Sobre Nós
Para Você

NOVO

Para Empresas
Conteúdos
Eventos
Game Changers
Tools
NOVO

Para Você

Avance na carreira e renove seus conhecimentos na mesma velocidade que o mundo muda: na do AGORA

Ver todos

Cursos

Certificações internacionais inovadoras que trazem o que há de mais atual em gestão para um mundo em transformação

Imersões

Imersões executivas presenciais nos mais avançados polos de inovação e empreendedorismo do mundo

Tools

NOVO

As ferramentas de inteligência artificial desenhadas para o seu negócio

Conteúdos

Conteúdo diário sobre inovação, empreendedorismo e os temas mais relevantes do AGORA para que você não perca nada


Empresas que apostam no metaverso

Na corrida para marcar território na inovação do futuro (ou seria do agora?), companhias — dos mais variados segmentos — estão apostando na mistura entre o mundo online e o offline por meio de dispositivos digitais. Confira!

Empresas que apostam no metaverso

Spotify

, jornalista

12 min

17 nov 2021

Atualizado: 30 nov 2022

Por Sabrina Bezerra

Diversas empresas estão apostando no metaverso -- mistura entre o mundo online e o offline por meio de dispositivos digitais. Algumas, registrando a marca para usá-la no metaverso, outras desenvolvendo as próprias tecnologias. Esse comportamento foi acelerado quando o Facebook Inc. fez o anunciou que virou Meta. Isso porque, o rebranding da companhia foi todo pautado pelo metaverso.

Na época, a Meta deixou claro que esse seria o futuro da internet. Mas não pense você que o metaverso trata-se de uma inovação pronta. Para você ter uma ideia, é algo tão novo, que é difícil até defini-lo. Porém, o fato é que já está sendo construído — e engloba uma série de experiências que faz e fará parte de jogos, redes sociais, e-commerces, entre outros. 

“A gente não vai ter um metaverso, a gente vai ter vários”, disse em entrevista ao MVP Vinicius Gusmão, CEO e cofundador da MedRoom.

Podemos fazer uma comparação com outras inovações tecnológicas, como o início da internet, as redes sociais, a internet das coisas (IoT), a nuvem — todas nasceram como conceitos sem muitos detalhes, mas logo estabeleceram grandes transformações em vários setores.

A RELAÇÃO COM A INDÚSTRIA DE GAMES

Os pioneiros que trouxeram a tendência metaversa foram jogos online, como Animal Crossing, Fortnite e Roblox, em que os jogadores podem construir seus próprios mundos online usando experiências imersivas como realidade virtual e aumentada (falaremos mais sobre isso no próximo tópico).

E, consequentemente, puxou o mundo da moda para esse ecossistema. Como assim? Os jogadores passaram a comprar acessórios, roupas e tênis digitais para vestir seus avatares. Os NFTs também estão se integrando no metaverso. A Gucci, por exemplo, lançou bolsas, chapéus e óculos em "token não fungível" no Roblox. E as pessoas estão comprando. Veja: em média, os jogadores gastam cerca de US$ 100 bilhões em acessórios e roupas virtuais.

No e-commerce, a Boson Protocol, startup do Reino Unido, integra o metaverso, blockchain, NFT, ERC-20, DeFi, Web3, eGames, DAO numa rede descentralizada. Na prática, o usuário vende seus produtos físicos em NFT. “Foi-se o tempo que os maiores problemas do varejo eram coisas como arrumar uma boa vitrine ou fazer funcionar o código de barras”, diz Cristiano Kruel, Chief Innovation Officer.

Agora, confira 8 empresas que estão apostando, de certa forma, no metaverso — e vão de games a futuro do trabalho:

SPOTIFY

O Spotify se tornou o primeiro streaming de música a entrar no metaverso. A companhia lançou um espaço chamado de “Spotify Island” dentro do Roblox.

Funciona assim: usuários podem criar músicas e ter acesso a produtos virtuais exclusivos. “As pessoas podem interagir com artistas, completar missões interativas e desbloquear conteúdo exclusivo”, diz a empresa em comunicado.

Por que importa? O Spotify segue os passos de outras empresas (veja a lista abaixo) que estão marcando território no mundo imersivo. Mas neste caso, a empresa sai na frente por ser o primeiro streaming de música a ingressar no metaverso. Além disso, vale destacar que o Roblox é uma das maiores plataformas de universo digital.

Spotify Island (foto: divulgação)

MC DONALD'S

O McDonald's fez cerca de 10 pedidos de registro de marcas McDonald's e McCafe junto ao Escritório de Patentes e Marcas Registradas dos Estados Unidos para entrar no metaverso.

Segundo o Business Insider, em um dos pedidos a marca deixou claro que quer oferecer produtos virtuais de alimentos e bebidas. Outro mostrava a intenção em entrar no mercado de NFT.

A ideia da rede de fast-food, segundo outro documento, é operar com um restaurante virtual com entrega em domicílio. Além disso, registrou serviços e eventos de entretenimento virtuais das marcas McDonald's e McCafe.

