de contratar especialistas em suas respectivas áreas. "Uma coisa de que me orgulho bastante nesses 18 anos foi ter contratado pessoas que são muito melhores que eu em suas respectivas áreas de atuação. São pessoas pelas quais tenho profunda admiração”, disse o CEO da Petz ao Uol.

A varejista também busca contratar colaboradores apaixonados por animais. “Quando um funcionário gosta do segmento em que trabalha, vai ter facilidade e curiosidade em saber sobre os produtos e serviços que está vendendo”, afirmou Zimerman à NOVAREJO.

E há um diferencial: a Petz oferece licença PETernidade de dois dias aos colaboradores que adotarem um animal de estimação. 

Interior do escritório da Petz (foto: reprodução/LinkedIn)

O QUE A PETZ PODE TE ENSINAR?

"Desde o dia de sua fundação, a Petz está absolutamente conectada com o que o consumidor deseja, com a forma que ele quer fazer a compra: lojas 24 horas, omnicanalidade, oferta de produtos, experiência, conveniência e eventos", disse Sergio Zimerman à Folha de São Paulo.

Mas além do foco no cliente, a Petz mostrou a importância de se atentar no que a concorrência oferece e nos gaps do mercado para encontrar seu diferencial e oferecê-lo da melhor forma possível.

“Fui durante 10 dias consecutivos na Cobasi, fiquei observando como o cliente se comportava na loja, o que a Cobasi fazia muito bem feito e no que eles não prestavam atenção, e quando nasceu o Pet Center Marginal foi justamente focando no que eles não prestavam atenção”, contou o CEO ao podcast Do Zero ao Topo, da InfoMoney. 

FICHA 

Nome: Petz

Ano de fundação: 2002

Origem: São Paulo, Brasil

Valor de mercado: R$ 8,5 bilhões

CEOs: Sergio Zimerman

Concorrentes: Cobasi, Petlove, Petland

O "Tradicional" já não tem mais impacto. Conheça nosso programa de Formação Executiva xBA e construa um diferencial competitivo relevante para sua liderança, dominando os inovadores princípios de uma Gestão Exponencial aprendendo diretamente com experts internacionais do Vale do Silício, em um programa exclusivo e restrito em parceria com a Nova SBE Executive Education, uma das mais conceituadas Escolas de Negócios da Europa.


Assuntos relacionados

Abra sua cabeça para as novas oportunidades!

Cadastra-se e receba diariamente o resumo do que importa com a análise do time StartSe!

Leia o próximo artigo