Startup cria robô recrutador que ajuda empresas em processos seletivos

Isabella Carvalho

Por Isabella Carvalho

23 de abril de 2019 às 15:00 - Atualizado há 1 ano

Logo ReStartSe

GRATUITO, 100% ONLINE E AO VIVO

Inscreva-se para o Maior Programa de Capacitação GRATUITO para empresários, gestores, empreendedores e profissionais que desejam reduzir os impactos da Crise em 2020

Já imaginou ser entrevistado por um robô em um processo seletivo para uma vaga de emprego? Essa é a ideia por da VCV, startup americana criada por Arik Akverdian que oferece uma solução de inteligência artificial para otimizar os processos de seleção das empresas.

Segundo a startup, um recrutador gasta em média 21 horas para selecionar três candidatos entre 250 currículos para uma entrevista presencial. Já o robô demora 45 minutos. Na prática, a empresa contrata os serviços da VCV e o robô passa a trabalhar 24 horas por dia.

Primeiro, ele faz uma busca entre os currículos e identifica os candidatos que correspondem as descrições do trabalho. Em seguida, a solução oferece dois meios de comunicação para trocar informações básicas com eles: chat online ou ligação.

Depois, agenda uma entrevista por telefone, onde usa o reconhecimento de voz para entender as respostas do candidato e identificar padrões de nervosismo, humor e comportamento. Por fim, realiza uma entrevista em vídeo, grava o conteúdo e envia para a empresa os perfis que mais têm chances de conseguir a vaga.

A tecnologia da VCV também pode fazer previsões sobre o desempenho futuro de um funcionário. Hoje, a startup possui clientes como PWC, L’Oreal, Danone, Schlumberger e Citibank. No caso da L’Oreal, a VCV afirma ter reduzido em sete vezes a duração do recrutamento de estagiários da empresa.

Investimento

Nesta terça-feira (23), a VCV recebeu US$ 1,7 milhões de investimento da Will Group, Talent Equity Ventures e 500 Startups. Com o aporte, a empresa planeja desenvolver ainda mais sua tecnologia e abrir um novo escritório em Tóquio.  

“A IA pode melhorar e agilizar o processo de contratação, ao mesmo tempo em que ajuda a eliminar os vieses corrosivos que todos os seres humanos têm. Não há razão para a inovação tecnológica não transformar essa área de negócios — especialmente considerando que o talento humano é o ativo mais importante de uma organização ”, disse Arik Akverdian, fundador da empresa.