Startup brasileira de cerveja, cadastrada no StartSe, vai para o Vale do Silício

Avatar

Por Júnior Borneli

3 de setembro de 2015 às 10:58 - Atualizado há 5 anos

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

O Pubers, startup que é um comércio eletrônico de cervejas artesanais, está de malas prontas para o Vale do Silício. Vencedores de uma competição de empreendedorismo, os sócios Renan Prado, Rafael Alves, João Vitor Lanni e Marco Antônio Almeida ganharam uma bolsa de estudos na Draper University, uma das mais respeitadas do Vale.

Com um modelo de negócios único no mundo, focado apenas em cervejas artesanais, o sonho dos sócios e amigos é criar a Amazon das bebidas artesanais. Para isso eles pretendem conectar os pequenos e micro produtores a novos clientes e proporcionar um aumento nas vendas. Para os consumidores o Pubers oferece um amplo portfólio, com vários rótulos exclusivos ou de difícil acesso, por um preço justo.

“Queremos que os nossos parceiros se preocupem apenas com a sua paixão em produzir boas cervejas, deixando a estratégia de comunicação e de vendas online sob a nossa responsabilidade” afirma Renan Prado, um dos sócios da empresa.

Por enquanto o Pubers opera apenas com a venda de produtos, com foco para os micro e pequenos produtores brasileiros, mas no curto prazo estarão disponíveis pacotes de viagem para tours cervejeiros e também cursos de produção artesanal. Hoje estão disponíveis cerca de 54 rótulos e a previsão é de chegar à 100 ainda neste ano.

Os empreendedores do Pubers sonham grande: “essa é uma oportunidade sensacional, pois teremos acesso à um networking incrível entre mentores, professores e claro investidores que podem ajudar a impulsionar o desenvolvimento da nossa tecnologia. Outro ponto valioso dessa viagem será a oportunidade de entrar em contato diretamente com o cenário de cervejas artesanais do Estados Unidos, que é um mercado mais evoluído que o brasileiro” conclui Prado.