Uber gastará US$ 200 milhões para contratar “CEO perfeito” (menos que Neymar)

Da Redação

Por Da Redação

29 de agosto de 2017 às 11:21 - Atualizado há 3 anos

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

A maior startup do mundo, a Uber, vai gastar US$ 200 milhões para contratar Dara Khosrowshahi, atual CEO da Expedia, escolhido neste final de semana para liderar a empresa – e tido como o “CEO perfeito” por analistas de Wall Street. Esse valor estratosférico é menor do que o que o Paris Saint-German gastou para contratar Neymar, mas é bastante representativo para o mundo das startups.

O que faz esse valor ser tão alto? A necessidade de encontrar a pessoa certa para uma reviravolta na empresa, que está em crise há vários meses e está sendo atacada em vários fronts. O valor da empresa, no mercado secundário, despencou (o que faz com que seja quase impossível levantar mais dinheiro) e o conselho de administração está dividido em dois grupos.

Dara era o candidato menos famoso entre os três finalistas, concorrendo com Meg Whitman (CEO da HP) e Jeff Imelt (presidente do conselho da General Electric). Contudo, ele era o “candidato perfeito” por tudo que fez na Expedia: liderou uma empresa global, grande e com um conselho de administração famoso por brigar entre si – atuando em um setor em que precisava de muito cuidado com reguladores, assim como é o Uber.

Além disso, o Expedia tinha rivais com muito mais “tradição” e “dinheiro” do que si, e derrotou todos eles. Isso parece a competição que a Uber enfrenta de grandes montadoras – principalmente na área de carros autônomos -, como General Motors, Ford, Volkswagen e até a Tesla, de Elon Musk. Ou seja, novamente Dara terá uma missão complicada pela frente.

Mas se ele for a pessoa certa para liderar a empresa, a Uber poderá retomar a importância que vem perdendo nos últimos meses. A maior startup do mundo se envolveu em polêmicas envolvendo machismo e pouca atenção aos usuários e parceiros. Para crescer, precisa voltar a se ajustar na mentalidade do Vale do Silício – de uma rebeldia não apenas para ganhar dinheiro, mas para fazer do mundo um lugar melhor.

Faça parte do maior conector do ecossistema de startups brasileiro! Não deixe de entrar no grupo de discussão do StartSe no Facebook e de inscrever-se na nossa newsletter para receber o melhor de nosso conteúdo! E se você tem interesse em anunciar aqui no StartSe, baixe nosso mídia kit.

[php snippet=5]