Uber admite culpa em acidente fatal causado por carro autônomo: “Estragamos tudo”

Tainá Freitas

Por Tainá Freitas

30 de novembro de 2018 às 13:33 - Atualizado há 2 anos

Logo ReStartSe

GRATUITO, 100% ONLINE E AO VIVO

Inscreva-se para o Maior Programa de Capacitação GRATUITO para empresários, gestores, empreendedores e profissionais que desejam reduzir os impactos da Crise em 2020

O presidente da Uber, Dara Khosrowshahi, finalmente falou sobre o carro autônomo da empresa que se envolveu em um acidente fatal no início deste ano. Para o presidente do aplicativo, a empresa “estragou tudo em X, Y e Z”.

A afirmação foi feita durante uma reunião dos executivos com os funcionários da empresa, cuja transcrição foi obtida pelo site Business Insider.

O presidente da Uber ainda disse que a empresa passou por mudanças e que aposta que o time poderia construir algo ainda melhor. Ele também disse que mudou a forma como a empresa desenvolve e testa os carros autônomos.

Os funcionários também questionaram se a cultura tóxica e a falta de atenção a sinais de perigo reportados eram verdadeiras. Em resposta, o diretor da divisão de carros autônomos da companhia, Eric Meyhofer, trouxe suas considerações positivas sobre a cultura da divisão de carros autônomos.

O primeiro acidente fatal

Um carro autônomo da Uber atropelou Elaine Herzberg, 49 aos, em março deste ano nos Estados Unidos.

A mulher estava atravessando a rua fora da faixa carregando sua bicicleta quando foi atropelada. Ela foi hospitalizada, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.

Um motorista de segurança da Uber estava dentro do carro autônomo na hora do acidente, mas notou a mulher apenas após o acidente ter ocorrido, devido ao som.

Na época do acidente, Sylvia Moir, chefe de polícia da cidade, havia afirmado que acidente com carro autônomo poderia não ser culpa da Uber.

O acontecido reacendeu uma discussão sobre os acidentes envolvendo esse tipo de veículo. Especialistas já estudam quais decisões esses carros tomam para prever acidentes, inclusive como escolheriam as vidas que desejam poupar.