Startup de aluguel de carros online levanta €20 milhões em financiamento

Isabella Carvalho

Por Isabella Carvalho

12 de fevereiro de 2019 às 11:27 - Atualizado há 2 anos

Vem aí a melhor formação de líderes do Brasil

Logo Liderança Exponencial Aprenda as novas competências fundamentais para desenvolver uma liderança exponencial e desenvolva diferenciais competitivos para se tornar um profissional de destaque no mercado.

100% online, aulas ao vivo e gravadas

Próxima turma: De 22 a 25/Fev - 2021, das 19hs às 22hs

Inscreva-se agora
Logo Cyber Monday 2020

Só hoje, nossos melhores Cursos Executivos ou Programas Internacionais com até 50% off

Quero saber mais

A Virtuo, startup de aluguel de carros, levantou 20 milhões de euros em um financiamento da Série B com participação da Iris Capital, Balderton Capital e Raise Ventures. A empresa, fundada em 2016 por Karim Kaddoura, tem como objetivo simplificar o serviço de aluguel de veículos.

Para isso, oferece um processo simples para o usuário. Basta fazer o download do aplicativo, criar uma conta online, enviar uma foto de um documento e aguardar a aprovação, que demora alguns minutos. Também pelo app é possível escolher um modelo de carro e cobertura de seguro.

Horas antes da locação, o cliente recebe uma chave virtual usada para abrir o carro. Depois de registrar as informações de condição do veículo no aplicativo, ele estará pronto para uso. É possível alugar um carro a qualquer hora em estações de trem, aeroportos e outros estabelecimentos.

Todo o processo é feito online, com opções de personalização de acordo com a necessidade do usuário. Hoje, a startup atua na  França, Bélgica e Reino Unido. Com o aporte, a Virtuo pretende expandir no Reino Unido e chegar na Espanha e Alemanha.

Em entrevista ao TechCrunch, Bernard Liautaud, sócio da startup, afirmou que devido à preocupação com o meio ambiente e congestionamento, a tecnologia aliada aos carros está evoluindo rapidamente. “Com essas mudanças, alugar um carro como e quando você precisar dele está se tornando uma alternativa viável, especialmente para pessoas mais jovens que atingiram a maioridade à medida que a economia de compartilhamento decolava”.