Brex, fundada por brasileiros, atinge US$ 2,6 bilhões em valor de mercado

Tainá Freitas

Por Tainá Freitas

11 de junho de 2019 às 12:05 - Atualizado há 12 meses

Logo ReStartSe

GRATUITO, 100% ONLINE E AO VIVO

Inscreva-se para o Maior Programa de Capacitação GRATUITO para empresários, gestores, empreendedores e profissionais que desejam reduzir os impactos da Crise em 2020

A Brex, fintech dos Estados Unidos fundada pelos brasileiros Pedro Franceschi e Henrique Dubugras, anunciou, nesta terça-feira (11), a conclusão de uma rodada de US$ 100 milhões em investimentos. O novo investimento estava em discussão desde o mês passado.

A rodada série D foi liderada pelo fundo Kleiner Perkins e contou com a participação dos já investidores DST Global, IVP, Y Combinator e Greenoaks Capital. O investimento avalia a Brex em US$ 2,6 bilhões oito meses depois de sua última rodada, em que obteve o valuation de US$ 1,1 bilhão (ou seja, se tornou um “unicórnio”, como são chamadas as startups com valor de mercado superior a US$ 1 bilhão).

A Brex foi criada em 2017 e tem como principal produto um cartão de crédito corporativo para startups. A solução auxilia essas empresas em suas dificuldades de obter crédito ao oferecer limites maiores do que as opções convencionais. Além disso, a Brex auxilia que as empresas façam o gerenciamento de suas despesas, pois cada funcionário pode receber um cartão com um limite controlado. Em outubro do ano passado, ela também lançou um programa de pontuação.

Já neste ano, a fintech criou o primeiro cartão corporativo específico para e-commerces. “As empresas de cartões tradicionais veem as empresas como um monólito [uma montanha construída por apenas um pedaço de pedra] e criam produtos que devem atender a todos eles”, disse Dubugras, CEO da Brex, no lançamento. “Brex vê o mundo de forma diferente. As startups não são como outras empresas e nem as empresas de e-commerce. Agora eles também podem se beneficiar da Brex”.

Outro tipo de companhia também poderá, em breve, se beneficiar da startup. Segundo o TechCrunch, o próximo passo da Brex é construir um produto focado em empresas de biologia e ciência. O objetivo é que ganhem benefícios como “cashback” em grandes compras de equipamentos para laboratório e ingressos de conferências.