Sentimonitor usa I.A para analisar percepção de marca em redes sociais

Tainá Freitas

Por Tainá Freitas

27 de novembro de 2019 às 07:50 - Atualizado há 10 meses

Logo ReStartSe

GRATUITO, 100% ONLINE E AO VIVO

Inscreva-se para o Maior Programa de Capacitação GRATUITO para empresários, gestores, empreendedores e profissionais que desejam reduzir os impactos da Crise em 2020

As redes sociais são um espelho da opinião de consumidores sobre um produto ou solução de uma startup. Se a experiência é positiva, ela repercute. Se for negativa, também. Buscando uma solução prática para extrair insights desses dados, a startup gaúcha Sentimonitor desenvolveu um sistema que utiliza inteligência artificial e big data para analisar a percepção de marcas em redes sociais.

Os dados permitem que o software da Sentimonitor trace os principais temas de interesse, melhor formato, canal e horário para a distribuição de conteúdo. A solução também auxilia na prevenção de crises, pois notifica com alertas quando mensagens virais são detectadas.

A Sentimonitor também permite a comparação da performance de uma marca de acordo com uma média de seus concorrentes. A empresa possui a Leroy Merlin, Discovery, Elo, LG e Casa&Video como alguns de seus clientes.

Foco na Europa

Neste ano, a empresa foi uma das startups brasileiras expondo suas soluções no Web Summit 2019, maior conferência de tecnologia e inovação que acontece na Europa. A Sentimonitor participou da Missão de Internacionalização da Apex-Brasil.

“Essa foi a nossa segunda participação no Web Summit. Viemos a primeira vez em 2013, com o produto voltado para SaaS e pequenas empresas. Voltamos neste ano focados em grandes contas corporativas e com o objetivo de nos conectar com parceiros na Europa”, conta Hugo Pinto, fundador da Sentimonitor, em entrevista à StartSe.

Além do Web Summit, a Sentimonitor já participou também do South by Southwest (SXSW) realizado em Austin, nos Estados Unidos. Em outra incursão com a Apex, em 2014, a empresa conheceu a startup brasileira Vórtio, que acabou adquirindo dois anos depois.

Hoje, a startup segue focada no mercado europeu. A startup realizou um pitch para investidores portugueses no Dia de Inovação Empresarial Brasil – Portugal promovido pela Embaixada do Brasil em Portugal, Câmara do Comércio e Indústria Luso Brasileira e Apex-Brasil, em Cascais, na Fábrica de Startups – uma aceleradora portuguesa com filial no Brasil. A empresa se destacou como o melhor pitch entre as presentes no local.

*A repórter foi ao Web Summit à convite da Apex Brasil.