Segunda votação para projeto que proíbe o Uber acontece na câmara de São Paulo

Avatar

Por Júlia Miozzo

9 de setembro de 2015 às 17:04 - Atualizado há 5 anos

Vem aí a melhor formação de líderes do Brasil

Logo Liderança Exponencial Aprenda as novas competências fundamentais para desenvolver uma liderança exponencial e desenvolva diferenciais competitivos para se tornar um profissional de destaque no mercado.

100% online, aulas ao vivo e gravadas

Próxima turma: De 22 a 25/Fev - 2021, das 19hs às 22hs

Inscreva-se agora
Logo Cyber Monday 2020

Só hoje, nossos melhores Cursos Executivos ou Programas Internacionais com até 50% off

Quero saber mais

SÃO PAULO – Na tarde desta quarta-feira (9), a Câmara municipal de São Paulo votam no projeto de lei 349/2014, que proíbe o “uso de carros particulares cadastrados em aplicativos para o transporte remunerado individual de pessoas” – ou seja, o serviço oferecido pelo aplicativo Uber.

Esta é a segunda votação, sendo que a primeira ocorreu na última quarta-feira (2), na qual 38 vereadores votaram a favor da proibição. Para ser aprovado, são necessários 28 votos favoráveis. Se aprovado hoje, ele precisa ser sancionado pelo prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), que ainda pode vetar a medida.

“Temos que discutir a regulamentação. O táxi hoje é excessivamente regulamentado e burocratizado, enquanto os aplicativos, como o Uber, são muito pouco ou nada regulamentados”, disse o vereador Andrea Matarazzo (PSDB) em plenário e possível candidato tucano à prefeitura do país.

“Então, o que defendo, é a ideia de apresentarmos um substitutivo, que faça a modernização do transporte individual de passageiros e a regulamentação formal de todos os aplicativos – inclusive o Uber – para que haja uma concorrência legal entre os veículos de taxímetro e veículos de aluguel particulares”.

O resultado da votação deve ser divulgado no final da tarde de hoje.