Uma startup está montando o primeiro banco sem fronteiras no mundo

Da Redação

Por Da Redação

23 de Maio de 2017 às 14:56 - Atualizado há 3 anos

Logo ReStartSe

GRATUITO, 100% ONLINE E AO VIVO

Inscreva-se para o Maior Programa de Capacitação GRATUITO para empresários, gestores, empreendedores e profissionais que desejam reduzir os impactos da Crise em 2020

Toda vez que você abre seu internet banking do seu banco (seja ele Bradesco, Itaú, BB ou até mesmo o Santander), você basicamente está abrindo os serviços de um banco em território nacional. Mesmo que você more no Brasil e sua empresa tenha clientes na Colômbia e na Argentina.

E isso causa um problemão caso você receba dinheiro de lá. Agora, uma startup quer resolver este problema para você: a startup fintech londrina TransferWise está preparando uma espécie de conta bancária sem fronteiras – a primeira deste tipo no mundo. O serviço começa a ser implementado em 2017 no Reino Unido e Europa, para depois expandir para o resto do mundo.

Isso ajuda muito para quem tem uma empresa internacionalizada, recebe em mais de uma moeda e não quer converter. Vale tanto para startups quanto nômades digitais – os “alvos” dessa nova empreitada da TransferWise, fintech que atua principalmente no mercado de câmbio.

Basicamente, este novo banco sem fronteiras é o equivalente a você ter uma conta de banco em vários países. No momento, ele é como se você tivesse uma conta nos Estados Unidos (para receber em dólares), uma no Reino Unido (para libras) e em um país da Zona do Euro (adivinhe a moeda :D).

A empresa ainda espera lançar uma espécie de cartão de débito nos próximos meses, entrando de vez no território dos novos bancos digitais que estão surgindo, como é o caso do Banco Neon aqui no Brasil. É interessante ver esse movimento, pois a TransferWise poderá manter o dinheiro dos seus clientes e ganhar dinheiro apenas quando eles fazem uma operação cambial dentro das contas.

Muitos negócios brasileiros, por exemplo, ganham em dólar e também possuem algumas despesas em dólar. Com essa nova conta eles teriam a possibilidade de manter seu dinheiro em dólar e pagar as despesas, sem ter que converter as suas receitas duas vezes: uma na hora de receber e outra na hora de pagar.

Essa é, no mínimo, uma invenção muito interessante para o mercado de fintechs, que torna o mundo cada vez mais globalizado. Inovações como estas podem se tornar muito úteis para grandes corporações tentando inovar e manterem-se úteis.

Faça parte do maior conector do ecossistema de startups brasileiro! Não deixe de entrar no grupo de discussão do StartSe no Facebook e de inscrever-se na nossa newsletter para receber o melhor de nosso conteúdo! E se você tem interesse em anunciar aqui no StartSe, baixe nosso mídia kit.

[php snippet=5]