Sobre NósPara Você
Para EmpresasConteúdos
Eventos
Game Changers

Para Você

Avance na carreira e renove seus conhecimentos na mesma velocidade que o mundo muda: na do AGORA

Ver todos

Cursos

Certificações internacionais inovadoras que trazem o que há de mais atual em gestão para um mundo em transformação

Imersões

Imersões executivas presenciais nos mais avançados polos de inovação e empreendedorismo do mundo

Eventos

Jornadas de conhecimento fomentando o aprendizado dinâmico e inovador em diversos formatos e intensidades

Ver todos

Ainda não temos eventos programados. Mas estamos preparando encontros repletos de inovação para você!

Conteúdos

Conteúdo diário sobre inovação, empreendedorismo e os temas mais relevantes do AGORA para que você não perca nada


Artigos
Empreendedorismo

5 fundadores de startups que se tornaram investidores

Imagine que você fundou uma startup de sucesso ou que você vendeu sua startup por milhões para uma outra empresa. Você investiria em outras startups que acredita? É exatamente isso que os fundadores vêm fazendo: devolvendo capital e experiência ao ecossistema de inovação.

5 fundadores de startups que se tornaram investidores

5-fundadores-de-startups-que-se-tornaram-investidores. (Foto: Pipefy/Divulgação).

8 min

4 nov 2021

Atualizado: 11 mai 2022

Por Victor Marques, da CapTable Brasil.

Jeff Bezos (Amazon), Jack Dorsey (Twitter) e Bill Gates (Microsoft) têm algo em comum: todos eles fundaram startups que se tornaram empresas gigantescas e todos eles passaram da figura de fundadores para investidores de startups. O movimento é comum fora do Brasil e vem ganhando força por aqui: fundadores de startups de sucesso com sede de devolver capital e conhecimento para o ecossistema de inovação.

Florian Hagenbuch e Mate Pencz, da Loft

Depois do sucesso da Loft, seus fundadores Florian Hagenbuch e Mate Pencz começaram a buscar outros negócios que pudessem crescer com sua contribuição. A forma de realizar os investimentos foi através do fundo Canary, que já investiu em startups como a Buser, SouSmile e Volanty. A Canary atraiu outros fundadores brasileiros de startups interessados em investir no ecossistema, dentre os nomes destacam-se: David Vélez do Nubank, Paulo Veras da 99, Israel Salmen da Méliuz e Fernando Gadotti da Dog Hero.

Mate Pencz e Florian Hagenbuch, fundadores da Loft

Vinícius Frias, do Alter

O Alter, uma mistura de corretora de criptomoedas com conta digital, depois de realizar uma captação de investimento através da CapTable, ganhou impulso, conquistou mais usuários e cresceu. Foi assim que recebeu o contato do Méliuz que resultou na aquisição do Alter pelo Méliuz por R$ 25,9 milhões. Então, Vinícius voltou seus olhares para a CapTable – o local onde encontrou o investimento e visibilidade que permitiram fazer sua startup atingir um novo patamar, atraindo um comprador – para auxiliar outros empreendedores a trilharem um caminho semelhante ao vivido pela Alter. Quando André Apollaro, fundador da payfy, startup que faz gestão de gastos corporativos, e já conhecido de Vinícius, começou a buscar investimento, o fundador da Alter decidiu apoiá-los e participar da nova fase da startup como investidor-anjo, através da CapTable.

Diogo Roberte, do PicPay

Diogo foi um dos fundadores do PicPay. Em agosto, deixou a sociedade da companhia e voltou sua atenção para turbinar novos negócios. As escolhidas foram a Mora Rocks, de moradias acessíveis, a Clarke, que busca otimizar custos de energia e a Capsu, que redesenha moradias populares.

Alessio Alionço, do Pipefy

Alessio fundou a Pipefy e recebeu mais US$ 75 milhões em investimentos no final do mês passado. A startup de gerenciamento profissional já contou com investidores e mentores como Morten Primdahl e Alexander Aghassipour – também fundadores de uma startup, a Zendesk. Alionço também passou a investir em startups, buscando aquelas em que pode fazer a diferença no crescimento.

MAIS QUE CAPITAL, EXPERIÊNCIA

Os fundadores de startups que decidem se tornar investidores trazem um componente extra junto ao seu aporte: experiência. Todos eles já viveram na pele as dores de ter uma empresa tecnológica, que precisa escalar rapidamente, no Brasil. As contribuições vão desde contar sobre caminhos já trilhados até conectar os empreendedores da startup investida com players que foram fundamentais no crescimento de sua própria startup.

Os empreendedores que já estão com sua startup bem encaminhada ou que tiveram sucesso na venda do seu negócio para uma empresa maior, decidem voltar ao jogo do Venture Capital na forma de investidor. As motivações? Uma oportunidade de ter sucesso financeiro novamente, repassar os conhecimentos e continuar vivendo o dia a dia de uma startup.

Para as startups que são escolhidas por ex-fundadores de startups para receberem investimentos, o aporte tem muito valor. Mesmo quando já são startups mais avançadas, que atraem investimentos de grandes fundos internacionais, acabam buscando abrir espaço nas rodadas para a entrada desses investidores estratégicos – em busca do conhecimento e conexões desses investidores.

POR QUE IMPORTA?

O ecossistema de inovação, de fato, se retroalimenta. A vontade de continuar investindo e contribuindo com startups – mesmo depois do sucesso da sua startup, ou, como no caso de Vinícius Frias do Alter, a venda dela por R$ 25,9 milhões ao Méliuz – é um fator que parece estar presente em muitos dos fundadores de startups de sucesso.

Para as startups que buscam investimento, garantir capital aliado à experiência e notoriedade de founders de sucesso é uma receita quase imbatível. É ainda mais poderoso que executivos de empresas tradicionais que decidem começar a investir: diferente deles, os fundadores tiveram experiências muito mais similares ao que um empreendedor de startup enfrenta e, portanto, trazem aprendizados muito mais alinhados com a realidade do mundo das startups.


Assuntos relacionados

Abra sua cabeça para as novas oportunidades!

Cadastra-se e receba diariamente o resumo do que importa com a análise do time StartSe!

Leia o próximo artigo