Bossa Nova levanta US$ 29 milhões para desenvolver novo robô para o varejo

Avatar

Por Isabella Câmara

21 de junho de 2018 às 17:45 - Atualizado há 2 anos

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

A Bossa Nova Robotics anunciou hoje (21) o fechamento de uma rodada de investimento de US$ 29 milhões para reforçar o desenvolvimento dos robôs de estoque. A rodada foi liderada pela Cota Capital, e contou com a partipação da China Walden Ventures e da LG Electronics, bem como dos atuais investidores na startup Intel Capital, Lucas Venture Group e WRV Capital.

Segundo a empresa, o financiamento será usado para apoiar a expansão internacional, focar em melhorias de software, fornecer aos clientes mais insights orientados por dados e explorar outras oportunidades, como a implantação de robôs em pequenas mercearias. Além de anunciar a rodada de investimento, a Bossa Nova também revelou que a Flex atuará como seu parceiro na fabricação dos robôs – acelerando sua criação.

Atualmente, os robôs da empresa, que foi fundada em 2005 e já arrecadou US$ 70 milhões até o momento, digitalizam prateleiras três vezes ao dia em ao menos 50 lojas do Walmart na Califórnia, Flórida, Texas, Pensilvânia e Arkansas.

Os robôs da Bossa Nova

De acordo com a própria empresa, os robôs trabalham combinando fotos básicas de RGB e imagens na nuvem para entender a situação de determinadas prateleiras e alertar as lojas sobre itens que precisam ser reabastecidos. Os robôs se movem em quatro rodas, a uma velocidades de quase 1 km por hora, ou seja, 20 centímetros por segundo.

Além disso, os robôs são programados para operar em horários do dia em que há menos movimento de consumidores. Mas a presença de seres humanos não é um problema para os robôs da Bossa Nova. Por meio de uma série de sensores inteligentes que reconhecem objetos, os robôs são capaz de evitar qualquer tipo de acidente envolvendo seres humanos e outros robôs. É simples: se as pessoas estiverem por perto, o robô consegue traçar um percurso em volta delas, solicitar assistência remota dos operadores de robôs humanos ou simplesmente parar e seguir em outra direção.

Nos primeiros testes, os robôs viajaram 12 mil quilômetros e aprenderam a navegar melhor nas lojas. Os testes ainda são necessários porque, ao contrário dos carros autônomos nas estradas, diz Martin Hitch, Diretor de Negócios da Bossa Nova, os consumidores tendem a se mover, parar e mudar de direção com frequência.

“Quantas vezes você andou pelo corredor de compras e depois mudou de ideia e foi para o outro lado? Essas são coisas que fazemos o tempo todo em um supermercado, por exemplo, e não damos nenhum sinal de que faremos isso”, disse Hitch. “Não quero diminuir o que os carros autônomos fazem, porque isso é incrivelmente desafiador. Mas, no caso deles, há pelo menos algumas regras na estrada que 90% das pessoas seguem”.

Seja como for, esse é uma tecnologia que pode ajudar muito o setor do varejo. Vamos falar disso e de outras tecnologias em um evento exclusivo em São Paulo. Estes temas que serão debatidos na VarejoTech Conference 2018, a maior conferência sobre tecnologias para o varejo e e-commerce já feita no Brasil. Gigantes do varejo e Startups do setor apresentarão suas estratégias para vender de forma inovadoraumentando ainda mais a conversão fidelização dos seus clientes.

Para saber mais sobre a VarejoTech Conference, acesse o site oficial do programa.

Baixe já o aplicativo da StartSe
App StorePlay Store


(Via: Venture Beat)