Startup usa inteligência artificial em aplicativos de treinos e dietas

A Freeletics considera características pessoais de cada usuário (como peso e altura) em seus aplicativos de treinos e nutrição

Tainá Freitas

Por Tainá Freitas

17 de novembro de 2017 às 16:22 - Atualizado há 2 anos

A Freeletics é uma startup criada em 2013, na Alemanha. Seus produtos são aplicativos de treino e nutrição que usam a inteligência artificial e machine learning para dar treinos e dietas personalizadas a cada usuário. Em 2015, a empresa chegou no Brasil, trazendo os aplicativos de treino em português. Em novembro deste ano, o aplicativo Nutrition chegou ao Brasil, trazendo dietas personalizadas.

A iniciativa de atuar no Brasil não foi da própria empresa. Gabriel Teodoro de Oliveira, advogado e ex-atleta, fazia a pós-graduação em Direito na Alemanha quando testou o aplicativo e enxergou seu potencial. Convenceu a empresa a atuar no país. Para conquistar o público brasileiro, foi feita uma repaginada no aplicativo – ele já estava em português, mas a linguagem foi alterada para maior fluidez. O preço do aplicativo foi adaptado para o padrão brasileiro e a cobrança começou a ser feita em reais. Mas, o mais importante: as campanhas e treinos foram adaptados para o público brasileiro. “Há dois anos atrás, o Brasil era uma aposta. Se não se provasse como um mercado interessante, eles sairiam do Brasil, continuando na Europa e Estados Unidos. Depois de dois anos, o Brasil é um dos países principais para a Freeletics”, afirma Gabriel, Country Manager da Freeletics no Brasil.

Em abril de 2015, 130 mil usuários utilizavam os aplicativos da Freeletics. Atualmente, são quase 2 milhões de pessoas. Os aplicativos de treino são: Gym, focado em treino para academia, Running, para corridas, e Bodyweight, para treinos que utilizam o peso do próprio corpo.

Os aplicativos utilizam a inteligência artificial Coach e machine learning para aprender o comportamento dos usuários.  A cada treino dado, os usuários dão feedbacks, que serão utilizados para o aprimoramento da experiência. Com isso, o tempo de treino, movimentos e dificuldade serão adequados para cada pessoa.

Nutrition

A novidade é que agora o Nutrition foi traduzido e está disponível no Brasil desde o início de novembro. O Nutrition se diferencia de outros aplicativos de dietas por ser altamente personalizável. Ao começar a usar, o usuário informa peso, altura e se realiza exercícios físicos, além de sua intenção com a dieta. As dietas são baseadas na quantidade de carboidratos, proteínas e gorduras que a pessoa pode ingerir por dia, e o aplicativo traz receitas de comidas simples e que atendem essas expectativas.

“As pessoas falam suas receitas preferidas e informam o exercício físico praticado no dia. Se a pessoa praticou duas horas de futebol, o Coach entende que ela precisa comer um pouquinho mais, a orientando de como fazê-lo”, comenta Gabriel Toledo.

Mas a Freeletics acredita que dietas à longo prazo não são sustentáveis, promovendo uma mudança de vida no lugar. “O Nutrition é uma nova forma de se relacionar com a nutrição. Além das receitas e dicas, o usuário tem informações do que está comendo e porquê está comendo isso”, diz o Country Manager.

A reeducação alimentar ultrapassa as barreiras até do que comer fora de casa. O aplicativo dá conselhos para as pessoas que vão comer fora de casa e, consequentemente, não seguirão as receitas do aplicativo. Então o Nutrition oferece conselhos, do tipo: “Está com uma dieta que tem pouco carboidrato? A salada acompanha um pãozinho? Passa o pãozinho e pede uma proteína adicional”, comenta Gabriel. Outra dica é de preferir alimentos assados do que fritos. São conselhos que mudam o estilo de vida, não são pontuais para um resultado à curto prazo – o que a Freeletics propõe são mudanças à longo prazo.

O próprio cardápio do aplicativo em português foi adaptado. Foram selecionados ingredientes facilmente achados no Brasil. E, quando o usuário não possui o ingrediente pedido, o aplicativo adiciona à uma lista de supermercado.

Atualmente, 18 milhões de pessoas em todo o mundo utilizam os aplicativos da Freeletics, que está disponível em inglês, francês, italiano, alemão, português e espanhol.

A Freeletics é um exemplo de healthtech que utiliza tecnologias inovadoras – no caso, inteligência artificial e machine learning – para impactar positivamente na vida de milhões de pessoas. Mas essa não é a primeira vez que isso acontece – a Missão Health fará uma imersão no Vale do Silício focada em tecnologias de saúde e medicina.

Participe do maior censo de startups do Brasil! Não deixe de entrar no grupo de discussão da StartSe no Facebook e de inscrever-se na nossa newsletter para receber o melhor de nosso conteúdo!

E caso você tenha em patrocinar os eventos da Startse, entre em contato no patrocinio@startse.com.

[php snippet=5]