Conheça o Tummi, App para quem luta contra o câncer

Isabella Carvalho

Por Isabella Carvalho

6 de dezembro de 2018 às 13:18 - Atualizado há 2 anos

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

Mudar a vida daqueles que enfrentam o câncer. Assim surgiu a Tummi, startup criada pela oncologista Alessandra Morelle. O nome é uma referência a uma espécie de faca que os incas usavam em procedimentos cirúrgicos. O aplicativo permite que o usuário organize uma agenda das medicações, faça um diário sobre os efeitos dos remédios ou outras sensações durante o tratamento. E possibilita anotar dúvidas que apareçam entre uma consulta e outra.

“No meu dia a dia como médica, percebi a necessidade de uma solução que ajudasse os pacientes nessa jornada que modifica a vida deles”, contou a empreendedora durante sua palestra no Audaz, evento promovido pela StartSe, nesta quinta-feira (6).

Foi então que ela desenvolveu o aplicativo que oferece conhecimento sobre os tratamentos e auxilia no registro de informações dos usuários. O app gera automaticamente um relatório que pode ser compartilhado e enviado para a equipe médica responsável pelo caso. “Percebemos que o nosso negócio tem três clientes fundamentais: o paciente, o hospital e o médico. Precisamos sempre trabalhar com foco neles”, disse Alessandra.

Mas a empreendedora não fez tudo sozinha. Em um de seus atendimentos, conheceu a família de Márcia, que enfrentava um câncer de mama e foi a primeira cliente da startup. Seu marido, Evandro, é desenvolvedor de aplicativos e entrou para o time da Tummi. Além disso, outros profissionais ajudaram Alessandra a tirar o projeto do papel, como médicos, designers e mentores.

Atualmente, a empresa se prepara para levar a solução para os hospitais. Durante sua palestra, a empreendedora deu dicas rápidas do que aprendeu durante todo o processo: domine a tecnologia e o marketing; não se apaixone pela sua ideia ou produto, mas sim em resolver o problema de alguém; seja consistente e tenha fundamentos; tenha química entre os sócios e uma diversidade de pontos de vista e, por fim, saiba que nunca está sozinho.

Foto: Eduardo Viana