ROBLOX

A Roblox, plataforma de games, que abriu capital na bolsa, está engajada em explorar ainda mais o metaverso. Para a empresa, a visão é a de “criar uma plataforma para experiências imersivas, onde as pessoas possam se reunir em experiências 3D para aprender, trabalhar, criar e socializar”, diz em comunicado. Ou seja, ir além dos jogos.

Para isso, está investindo em comunicação e tecnologia de expressões faciais dinâmicas e chat de voz espacial. A ideia é que os membros conversem e façam interações sociais na plataforma como fazem no mundo físico.

“Por exemplo, falamos mais alto quem está longe nos ouvir, sussurramos quando queremos ser discretos. Mudamos nossa forma de comunicação dependendo de estarmos com outras pessoas ou a sós”, conta a empresa. 

“Com a voz espacial, os criadores começarão a testar o desenvolvimento de experiências onde as conversas podem ocorrer de forma realística, refletindo a maneira que ouvimos e respondemos ao mundo ao nosso redor todos os dias", completa.

No Roblox, jogadores usam Robux para comprar coisas (foto: Roblox)

Thumbnail do vídeo

EPIC GAMES

A criadora do Fortnite — jogo online — tem expandido a sua atuação no metaverso. Não é mais apenas um game, e sim, uma plataforma da qual é possível até assistir shows interativos virtuais. Travis Scott foi um dos participantes. Durante o show virtual, reuniu mais de 12 milhões de jogadores.

O negócio com foco no futuro tem se mostrado tão promissor que, no início deste ano, a Epic Games recebeu o aporte de US$ 1 bilhão, com participação da Sony e outras empresas de tecnologia, para construir novas experiências do conceito metaverso.

+ Lições da batalha Apple vs. Fortnite: "a sua margem é a minha oportunidade"

(Foto: Divulgação site Epic Games)

NIKE 

Parece que a Nike também vai ingressar no metaverso. Ainda não está claro como, mas em um documento divulgado mostra que, a marca de roupas esportivas, fez 7 pedidos junto ao Escritório de Marcas de Patentes dos Estados Unidos para proteger seus bens virtuais para download. Seguindo o racional, tudo indica que o foco será em roupas digitais e NFT.

+ O que é NFT? Conheça a nova tendência bilionária para colecionadores

GUCCI 

A Gucci entrou no ecossistema de moda virtual dentro dos games (como falamos na abertura desta matéria). Além disso, a grife testou provadores de realidade aumentada (RA). 

Por meio do app, os usuários podem experimentar os looks. Como assim? Por exemplo, se o comprador quiser experimentar um tênis, basta mirar a câmera do celular para os pés e pronto, será possível visualizar como o item por meio da imagem.

+ Gucci lança tênis virtual por US$ 12; conheça a tendência de vender roupas digitais

NVIDIA

A Nvidia tem a NVIDIA Omniverse, plataforma virtual de simulação e colaboração online, que tem como foco o metaverso. Na prática, a tecnologia permite que criadores, designers, pesquisadores e engenheiros de sistemas trabalhem juntos em tempo real num espaço virtual compartilhado.

“Ou seja, enquanto os usuários finais e criadores de conteúdo aproveitam a plataforma Omniverse para se conectar e acelerar o fluxo de trabalho 3D, os desenvolvedores podem construir novas ferramentas e serviços”, diz a empresa.

Gucci lança tênis virtual por US$ 12; conheça a tendência de vender roupas digitais (Foto: divulgação site Wanna)

BOEING

A fabricante de aeronaves pretende investir em projetos 3D, robôs e inovações imersivas para os colaboradores ao redor do mundo. Por quê? Para unir as operações de design, produção e serviços aéreos em apenas um ambiente digital. 

"Trata-se de fortalecer a engenharia. Estamos falando sobre mudar a forma como trabalhamos em toda a empresa”, disse Greg Hyslop, engenheiro-chefe da Boeing à Reuters.

Avião virtual

A empresa também pode ter a própria versão de suas aeronaves virtuais — uma espécie de cópias virtuais tridimensionais capazes de fazer simulações.

Para o executivo, as inovações ajudam a "obter velocidade, qualidade aprimorada, melhor comunicação e melhor capacidade de resposta quando ocorrerem problemas”, disse Hyslop.

Microsoft Mesh (foto: divulgação/Microsoft)

MICROSOFT

No início de 2021, a empresa anunciou o Mesh, plataforma de colaboração de realidade mista em que transforma reuniões de home office em realidade virtual. A expectativa é ser lançado no início de 2022.

A lógica? Marcar território no futuro do trabalho. O que faz sentido, já que tudo indica que muitas empresas vão adotar o modelo de trabalho híbrido. 

Obviamente que a estratégia da transformação digital não para por aí — e tem até parceria com a Meta. Vai funcionar assim: o Microsoft Teams e o Workplace serão integrados. 

