Seu DNA pode te ajudar a combater a depressão com mais eficiência

Victor Hugo Bin

Por Victor Hugo Bin

26 de março de 2019 às 13:12 - Atualizado há 2 anos

Logo Cyber Monday 2020

Só hoje, nossos melhores Cursos Executivos ou Programas Internacionais com até 50% off

Quero saber mais

Vem aí a melhor formação de líderes do Brasil

Logo Liderança Exponencial Aprenda as novas competências fundamentais para desenvolver uma liderança exponencial e desenvolva diferenciais competitivos para se tornar um profissional de destaque no mercado.

100% online, aulas ao vivo e gravadas

Próxima turma: De 14 a 17/Dez, das 19hs às 22hs

Inscreva-se agora

Quem precisa tomar remédios antidepressivos com frequência sofre de um ou mais efeitos colaterais:

  • Náuseas, boca seca;
  • Tonturas, pressão baixa;
  • Prisão de ventre;
  • Aumento de peso;
  • Disfunção sexual;

No site Quora, um jovem (não identificado por motivos de confidencialidade) publicou como foi a experiência dele tomando antidepressivos:

No meu caso, lembro de ter tido boca seca, alterações no sono (tanto pra mais quanto pra menos), um pouco de tontura e dor de cabeça. Sei que há alguns que afetam o metabolismo (dão tendência a engordar ou emagrecer), o desejo sexual etc.

Tanto os efeitos positivos quanto negativos variam muito. Uma mesma droga pode ter efeitos diferentes em pessoas distintas.

É fundamental então que haja acompanhamento de um bom médico que seja sensível ao que está acontecendo e que adapte o tratamento se for necessário.

Não é incomum casos onde se tentam várias drogas antes de se achar o conjunto ideal para o caso, então não se desanime se começar a tomar algum e o efeito não for dos melhores.

Justamente para que as pessoas não passem mais por isso que a startup GnTech trouxe uma solução: e ela está no seu próprio DNA.

A healthtech faz um teste farmacogenético para pessoas que fazem tratamento de depressão, transtornos de humor, dor crônica e TDAH.

Você contrata o teste, realiza a coleta de material e despacha o envelope em até 48h.

A GnTech realiza o teste, você recebe uma mensagem na sua caixa de e-mail e baixa o resultado do próprio site da startup. Depois só pegar o exame e marcar uma consulta com seu médico.

Simples assim.

Esse teste ajuda o médico a receitar o melhor medicamento para o paciente e minimizar os efeitos colaterais ao máximo.

O exame é muito simples, fiquei muito ansiosa com o resultado. Descobrimos que eu não estava tomando o medicamento mais apropriado para mim e então parei de tomá-lo. Comecei a tomar o antidepressivo indicado no teste e eu estou muito feliz com o resultado! Melhorei ainda mais e não estou sentindo os mesmos efeitos colaterais. Depoimento de K.C.V, 34 anos, paciente que realizou o teste pela startup.

Popularizando o mapeamento genético no tratamento de doenças

O mapeamento genético é uma das grandes soluções para pacientes tomarem remédios feitos sob medida e até mesmo receber próteses ou órgãos sem sofrer rejeição.

O CEO da GnTech, Guido Boabaid May, abordará este tema e será um dos palestrantes no maior evento de tecnologia médica do Brasil, HealthTech Conference 2019.

Onde contará em primeira mão o case da startup e os impactos que o mapeamento genético ainda pode trazer nos casos de tratamentos psiquiátricos e diversas outras doenças.

O evento acontece no dia 25 de abril, no Expo Center Norte, em São Paulo.

Confira a página oficial do evento para ver o tema do evento e todos os palestrantes confirmados.