Startup diminui uso de carros e recebe investimento de grandes montadoras

O capital de US$ 17,5 milhões será usado para adicionar integrações e tornar o trânsito mais livre, expandindo o serviço

Isabella Carvalho

Por Isabella Carvalho

6 de novembro de 2018 às 10:12 - Atualizado há 1 ano

Startup

A Transit, startup canadense que pretende simplificar a mobilidade urbana combinando meios de transporte, levantou US$ 17,5 milhões em uma série B de financiamento da Accel, Alliance Venture (Renault, Nissan e Mitsubishi), Jaguar Land InMotion Ventures da Rover e Real Ventures.

Fundada em 2013, a empresa criou um aplicativo urbano que une pontos de partida e destino identificando a melhor combinação e opções de transporte. O app integra ônibus, trens, aplicativos de táxi e até mesmo compartilhamento de bicicletas e scooters. Rastreando em tempo real a localização do usuário, a startup coleta dados e envia notificações sobre o melhor caminho. Tudo para evitar o uso excessivo de carros.

Além disso, a Transit está tentando se posicionar como uma fonte de dados para as cidades. De acordo com o Venturebeat, há alguns anos, a Transit  foi escolhida pela MBTA (Massachusetts Bay Transportation Authority) como o aplicativo oficial de transporte da cidade. A ideia era que a região pudesse acessar melhores dados de viagem vindo de uma fonte única. Desde então, o aplicativo foi endossado por outras cidades ao redor do mundo, incluindo o Vale do Silício, Baltimore e Montreal.

“Isso [o investimento] nos permitirá dobrar todos os projetos que temos trabalhado tão duro, adicionando integrações mais profundas para tornar o transporte livre de carros, expandindo para mais e mais serviços”, disse a empresa em um comunicado. Segundo a startup, o objetivo é garantir que as pessoas cheguem primeiro – e não os veículos.

Conquistar grandes montadoras como investimento é um passo notável para a startup, que tem como missão “acabar” com os carros. O diretor de investimentos da Alliance, Christian Noske, vai se juntar ao conselho da Transit. “Estamos perto do ponto em que as opções de transporte alternativas – combinadas com o trânsito – podem competir de maneira significativa com os carros”, disse a empresa.