Na prática, os usuários do Teams ou Workplace poderão visualizar, comentar e reagir a reuniões em tempo real, sem ter que alternar entre os aplicativos. Muito provável que o Mesh faça parte desta jornada.

SONY

A Sony e o Manchester City, um dos maiores clubes de futebol da Inglaterra, fecharam uma parceria para construir uma versão digital do estádio oficial do Manchester City. A ideia é lançar o primeiro estádio de futebol no metaverso. 

O motivo? O clube quer que os torcedores que não estiverem no estádio físico possam ter a experiência parecida ao assistir aos jogos. Para isso, vão recriar os assentos, arquitetura e gramado que serão compatíveis com óculos de realidade virtual.

 

HEINEKEN

A Heineken lançou a sua primeira cerveja no metaverso. A bebida — chamada de Heineken Silver — poderá ser “apreciada” pelas pessoas na plataforma Decentraland. Obviamente, não é possível provar. Afinal, é feita 100% de pixels.

A empresa, no entanto, deixou claro que o lançamento é também uma provocação sobre a corrida das marcas para o metaverso. 

“Sabemos que o metaverso une as pessoas de uma maneira leve e imersiva, mas não é o melhor lugar para provar uma nova cerveja”, disse à BBC o porta-voz da empresa. 

"Nossa nova cerveja virtual é uma ironia. É uma proposta que brinca conosco e com outras marcas que estão entrando no metaverso com produtos que são mais apreciados no mundo real”, completa o porta-voz.

Foto: divulgação Heineken

NATURA 

A marca de beleza anunciou o “Festival do Lado”, festival de música no metaverso. O evento foi estruturado para acontecer dentro do game GTA RP. “Todo mundo pode participar dos shows mais quentes do momento, além de curtir experiências e conteúdos pra lá de especiais, no Servidor In-verso”, diz a empresa em comunicado.

Esta edição foi marcada para o dia 1 de abril, às 20h, com shows de Gloria Groove, Tasha e Tracie e Tropkillaz — todos por meio de avatares inéditos. Além disso, o evento também conta com meet&greet com artistas, maquiagens da marca para avatares e uma loja da Natura no metaverso (você compra por lá, e recebe em casa).

(Foto: Divulgação)

QATAR AIRWAYS 

A companhia aérea Qatar Airways lançou uma experiência no metaverso. Chamada de QVerse, a plataforma de realidade virtual permite que as pessoas façam a simulação do check-in e embarque virtual na primeira classe ou na classe executiva no Aeroporto Internacional de Hamad (HIA), em Doha, no Catar. Depois, com a ajuda da comissária de bordo Sama (significa céu em árabe), o visitante navega pelo interior do avião e interage com a tripulação “metahumana”. A experiência digital é gratuita.

“Com os limites físicos começando a ser desafiados pelo metaverso em uma escala cada vez maior, é emocionante adotar uma tecnologia que permite que todos os entusiastas de viagens desfrutem de uma experiência imersiva única”, disse em comunicado Akbar Al Baker, CEO do Grupo Qatar Airways.

Por que importa? Temos falado muito por aqui que os consumidores buscam novas e divertidas experiências. E é exatamente isso que a Qatar Airways está fazendo: oferecendo uma vivência completa ao consumidor (check-in, embarque, aeronave). Além disso, a novidade pode estimular a compra de passagens aéreas. Isso porque, ao invés de se deparar apenas com o site estático, as pessoas têm a experiência no metaverso. Ou seja, é como se fosse uma degustação do voo. 

Um dado interessante quando o assunto é turismo, é que 50% consumidores estão adeptos em comprar uma experiência de viagem no metaverso. Ou seja, estão dispostos a pagar por uma experiência de viagem virtual, segundo o estudo “Meet Me in the Metaverse - The Continuum of Technology and Experience Reshaping Business”, feito pela Accenture. Estaria a Qatar um passo a frente? Seguimos acompanhando.

+ Caso você queira entender mais sobre novas tecnologias, clique aqui.

Foto: divulgação site Qatar Airways

POR QUE IMPORTA?

Se o metaverso é o futuro, só o tempo vai dizer. Mas as empresas (dos mais variados segmentos) listadas acima estão engajadas em buscar a inovação dentro do tema. O que faz sentido, já que as companhias que inovam são as que mais têm chances de permanecer no sucesso. E o que podemos aprender com isso? Que nenhuma empresa está imune à disrupção tecnológica — nem mesmo a sua. Clique aqui para conhecer mais sobre as estratégias que as grandes empresas estão adotando.

 

Banner newsletter StartSe


Assuntos relacionados

Imagem de perfil do redator

Jornalista especializada em carreira, empreendedorismo e inovação. Formada em jornalismo pela FMU e pós-graduada em marketing pelo Senac, atua na área de negócios há quatro anos. Passou por veículos como Pequenas Empresas e Grandes Negócios e Época NEGÓCIOS.

Abra sua cabeça para as novas oportunidades!

Cadastra-se e receba diariamente o resumo do que importa com a análise do time StartSe!

Leia o próximo artigo