Uber perde mais de US$ 1 bilhão por ano na China

Avatar

Por Paula Zogbi

18 de fevereiro de 2016 às 11:24 - Atualizado há 5 anos

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

A concorrência chinesa não poupa nem o Uber, de acordo com o CEO Travis Kalanick. Ainda que valha US$ 8 bilhões após a última rodada de investimento de mais de US$ 1 bilhão, o app norte-americano ainda não consegue ser lucrativo na China.

O inimigo da vez é o Didi Kuaidi, em uma batalha para ver quem oferece o serviço com os melhores preços. O poderoso concorrente é apoiado pelo Alibaba e pela Tencent Holdings, gigantes que querem transformar o mercado chinês de caronas pela internet no maior do mundo.

Nessa semana, Kalanick disse à plataforma canadense BetaKit que as perdas no país asiático são de US$ 1 bilhão anualmente, valor que a própria startup confirmou à Reuters nesta semana. Ainda assim, a concorrente chinesa estaria gastando “muito mais”, de acordo com o Uber China.

O Uber está em mais de 40 cidades chinesas, e Kalanick disse que pretende superar a empresa rival gastando o dinheiro de subsídios mais eficientemente. “Se eu não participar da bonança do financiamento, serei esmagado por outras empresas comprando fatia de mercado”, disse na entrevista à BetaKit.