Sobre Nós
Para Você

NOVO

Para Empresas
Conteúdos
Eventos
Game Changers
Tools
NOVO

Para Você

Avance na carreira e renove seus conhecimentos na mesma velocidade que o mundo muda: na do AGORA

Ver todos

Cursos

Certificações internacionais inovadoras que trazem o que há de mais atual em gestão para um mundo em transformação

Imersões

Imersões executivas presenciais nos mais avançados polos de inovação e empreendedorismo do mundo

Tools

NOVO

As ferramentas de inteligência artificial desenhadas para o seu negócio

Conteúdos

Conteúdo diário sobre inovação, empreendedorismo e os temas mais relevantes do AGORA para que você não perca nada


O que está por trás do prejuízo de R$ 245,6 milhões da Creditas?

Perdas cresceram 66% ante igual período de 2021. No acumulado do ano, o prejuízo soma R$ 858 milhões

O que está por trás do prejuízo de R$ 245,6 milhões da Creditas?

Creditas (fonte: divulgação)

, conteúdo exclusivo

5 min

13 dez 2022

Atualizado: 4 jan 2023

A Creditas, fintech de crédito com garantias, teve prejuízo líquido de R$ 245,6 milhões no terceiro trimestre. O resultado teve melhora em relação ao trimestre anterior, mas as perdas cresceram 66% ante igual período de 2021. No acumulado do ano, o prejuízo soma R$ 858 milhões.

Entre julho e setembro, as receitas da fintech fundada por Sergio Furio chegaram a R$ 484,2 milhões, quase o dobro (alta de 98%) em comparação com o mesmo intervalo de 2021, apesar da redução das taxas de crescimento da carteira de crédito e do “forte impacto” da deflação nas receitas do terceiro trimestre. De janeiro a setembro, as receitas chegaram a R$ 1,3 bilhão, incremento de 173% ante igual período de 2021.

Apesar do número negativo na última linha do balanço, a empresa segue apresentando melhora na relação resultado líquido/receita. O indicador, que chegou a ser de -100,7% no quarto trimestre de 2021, passou para -86,1% no período de janeiro a março deste ano, para -61,2% de abril a junho e atingiu -50,7% ao final de setembro.

A carteira de crédito, por sua vez, atingiu R$ 5,6 bilhões no terceiro trimestre, alta de 90% ante mesmo intervalo de 2021. A nova originação (incluindo crédito e prêmios de seguros) bateu R$ 951 milhões, contra R$ 928 milhões no terceiro trimestre do ano passado.

Em comunicado publicado no site de RI, a Creditas diz manter a posição como uma empresa de alto crescimento, enquanto se movimenta para a lucratividade no próximo ano. “Uma nova era está surgindo e nossa indústria de tecnologia está caminhando para fazer mais com menos e focando nos fundamentos”, escreve a companhia, citando a conjuntura de incertezas políticas e fiscais e o cenário global de liquidez reduzida.
 

Resultados financeiros da Creditas (Foto: Divulgação)


No texto, a fintech comenta que continua executando seu plano de rentabilidade, traçado em março. “Estamos aumentando com sucesso a eficiência, a alavancagem operacional e a reavaliação do portfólio”, escreve a empresa. E acrescenta: “Agora estamos originando empréstimos com as margens projetadas mais altas que já vimos para trazer nosso lucro bruto de volta aos níveis normais e, embora a melhoria no terceiro trimestre seja limitada devido a um impacto temporário de deflação no portfólio de home equity, estamos vendo muito mais tendências robustas no quarto trimestre que continuarão até 2023.”

Segundo a fintech, a qualidade do crédito permanece forte devido ao foco no crédito colaterizado e nos clientes de alta qualidade. Com um crescimento mais “modesto” do portfólio, a empresa diz continuar os esforços para a redução do custo de aquisição de clientes (CAC) e a otimização do fluxo de caixa e retorno sobre o capital.

No comunicado, a Creditas atualiza suas ações já informadas no trimestre anterior. Entre elas, acelerar a reprecificação da carteira de crédito, manter o crescimento da carteira alto e sustentável, aumentar o lucro bruto, reduzir o CAC e racionalizar as despesas gerais.

Fundada em 2012, a Creditas (que começou como BankFacil) nasceu fazendo crédito com garantia de imóveis e veículos e nos últimos anos vem diversificando sua atuação. Atualmente, opera com três ecossistemas: auto, imóveis e benefícios corporativos.

Em sua história, levantou US$ 879 milhões em seis rodadas de investimento. Na última captação, foi avaliada em US$ 4,8 bilhões.


Assuntos relacionados

Imagem de perfil do redator

O mais conceituado portal sobre startups do Brasil. Veja mais em www.startups.com.br.

Abra sua cabeça para as novas oportunidades!

Cadastra-se e receba diariamente o resumo do que importa com a análise do time StartSe!

Leia o próximo artigo