Startup constrói aplicativos em segundos para você ganhar dinheiro

Da Redação

Por Da Redação

17 de setembro de 2015 às 12:55 - Atualizado há 5 anos

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

SÃO PAULO – Construir um aplicativo de smartphone e tablet para monetizar seu conteúdo não é fácil. Necessita de dinheiro, programadores e tempo – afinal, demora muito para que o aplicativo consiga ser construído e esteja operacional. 

Uma startup americana, a DWNLD, porém, tem uma solução bastante simples para esse tipo de problema: um aplicativo que cria outros aplicativos (tanto para iPhone quanto para Android) em segundos, usando as informações de onde estiver seu conteúdo – YouTube, blog, site, etc… E logo depois, você pode customizar a aparência facilmente. 

E ao contrário dos outros serviços, o DWNLD foca em ajudar o usuário que fez o aplicativo a ganhar dinheiro com ele. Você pode criar anúncios e assinaturas facilmente e monetizar facilmente, sem precisar de uma equipe técnica para isso – a DWNLD cuida de tudo e leva apenas 10% das receitas (muito abaixo da média do mercado). 

A empresa acaba de captar US$ 12 milhões para melhorar as equipes de vendas e de serviço ao consumidor, para melhorar ainda mais as condições de monetização através do aplicativo. A fundadora, Alexandra Keating, conta ao Business Insider que a intenção é ter a maior quantidade de usuários possíveis – o que impulsiona a rentabilidade de seu próprio negócio. 

Para ela, para a distribuição de conteúdo é melhor criar um aplicativo nativo que possa monetizar isso. Além disso, o app da DWNLD vem com a tecnologia deep linking, que permite que seu smartphone abra o aplicativo mesmo que você apenas clique em um link no navegador, por exemplo. Isso é importante para ajudar a popularizar o uso de seu aplicativo, já que a tendência dos usuários é abrirem sempre os mesmos aparelhos. Uma ideia interessante.