Capacitar funcionários pode trazer melhores resultados à sua empresa

Avatar

Por Marcos Viesti

15 de dezembro de 2016 às 16:13 - Atualizado há 4 anos

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

*Por Gladys Mariotto

Capacitar funcionários em uma organização é sempre um desafio, mas, ao mesmo tempo, nos estimula a pensar como a comunicação eficiente pode transformar o cotidiano de uma empresa e o modo como seus colaboradores se relacionam entre si.  Essas transformações, por sua vez, consistem em criar ferramentas que, além de transmitir conceitos e práticas, também possibilitam que o colaborador entenda todas as funcionalidades de seu trabalho, do início ao fim.

A finalidade de todo treinamento é que o funcionário de uma empresa possa desempenhar suas atividades de modo eficiente, seguro e que cumpra todas as etapas, de acordo com o ramo da empresa. Em um trabalho recente da Já Entendi para a ENEL, localizada em Fortaleza, no Ceará, foi detectado que 40% das ocorrências de acidentes de trabalho envolvendo colaboradores são ocasionados por má interpretação de documentos, falhas na análise de riscos, baixa supervisão, isso sem falar do pouco conhecimento técnico cognitivo do trabalho desempenhado.

Apesar da possível culpa do funcionário, é importante ressaltar o papel da empresa nestes casos, no sentido de tomar todas as precauções necessárias para dirimir quaisquer riscos e isso se faz mediante treinamentos e capacitações. Partindo desse ponto, podemos, também, achar um novo “problema” neste processo, pois quem aplica esses treinamentos também pode apresentar alguma deficiência, seja pelo método empregado, falta de conhecimento específico ou algum tipo de dificuldade de interação com os colaboradores.

O método de treinamento presencial, utilizado até então pela ENEL, era de difícil assimilação por ser convencional e não suscitava o interesse dos colaboradores. O material era muito descritivo, de leitura longa, sem pausas, com cores e padrões monocromáticos, que abria margem para interpretações dúbias.

Diante desse quadro, foi possível mapear e criar um treinamento que facilitasse a aceleração do conhecimento de forma simples, dinâmica, reiniciando o aprendizado e, principalmente, colocando-se no lugar do aprendiz. Isso proporcionou à empresa um ganho de até quatro horas por treinamento, resultando em aproveitamento do tempo em relação aos métodos convencionais.

Além de trazer maior otimização do conteúdo aplicado e uma melhora na rotina dos serviços prestados no segmento de energia, a ENEL agora vê seus processos e colaboradores mais eficientes, apresentando menos falhas, mais acertos,  menos perda de tempo e ganho real em segurança. 

*Gladys Mariotto, 52 anos, CEO da Já Entendi. Formada em Belas-Artes e Bacharel em Filosofia, com pós-graduação em História da Arte e Sociologia, Mestrado em Filosofia. Esse vasto currículo acadêmico foi construído mesmo com o primeiro vestibular sendo feito aos 36 anos. A metodologia do Já Entendi foi desenvolvida e aprimorada durante toda a trajetória acadêmica, além das diversas produções de livros, apostilas e filmes. Portanto, o Já entendi é resultado dos últimos 16 anos, e também tema da tese de doutorado da Gladys, que foi interrompida para se dedicar aos negócios, pois sem dúvidas, fazer escolhas faz parte da maturidade.