Steal The Look: como um portal de conteúdo de R$ 30 se transformou em um marketplace

Tainá Freitas

Por Tainá Freitas

22 de agosto de 2018 às 17:17 - Atualizado há 2 anos

Logo ReStartSe

GRATUITO, 100% ONLINE E AO VIVO

Inscreva-se para o Maior Programa de Capacitação GRATUITO para empresários, gestores, empreendedores e profissionais que desejam reduzir os impactos da Crise em 2020

O varejo é um dos mercados que mais sofreu mudanças devido à transformação digital. Agora, e-commerces e marketplaces fazem parte da rotina dos varejistas, além da tarefa de oferecer um atendimento ainda mais ágil a partir de redes sociais e experiências marcantes. Com a internet, novas profissões e negócios foram criados – esse é o caso da Steal The Look.

O Steal The Look é uma plataforma de conteúdo de moda e beleza criada em 2012 por duas amigas: Manuela Bordasch e Catharina Dieterich. Na época, o universo dos blogs estava começando a surgir na internet e Manuela Bordasch não entendia porque as blogueiras não linkavam os produtos utilizados em looks – até que decidiu fazer isso ela mesma.

Com o investimento inicial de R$ 30 reais (o domínio do site), as duas amigas foram construindo a plataforma, postando looks com os links direto para compra no site. O portal acabou se tornando uma ferramenta de tráfego qualificado para e-commerces e marketplaces, e hoje a plataforma monetiza essa solução. Em 2016, ela faturou R$ 2 milhões.

“Conseguimos trabalhar o branding da marca, deixando-a mais próxima dos consumidores de forma mais humana. Acabamos nos tornando parceiros estratégicos das lojas”, comenta Manuela Bordasch, cofundadora e Head Of Business Development da startup. O portal aproxima os varejistas dos clientes porque traz exemplos reais de como usar as peças, além de ser um termômetro das principais tendências e das novas marcas que estão surgindo.

O contato mais próximo entre consumidores é cada vez mais um objetivo a ser alcançado pelas marcas, pois a proximidade e a identificação constrói a fidelização do cliente. “Hoje a pessoa vai se relacionar com a marca e quer saber o propósito e de onde o produto veio. É muito mais do que simplesmente vender, e sim conseguir contar uma história que os clientes se identifiquem, a compra do produto é uma consequência”, explicou Bordasch.

Uma forma de ter a marca imersa no dia a dia e de construir uma história com o consumidor são os influenciadores – outro modelo de negócio possibilitado a partir da transformação digital do varejo. Hoje, os influenciadores são responsáveis por divulgar desde produtos à histórias e experiências com marcas para o público-alvo e consumidor.

“Os influenciadores hoje em dia são um mercado que movimenta bilhões, mas é muito importante se aliar aos influenciadores certos. Sabendo aliar isso de uma forma bem-feita, o resultado é exponencial”, comentou a cofundadora do Steal The Look.

Hoje, a relação entre influenciadores e marcas é uma via de mão dupla – ao tornarem os influenciadores uma voz da marca, os próprios atos deles acabam impactando também na imagem do varejista e se uma pessoa irá se tornar cliente ou não. “Hoje o poder está muito mais na mão do consumidor. As pessoas têm informação sobre tudo a qualquer momento e isso impacta tanto a loja física quanto o site, porque eles pesquisam o produto para tomar a decisão”, afirma Manuela.

Steal The Look Push e Marketplace

A fundadora do Steal The Look acredita que o futuro do varejo é omnichannel. “É preciso estar em todos os lugares. Quem não estiver, não tem muito futuro – é um caminho sem volta”, afirmou. Uma das iniciativas para alimentar a presença online é através de conteúdo – o que hoje é parte do modelo de negócios da startup. Isso porque a Steal The Look lançou duas ferramentas: o Push e o Marketplace.

O Push é uma plataforma de compartilhamento de experiências – no caso, através de cursos online e físicos. As pessoas poderão dividir suas experiências para crescerem em suas carreiras, terem lições de como empreender dentro da própria empresa, entre outros. “Teremos dias de experiências e inspiração para quem quer se destacar no mercado do futuro”, explicou Manuela Bordasch.

Já o Marketplace é a loja online da Steal The Look, na qual todos os produtos passam pela curadoria do portal e são utilizados nos looks veiculados. A novidade foi lançada em 2017 e é chamada de “Stealthelook.Shop”. A startup recebe 30% de comissão pelos produtos vendidos.

“Estamos focando, no início, em ter marcas menores. Queremos ter uma curadoria de marcas que não têm como investir em site próprio e que tenham a identidade da Steal The Look”, explicou a cofundadora da startup. O momento inicial na plataforma é de integrar e encontrar novos talentos e marcas da indústria da moda, mas não exclui a entrada de players já renomados.

Manuela Bordasch será uma das palestrantes no VarejoTech Conference, evento da StartSe que reunirá os principais especialistas e inovações do setor. Não perca essa chance e confira aqui!