Uber recebe permissão para compartilhar patinetes elétricos em São Paulo

Tainá Freitas

Por Tainá Freitas

24 de janeiro de 2020 às 17:42 - Atualizado há 12 meses

Vem aí a melhor formação de líderes do Brasil

Logo Liderança Exponencial Aprenda as novas competências fundamentais para desenvolver uma liderança exponencial e desenvolva diferenciais competitivos para se tornar um profissional de destaque no mercado.

100% online, aulas ao vivo e gravadas

Próxima turma: De 22 a 25/Fev - 2021, das 19hs às 22hs

Inscreva-se agora
Logo Cyber Monday 2020

Só hoje, nossos melhores Cursos Executivos ou Programas Internacionais com até 50% off

Quero saber mais

A Uber recebeu autorização da Prefeitura de São Paulo para operar no compartilhamento de patinetes elétricos na cidade. A decisão saiu no Diário Oficial desta sexta-feira (24), página 21.

A companhia está entrando aos poucos neste mercado no Brasil. Em dezembro, Santos foi escolhida para ser a primeira cidade a receber seus patinetes. A empresa está operando no local desde então — os usuários já podem alugar os veículos no mesmo aplicativo em que requisitam as viagens de carro. Ainda não há informações de quando a empresa começará a operar em outros locais, inclusive em São Paulo.

A Uber debutou neste mercado após adquirir a empresa de bicicletas e patinetes elétricos Jump em 2018. Desde então, a companhia passou a integrar esse serviço em seu portfólio. No Brasil, a novidade chega a preços competitivos: R$ 1,50 por desbloqueio e R$ 0,75 por minuto, em comparação aos R$ 3 de desbloqueio e R$ 0,50 por minuto da Grin e Rappi.

É um momento delicado para o mercado de patinetes elétricos no Brasil. Após seis meses no país, a estadunidense Lime anunciou que está deixando de operar em São Paulo e no Rio de Janeiro. Já a brasileira Grow (fusão da Grin e Yellow) está saindo de 14 cidades brasileiras, passando a oferecer os patinetes elétricos apenas em São Paulo, Rio de Janeiro e Curitiba.