Startup que ajuda usuários a economizarem em dobro recebe aporte do Grupo Banco Mundial

Avatar

Por Paula Zogbi

18 de Maio de 2016 às 16:30 - Atualizado há 5 anos

Vem aí a melhor formação de líderes do Brasil

Logo Liderança Exponencial Aprenda as novas competências fundamentais para desenvolver uma liderança exponencial e desenvolva diferenciais competitivos para se tornar um profissional de destaque no mercado.

100% online, aulas ao vivo e gravadas

Próxima turma: De 14 a 17/Dez, das 19hs às 22hs

Inscreva-se agora
Logo Black Friday 2020

Nossos melhores Cursos Executivos ou Programas Internacionais com até 50% off

Quero saber mais

SÃO PAULO – Em sua quarta rodada de investimento, o aplicativo GuiaBolso tornou-se a primeira fintech brasileira a receber um investimento da International Finance Corporation (IFC), do Grupo Banco Mundial.

O valor total da rodada, quarta vez que a startup recebeu investimentos, foi de R$ 60 milhões e consolida o GuiaBolso como a maior plataforma de finanças pessoais do Brasil.

Ao todo, são 26 fintechs ao redor do mundo selecionadas pela instituição, que é a maior instituição de desenvolvimento voltada para o setor privado nos mercados emergentes. “Este é o nosso primeiro investimento em uma fintech no Brasil. A IFC já investiu mais de US$ 180 milhões em 26 empresas de fintech no mundo, alcançando mais de 220 milhões de pessoas”, comenta em nota Kai Schmitz, líder da IFC para investimentos de fintech para América Latina.

Com o aporte, o aplicativo de controle de gastos pretende impulsionar o número de usuários, que já chegou a 2 milhões. “Há cerca de seis meses, tínhamos 1 milhão de usuários. O fato de as pessoas melhorarem suas vidas financeiras é o que explica esse forte interesse pelo app, ainda mais em um momento de crise econômica em que cada centavo é muito importante”, comenta Benjamin Gleason, sócio fundador do GuiaBolso.

Segundo pesquisas encomendadas pela própria startup, com 22 mil pessoas, os usuários conseguiram economizar mais do que o dobro do que costumavam poupar antes de usar o aplicativo. “Isso quer dizer que, ao fim de um trimestre, sobraram, em média, R$ 476 a mais nas contas das pessoas”, diz a empresa no anúncio do aporte. Na soma anual, o total poupado chega a R$ 247 milhões.

O aplicativo funciona por conexão com dados bancários, ou seja, não é preciso acrescentar gastos à mão para acompanhar a movimentação financeira.

Além da IFC, o GuiaBolso recebeu aportes de três investidores que já são sócios da empresa: os fundos Ribbit Capital, especializado em inovação tecnológica na indústria financeira; Kaszek Ventures, o maior em seu segmento na América Latina e administrado pelos fundadores do MercadoLivre, e QED Investors, do cofundador da Capital One.