Uma das maiores startups do mundo, Theranos perde a licença para funcionar; entenda

Avatar

Por Júlia Miozzo

8 de julho de 2016 às 10:06 - Atualizado há 4 anos

Logo Black Friday 2020

Nossos melhores Cursos Executivos ou Programas Internacionais com até 50% off

Quero saber mais

Vem aí a melhor formação de líderes do Brasil

Logo Liderança Exponencial Aprenda as novas competências fundamentais para desenvolver uma liderança exponencial e desenvolva diferenciais competitivos para se tornar um profissional de destaque no mercado.

100% online, aulas ao vivo e gravadas

Próxima turma: De 14 a 17/Dez, das 19hs às 22hs

Inscreva-se agora

Depois de ser acusada de falsificar exames de sangue, a startup Theranos perdeu sua licença de realizar os testes nos Estados Unidos. A fundadora e CEO da empresa, Elizabeth Holmes, também foi banida de possuir ou operar algum laboratório por dois anos. Segundo informações do CNN Money, a empresa foi notificada das proibições na última quinta-feira (7).

A empresa começou a ser investigada após revelações de que apenas alguns dos exames realizados eram feitos com a tecnologia “exclusiva” da empresa, que prometia ser mais eficiente; a maior parte dos exames, entretanto, eram realizados com métodos tradicionais.

Por conta disso, em maio a Theranos foi forçada a anular todos os resultados dos exames que produziu nos últimos dois anos utilizando a sua própria tecnologia. Na época, a CEO afirmou em comunicado que “assumimos total responsabilidade pelos problemas em nosso laboratório na Califórnia e já trabalhamos para tomar ações remediadores”.

A promessa da startup era de oferecer exames de sangue por um preço mais acessível e utilizar tecnologiais mais eficientes do que as tradicionais. Em 2014, ela chegou a valer US$ 9 bilhões e foi considerada uma das maiores startups do mundo.

Sem patrimônio
Elizabeth Holmes chegou a entrar para o ranking da Forbes das mulheres mais ricas dos Estados Unidos com um patrimônio de US$ 4,5 bilhões. Hoje, a Forbes aponta que esse valor foi reduzido a quase zero, já que a empresa está valendo menos e tem uma renda anual inferior a US$ 100 milhões.

Mensagem do Editor
Ei, tudo bom?
Gostaria de agradecer pela visita! Meu nome é Felipe Moreno, sou editor-chefe do StartSe e, como muito de vocês, dono de uma (minúscula) startup de mídia.
E vou te fazer um pequeno convite: vamos bater um papo! É só se cadastrar aqui embaixo e eu vou te enviar alguns e-mails para você com o melhor do nosso conteúdo para te ajudar, seja você um empreendedor, funcionário, investidor ou apenas interessado neste maravilhoso mundo!
É um caminho de comunicação direto que nenhum outro portal oferece para seus leitores. E a intenção é construir uma comunidade vibrante que esteja preparada para todos os enormes desafios que virão. Vamos construir conhecimento e conteúdo juntos! Conto muito com a presença de vocês neste papo!
[php snippet=5]