Startup promete dobrar o faturamento das micro e pequenas empresas

Com sistema de franchising, Elefante Verde conecta microempreendedores e já possui mais de mil clientes

Avatar

Por Paula Zogbi

8 de janeiro de 2016 às 16:31 - Atualizado há 4 anos

“Sempre achamos que a tecnologia é uma maneira eficiente de fazer um pequeno negócio ganhar escala”, afirma Fábio Duran, um dos sócios da startup Elefante Verde, sobre seu trabalho com o amigo Caio Sigaki. Aparentemente, eles tinham razão.

A startup, criada com a intenção de impulsionar vendas de micro e pequenas empresas por meio de estratégias digitais com preços acessíveis, tem feito sucesso e já chegou a mais de mil clientes em 2015. “O Caio tinha uma franquia de cursos técnicos, mas ele sofria muito, porque dobrava o número de alunos enquanto a lucratividade caía pela metade. Passando por isso, ele começou a entender que no mercado digital havia uma boa oportunidade para este tipo de negócio”, relembra Fábio.

De acordo com a empresa, há mais de 10 milhões de micro e pequenas empresas e micro empreendedores individuais (MEI) no Brasil, e apenas 3,5 milhões de registros de domínio. “O que nos leva a uma estimativa de que ao menos 70% dessas pessoas não têm nem site”, comenta o empresário.

A plataforma que Caio criou em 2009 – e posteriormente, em 2012, agregou a participação de Fábio – funciona, em certos aspectos, como um guia eletrônico, mas voltado a clientes com pequenos negócios que precisam de ajuda no meio digital. “Queremos democratizar o acesso ao mundo digital”, afirma Fábio.

Os clientes são diversos: “tem de tudo, desde os autônomos, como chaveiro, dentista massagista, pintor, como também microempresas como restaurantes, padarias, salões de beleza, bar… Praticamente todas as empresas acabam se enquadrando”. O Elefante Verde possui clientes até na Rocinha, oriundos de um projeto piloto em parceria com o Governo do Rio de Janeiro.

Para ele, “a nossa grande sacada, que nos difere de sites como o Kekanto, é que eles vendem o formato de guia, a pessoa precisa lembrar do guia para ir pesquisar lá dentro. Já nós focamos em fazer com que nossos links sejam bem ranqueados no Google, então não é preciso entrar no nosso site para encontrar os nossos clientes”. Mensalmente, os pacotes custam de R$ 69 a 299, “e incluem todo suporte necessário para fazer da internet um grande aliado na busca pelo cliente”, diz a empresa.

O Elefante Verde funciona de duas maneiras: além de as micro e pequenas empresas poderem contratar os serviços para impulsionar seus negócios – com a criação de sites, e-mails personalizados, banners e outras ferramentas de marketing online – é possível abrir uma franquia, com investimento inicial baixo, para oferecer os mesmos serviços.

“No terceiro trimestre do ano passado, tivemos uma busca muito grande de pessoas que perderam os empregos e buscavam se tornar franqueados, o número de unidades aumentou muito: hoje estamos com mais de 50 franquias em todas as partes do Brasil, de Rio Branco até Pelotas”, comemora Fábio.

O investimento inicial na franquia custa entre R$ 16 e 49 mil e a promessa é de retorno previsto do investimento entre 6 e 12 meses de atuação.