Startup Tuim oferece aluguel de móveis por assinatura para residências

Tainá Freitas

Por Tainá Freitas

29 de janeiro de 2020 às 16:51 - Atualizado há 2 meses

Logo ReStartSe

GRATUITO, 100% ONLINE E AO VIVO

Inscreva-se para o Maior Programa de Capacitação GRATUITO para empresários, gestores, empreendedores e profissionais que desejam reduzir os impactos da Crise em 2020

Filmes, séries, patinetes, bicicletas, roupas e móveis. A economia compartilhada se tornou uma grande tendência no Brasil e no mundo. O uso está tomando o lugar da “propriedade” por alguns motivos: preço, acessibilidade, oferta e tempo.

A Netflix popularizou o streaming de vídeos, ao invés da compra e locação dos títulos; empresas como a Grow facilitaram o acesso a uma bicicleta ou patinete elétrico em um momento de necessidade; a Roupateca investe no compartilhamento de roupas para promover o consumo consciente.

E foi pensando na sustentabilidade e na liberdade para que as pessoas possam escolher os móveis que desejam (e ainda poder mudar de ideia) que a economista Pamela Paz criou a Tuim. A startup permite o aluguel de móveis por assinatura por um período determinado — o mínimo é de três meses. A escolha é intuitiva: o usuário define as opções que deseja online e recebe os artigos em casa na data marcada.

A empreendedora possui um vasto background no setor. Paz trabalha há 10 anos na John Richard, empresa familiar de locação de móveis. A CEO da John Richard criou um spin-off para atender CPFs, enquanto os principais clientes da empresa-mãe são as pessoas jurídicas.

A Tuim atende principalmente o que Pamela descreve como “ser cambiante”. “Atendemos as pessoas que estão mudando. É a ideia de cambiar – não colocamos nenhuma faixa etária porque pode ser um estudante até um executivo, por conta do trabalho. Às vezes, a pessoa muda porque quer ficar perto da família e dos amigos, para atender novas configurações familiares, como transformar um quarto de hóspedes em de um bebê”, comenta a fundadora em entrevista à StartSe.

Criada em setembro de 2019, a Tuim foi incubada e tem a John Richard, empresa do setor de móveis, como sua principal investidora. A startup conta com seis funcionários e está em sua primeira centena de clientes. A operação se concentra em São Paulo, mas está em processo de expansão para o Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Curitiba.

Aluguel x sustentabilidade

A Tuim oferece o aluguel de móveis unitários ou em formato de “combos”. O ticket médio é de R$ 820 por assinatura, mas varia de acordo com as escolhas de cada cliente. A companhia possui um “guia de estilo” para facilitar nas escolhas e pode ser uma ferramenta utilizada inclusive por arquitetos e decoradores de interiores.

Além da facilidade, o aluguel permite que o mesmo móvel seja utilizado por diversas famílias, de acordo com suas necessidades — como se adaptar ao crescimento de um bebê para uma criança. “Há uma tendência na compra de móveis baratos — muitas vezes o móvel dura um ano, dois anos, o que fazer com ele depois? Jogar fora? Prezamos por comprar móveis de qualidade que vão ter uma vida maior”, comenta Paz.

O cliente não é cobrado por qualquer tipo de seguro e desgastes devido ao uso são um ônus da Tuim. Já os que são causados por mau uso são de responsabilidade de cada cliente. “Nós queremos que os clientes sintam que os móveis são deles. Tivemos uma série de conversas sobre isso — como alugar e ter medo de sujar o sofá? O nosso lema é: suja!”, afirma a fundadora.