Start-up cria aplicativo para mudar radicalmente o mercado de ações

Da Redação

Por Da Redação

16 de março de 2015 às 10:40 - Atualizado há 6 anos

Logo ReStartSe

GRATUITO, 100% ONLINE E AO VIVO

Inscreva-se para o Maior Programa de Capacitação GRATUITO para empresários, gestores, empreendedores e profissionais que desejam reduzir os impactos da Crise em 2020

SÃO PAULO – Uma iniciativa ousada promete mudar o mercado de ações dos Estados Unidos, definitivamente. Um novo aplicativo – chamado de Robinhood -, criado por uma start-up, promete criar um enorme mercado para pequenos investidores que não tinham dinheiro para investir em ações.

Ele permite que você opere com nenhuma taxa de corretagem e de custódia – além de permitir comprar ações e vender pelo celular. A ideia é permitir que as pessoas que vão investir baixas quantidades, como US$ 100, possam fazê-lo sem ter que pagar uma enorme taxa de corretagem que prejudicaria seus ganhos.

O aplicativo já tem sua versão para iPhone e recebeu investidores famosos, como o Google Ventures – que possui outras tantas iniciativas em finanças pessoais -, Index Ventures, Andreessen Horowitz, o ator Jared Leto e até mesmo o rapper Snoop Dogg. “Não temos nenhum mínimo, o que acredito que cria um mercado para investidores que não poderiam investir antes”, afirma Baiju Bhatt, co-fundador da empresa ao portal CNBC.

Você sabia que investir em startups pode ser um grande negócio? Cadastre-se no StartSe (www.startse.com.br) e conheça as melhores startups do Brasil. Mais de 1400 investidores já fizeram isso! É gratuito.

Com o aplicativo, a expectativa é que as pessoas possam aprender o funcionamento do mercado de ações antes de realizar grandes investimentos. A lista de espera pelo aplicativo já supera um milhão de pessoas, desde que o Robin Hood começou a operar em janeiro.

É válido lembrar que o aplicativo é muito “cru” e não possui serviços que corretoras normalmente possuem, como recomendações, leituras de mercado e conteúdos educacionais. No momento, a empresa não é nem um pouco lucrativa, mas pode buscar formas de ganhar dinheiro no futuro, embolsando os dividendos de seus clientes, cobrando taxa de administração ou criando uma “corretagem” reduzida.

Outro aplicativo que chamou a atenção recentemente do Google foi o Digit. O funcionamento é simples: assim que você se conectar, ele analisa seu histórico de banco, seu salário, suas contas e determina o quanto você pode guardar por mês. Aí, todo mês ele subtrai aquela valor e envia para uma conta separada no Wells Fargo ou no BofI Federal Bank.

O FGC americano, o FDIC, garante as aplicações – te protegendo em até US$ 250 mil. Você também pode controlá-lo por SMS, tirando e depositando dinheiro. O algoritmo do aplicativo consegue entender todas as mudanças que ocorrem na sua vida financeira, como promoções, bônus e demissões. Mas ele tem uma pegadinha: você não recebe nenhum rendimento sobre o dinheiro que você economizou. Todo o rendimento vai para financiar as atividades do Digit.