Sobre Nós
Para Você

NOVO

Para Empresas
Conteúdos
Eventos
Game Changers
Tools
NOVO

Para Você

Avance na carreira e renove seus conhecimentos na mesma velocidade que o mundo muda: na do AGORA

Ver todos

Cursos

Certificações internacionais inovadoras que trazem o que há de mais atual em gestão para um mundo em transformação

Imersões

Imersões executivas presenciais nos mais avançados polos de inovação e empreendedorismo do mundo

Tools

NOVO

As ferramentas de inteligência artificial desenhadas para o seu negócio

Conteúdos

Conteúdo diário sobre inovação, empreendedorismo e os temas mais relevantes do AGORA para que você não perca nada


3 dicas de uma investidora renomada para analisar startups

Bedy Yang, sócia da 500 Global, uma das maiores aceleradoras do mundo, dá dicas sobre o que analisar antes de investir em uma startup. Confira.

3 dicas de uma investidora renomada para analisar startups

3-dicas-investidora-para-analisar-startups (Foto: 500 Startups/Divulgação).

, Head de Conteúdo na Captable

6 min

21 mar 2022

Atualizado: 11 jan 2023

Por Victor Marques, da CapTable Brasil.

Bedy Yang é sócia da 500 Global – antes conhecida como 500 Startups – aceleradora que já aportou em mais de 2500 startups, 40 delas sendo brasileiras. Yang é brasileira, paranaense, mas a aceleradora fica no Vale do Silício – o centro de inovação dos EUA.

Ainda assim, Yang vê boas oportunidades no Brasil, tanto é que faz a mediação dos empreendedores brasileiros com a 500 Global. Dessa mediação, investimentos em startups como VivaReal, Pipefy e Olist foram efetivados. Com mais de dez anos analisando negócios da Nova Economia, Bedy já acumulou muita experiência. 

Confira 3 dicas da investidora para analisar uma startup:

1 - EQUIPE

Depois de passar algum tempo analisando startups para investir, o investidor pode cair na armadilha de olhar apenas para o mercado ou produto da startup. Yang alerta que o investidor precisa ir além das métricas financeiras e entender se a equipe da startup tem capacidade de encontrar o produto que se encaixará em um grande mercado.

A ênfase é, sobretudo, nas pessoas – não é uma questão de ter o produto pronto no momento do investimento e sim a capacidade de desenvolvê-lo para um grande mercado. Os bons fundadores acabam por encontrar o produto certo em algum momento do desenvolvimento do negócio, esses fundadores vão além de saber descrever um bom cenário, mas como torná-lo realidade.

Especialmente nos estágios iniciais, a equipe possui muito peso na avaliação – precisam ser empreendedores que convençam de sua capacidade de executar seus planos. Ou seja, esses empreendedores e empreendedoras precisam saber projetar e executar o futuro.

2 - APRENDIZADO VALE MAIS QUE FATURAMENTO

Depois de ter encontrado uma equipe capaz, é necessário analisar a disposição para aprender e reestruturar processos – o time não terá todas as respostas no momento inicial e precisa ser flexível e rápido para implementar aprendizados no negócio.

Claro, alto faturamento e boas margens de lucro são pontos atrativos no momento do investimento. Mas, não são apenas as métricas financeiras que importam. As empresas que são capazes de aprender com seus consumidores, entender os problemas deles e engajar-se em solucioná-los, possuem maior potencial que aquelas que possuem alto faturamento, segundo Yang.

3 - ACELERAÇÃO DO APRENDIZADO

De nada adianta aprender se esse aprendizado estiver em descompasso com a velocidade necessária para que a startup conquiste um mercado. Os fundadores – e a equipe – precisam ser rápidos em descobrir lacunas, adaptar a operação e escalar uma solução.

A velocidade é essencial para ultrapassar os concorrentes – sejam startups ou grandes empresas. Entender o quão rápido o empreendedor trabalha, ou seja, quanto melhorou no último período, qual a curva de aceleração e o que é possível projetar para o futuro com base nesses dados.

POR QUE IMPORTA?

As três dicas de Bedy Yang são muito focadas em equipe, mas, é claro, a análise é composta por um olhar para produto e mercado, através da capacidade de execução do time. Yang diz que, para chegar à resposta, costuma se perguntar "essa é a equipe que vai achar o produto que vai se encaixar nesse mercado grande?".

Bedy ainda destaca que investimentos-anjo não contam com todas as respostas claras. Se estivessem, não seria um investimento-anjo, nem capital de risco. Os investimentos são realizados em um cenário de incerteza, aportando em um futuro que ainda não foi construído. Por isso, no estágio inicial, o foco está na equipe – que será a responsável por tornar realidade a visão de futuro do negócio.

Yang faz parte de uma percentagem pequena de mulheres no Venture Capital, uma realidade que a CapTable pretende mudar: para fomentar o crescimento da participação feminina no ecossistema de inovação, uma das ações é a educação. No Brasil, a CapTable, maior hub de investimentos em startups do país, já organizou diversos eventos focados em orientar mulheres sobre esse mercado, sendo o principal o Invest Nelas, evento realizado trimestralmente.

Em sua quarta edição, o Invest Nelas 4 promove o “Painel com VCs: tudo o que você precisa saber sobre Venture Capital com 3 especialistas no assunto”, que acontecerá no dia 5 de abril, às 19h. O evento é gratuito e será transmitido via YouTube. Para garantir a sua vaga, basta clicar aqui.

No painel, estarão Carol Paiffer, CEO e Diretora da área de investimentos da Atom, jurada do Shark Tank Brasil e sócia de mais de 10 empresas; Alied Monica, cofundadora do Elas&VC, especialista em investimento de impacto; e Larissa Quaresma, analista de Investimentos da Empiricus, com experiência no equity research da Núcleo Capital e no investment banking do Credit Suisse.

Quer saber antes sobre startups inovadoras e ter a chance de ser sócio desses negócios com crescimento acelerado? Conheça a CapTable, hub de investimento em startups da StartSe. Para ficar sabendo em primeira mão de novas oportunidades e entrar na Nova Economia em 2022, participe do grupo exclusivo do Telegram para avisos de novas captações! Se você quer captar conosco, saiba mais e se inscreva no nosso processo de seleção.


Assuntos relacionados

Imagem de perfil do redator

Victor Marques é Head de Conteúdo na Captable, maior hub de investimentos em startups do Brasil, que conecta seus mais de 7000 investidores a empreendedores com negócios inovadores. Escreve há mais de dois anos sobre inovação. Formado em Letras e Mestre em Linguística pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS).

Abra sua cabeça para as novas oportunidades!

Cadastra-se e receba diariamente o resumo do que importa com a análise do time StartSe!

Leia o próximo artigo