Trabalho voluntário para viajar: startup conecta usuários a oportunidades

A campanha de financiamento da Vivalátem como meta arrecadar R$ 50 mil e, até o momento, já arrecadou R$ 18 mil

Avatar

Por Júlia Miozzo

24 de novembro de 2015 às 13:32 - Atualizado há 4 anos

SÃO PAULO – “O objetivo é fazer com que as pessoas primeiro conheçam o próprio país e o transformem”, disse Daniel, presidente da startup Vivalá, que conecta as pessoas interessadas em realizar trabalhos voluntários à ONGs que necessitam de voluntários no Brasil.

Com operações iniciadas em outubro deste ano e ainda em projeto de financiamento coletivo, a startup também possui outras duas vertentes: a de planejamento de viagens e a de rede social, conectando todos os viajantes. A campanha de financiamento da startup tem como meta arrecadar R$ 50 mil e, até o momento, já arrecadou R$ 18 mil.

Por um lado, é possível montar a viagem desejada, escolhendo local para hospedagem , comprando passagens aéreas e inclusive escolher os restaurantes onde vai fazer as refeições – tudo isso através de parcerias com outras empresas, como a Decolar.com e ChefsClub. Já são mais de 200 mil opções de hospedagem, 30 empresas de locação de carro e 500 companhias aéreas disponíveis na plataforma. “Nossos quatro pilares, no planejamento de viagens, é transporte, alimentação, hospedagem e entretenimento, sendo que o último ainda não está disponível”, disse o presidente.

“Viajar e fazer voluntariado são experiências muito engrandecedoras, que transformam as vidas das pessoas, e unir as atividades fez muito sentido para nós”, completou Daniel. Por enquanto, o objetivo é incentivar o trabalho voluntário em território nacional, embora o plano de se tornar uma plataforma global exista: “nós queremos nos tornar uma plataforma global, que torna o trabalho voluntário no mundo inteiro mais prático e fácil”.

Para o viajante interessado em particular, não existe nenhum custo – a não ser que a oportunidade seja em um local diferente do em que reside.

“O intuito das expedições é viajar as cinco regiões do país, fugindo um pouco das áreas tradicionais e movimentando o turismo de pequenas comunidades, além da transformação social que o voluntariado vai causar”, finalizou Daniel.

O projeto de financiamento termina no dia 14 de dezembro. Confira o vídeo sobre a proposta da startup: